NÃO SER APENAS PELE

Relacionamento. ( do Dicionário  Aurélio)
1.Ato ou efeito de relacionar(-se).  
2.Capacidade, em maior ou menor grau, de relacionar-se, conviver ou comunicar-se com os seus semelhantes.
3.Bras. Ligação de amizade, afetiva, profissional, etc., condicionada por uma série de atitudes recíprocas; relação.

O relacionamento como está explicado no verbete do Aurélio é uma forma de convivência com semelhantes, no caso, seres humanos, e não animaizinhos, como muitos fazem ( trancam-se com seus cães em casa e passam a trata-los como gente). E assim “relacionando-se” com iguais é que criamos a sociedade em si. Mas a convivência diária e frequente pode causar a algumas pessoas certa dependência. Explico meu pensamento: Há pessoas que nascem para dominar e outras para serem dominadas, isso é o normal do ser humano. Imagine se todos quisessem dominar? Estaríamos num embate frequente, viveríamos como leões a brigar pelo seu bando o tempo todo. E assim, os dominantes subjugam os dominados e se não forem pessoas boas, de índole ilibável farão com que os mais fracos sofram.

Sou um ser de fácil convivência, apesar de nos últimos anos acentuar um pouco a personalidade chata que a idade trás, mas mesmo assim maleável, desde que me provem que estou erado...rs rs rs. Isso a olhos de alguns chama-se: prepotência.

Vejo algumas pessoas, inclusive eu mesmo por alguns anos, viverem a sombra de outros. Aqueles dominantes que se acham sabedores de tudo ( muitas vezes temos que dar a mão a palmatória por que estavam com a razão) acabam por minimizar a personalidade dos que estão em volta e são mais fracos, e lhes impõe uma carga de valores baseados no seu próprio umbigo. Nem sempre o que é bom pra eles, também é bom para a massa. E assim minimizados nas suas atitudes os fracos convivem endeusando a opinião do dominante.

Vemos isso satirizado em filmes de colegiais onde a líder de torcida é a figura principal de um time de meninas que a bajulam para poderem usufruir sua influencia. A politica é assim, a vida artística, as amizades e até os relacionamentos amorosos ( estes eu não vejo com bons olhos, por que submissos em casamentos ou namoros acabam se revoltando um dia). Bom para os que enxergam e se livram a tempo.

Há um exemplo básico para pessoas que vivem a vida alheia. A cobra é um animal que troca de pele, é sabido e quando o faz abandona a casca que lhe foi útil à deriva e segue sua vida normalmente como manda a natureza. Ser a pele é estar junto, conviver, viver a vida daquele ser, mas nunca ser ele. Um dia ele abandona a pele e parte para outra, revigorado, e se não houver estrutura suficiente para entender que a vida não é baseada no que o outro pensa, faz e age, entra-se num estado de abandono, e muitas vezes depressão.

Ganhamos o dom da vida e temos que saber lidar com ela. Às vezes é mais fácil deixa-la por conta de alguém que a comande pra você ditando o BE A BA de tudo, mas nunca deixar que a sua essência seja manipulada por outros. O dia que acorda e compreende que foi usado de certa forma o amargo gosto da decepção lhe vem à boca.

Tenhamos amigos, namorados(as), esposo(a). Dividamos a vida, por que é necessário vivermos em grupo. Não se vive só de família, como não se vive só de amigos. Há um equilíbrio saudável entre os dois para que não haja desgastes desnecessários. Mas nunca devemos nos anular em prol de outros, em circunstancia alguma.

Isso é tão comum na vida pré - maturidade. Só enxergamos que somos donos de uma opinião, de um gosto pessoal, de uma visão particular do mundo, quando entendemos que a vida é nossa, e não de quem nos domina.

Quer fazer parte da vida de alguém? Seja carne da carne, entre para valer numa relação a dois ( mesmo que seja amizade) para amanhã não se sentir a pele abandonada numa troca natural da vida.

Boa semana a todos...


6 comentários:

Ludmilla Russo disse...

Excelente texto, Rafa!! :)
Beijos

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Dizer o que disto? Perfeito! Vc ainda conclui tudo isto com esta sabedoria pura: "Quer fazer parte da vida de alguém? Seja carne da carne, entre para valer numa relação a dois ( mesmo que seja amizade) para amanhã não se sentir a pele abandonada numa troca natural da vida."

Beijão

Esdras disse...

Belíssimo texto!

Edilson Cravo disse...


Maravilhoso o texto, estar com alguém é acima de tudo manter a própria individualidade e entender as mudanças, os ciclos, as fases.

Abraços querido.

FOXX disse...

Conselhos interessantes, mas vc bem sabe que eu não acredito que eu possa estar em qualquer relacionamento, por isso eu li todo o texto sem me identificar com quase nada, eram situações que eu nunca iria experienciar.

Homem, Homossexual e Pai disse...

UAU! ou você esta muito BRAVO com algum amigo falso ou você esta muito inspirado! rsrsrs
abs