POR QUE ESQUECERAM CAUBY?

Quando na década de 50 surgiu nas rádios a voz poderosa, máscula e romântica de Cauby Peixoto, as mulheres e homens do pais renderam-se a seu talento, estapeando-se para vê-lo ao vivo nos teatros do nosso vasto território. Passados 60 anos, o talentoso e já avançado na idade Cauby foi relegado aos museus da musica nacional.

Por que enterrar vivos astros tão bons como ele?

Muitos acham pitoresco o modo de Cauby se vestir. Uma incógnita até hoje não desvendada. Seria o cantor um homossexual? Sim, tudo indica que sim. Mas sua conduta profissional, sua postura perante a mídia, nunca deu pano pra manga. Não há indícios de que Cauby tenha um amante, ou se envolvido num escândalo sexual. Pelo menos nunca vi nada que denegrisse sua imagem.

Então as pessoas dizem: Cauby é excêntrico, usa paletós de paetês, roupas extravagantes, perucas crespas e bla bla bla. Tudo bem, pode ser ele uma figura pitoresca, mas então o que dizer dessa bandinha medíocre, chorona e chata, chamada Restart? Os meninos com seus óculos coloridos, calças femininas em tons berrantes, cabelos mal cortados e vozes inferiores aos gritos de um rato em agonia.

A mídia deixa de lado, uma voz excepcional, um artista que acrescenta história a nossa musica, com um timbre único e versátil para babar sobre meninos recém-saídos das fraldas. Por que?

Quanto mais se enterram artistas grandiosos mais medíocres deixamos os jovens. Não há contra pontos, não há exemplos para que eles aprendam. Ninguém canta o repertorio belíssimo de Cauby. Poucos o chamam para apresentações. Hoje é um homem passado dos 80, doente talvez. Mas nada justifica, por que religiosamente as quartas feiras Cauby da um show numa casa noturna em São Paulo. Onde está a incapacidade dele? Em lugar nenhum, ou melhor está sim, na cabeça incapaz de produtores e empresários musicais, de deixa-lo no ostracismo por que acreditam que ele não vende mais.

É até uma ofensa da minha parte comparar Cauby a Restart, mas talvez a única forma de mostrar que o empobrecimento da nossa musica nos faz ter apenas esse exemplo para ser comparado. Grandes compositores criaram nas a décadas de 30, 40, 50 musicas que são verdadeiras obras primas da nossa MPB. Onde estão? Sei lá, deixadas em gavetas para que num futuro distante algum jovem musico, as estude na sua graduação universitária.

Por que não trazer hoje ao mercado essas composições. Ainda que há pessoas inteligentes como Marisa Monte, que campeia e acha belíssimos exemplos disso tudo que falei. Outros o fazem, mas a mídia não da atenção. Precisa uma cantora do calibre de Marisa Monte para que haja divulgação de Pixinguinha, por exemplo.

Cauby é um ícone. Adorado, amado, ridicularizado, mas sem chance de ser diminuído. A voz, a capacidade vocal é a mesma. Bizarro mas romântico, cafona mas capaz ainda de emocionar plateias inteiras. Digo não aos Restarts da vida, e aplaudo ainda um talento grandioso como de Cauby Peixoto.

Em 1981, quando a Globo levou ao ar a primeira versão de Ciranda de Pedra, adaptação da obra de Lygia Fagundes Telles, Cauby cantou o tema da personagem principal, interpretada sem retoques por Eva Wilma (um milhão de vezes superior a fraquíssima Ana Paula Arósio no remake). Inspirada na serenata de Schubert. Abaixo deixo para quem tem ouvidos sensíveis a musica o exemplo de uma voz que nunca desaparecerá.


Abraço e ótima semana a todos.

8 comentários:

Paulo Braccini disse...

Cauby é um dos mitos da MPB! Fato! sou fã mesmo desta voz e desta interpretação ... se ele fosse Americano estaria na galeria em q estão Sinatra e tantos outros ...

Parabéns pela homenagem ... super digna ...

bjão

Papai Urso disse...

Digno apesar de avacalhado. Não detesto só Restart, mas tb Cine, Fresno, todas essas procarias em série

Cris disse...

Antes vc tem que jurar que vai continuar meu amigo. Jura?.....rs

Eu não gosto do Cauby. Nem um pouco. Reconheço a técnica que o cara tem pra cantar, mas não gosto da forma que usa a voz e que coloca essa técnica. Acho cansativo e repetitivo; deixando todo seu repertório igual.

Não brigue comigo.

Talvez, por já ter ouvido muuuuito artista ao vivo e em cores....rs minha opinião seja meio cruel à respeito de alguns. O que não uqer dizer absolutamente nada, pq não sou dona da verdade e o sucesso do cara quando surgiu prova o contrário, como vc mesmo disse.

Se for para colocar voz com técnica, sou mais o também das antigas Agnaldo Timóteo.

Não gosto de voz "chapada" e melada......rsrsrsrsrs Deu pra entender?

Restart não dá pra ouvir nem em off. Aqueles moleques causam convulsões. São péssimos. Quem sabe, daqui uns 30 anos fiquem bem !

Jura que continua meu amgigo????????

Rafa, muita paz pra vc nessa semana e mesmo sem eu gostar do Cauby, eu gosto de vc pra cacete!!!!

beijos, Querido!

Papai Urso disse...

Na mesma categoria de Cauby, temos Agnaldo Timóteo - outro vozeirão. Cauby começa a cantar Conceição e mesmo eu que não domino toda a letra já sei completar com 'Eu me lembro muito bem, vivia no morro a sonhar, com as coisas que o morro não tem...' Saca? É isso que não entendo, certas canções ficam no inconsciente de quando escutamos de nossas avós ou no rádio ou na vitrola antiga de alguém... Isso não tem preço, é nossa música, nossa cultura, já ouvi alguém dizer que ele é o nosso Michael Jackson, o nosso Walter Mercado (ligue-djá)... Mas sempre nesse tom de diminuí-lo, transformá-lo em piada, acho isso tudo muito triste. Como vc bem falou ele é um artista digno que a mídia parece querer esconder, mas se morre amanhã, começam logo a dizer que foi ícone dos 40/50, da época de ouro do rádio, que foi isso e aquilo... hipocrisia das hipocrisias...

Andreza disse...

...restart?!!!
a moda é
" vo não,posso não,quero não..."
rsrsrs

Hoje qqr toquezinho com letras sem noção é a moda do momento...

Sou da moda "boemia aqui me tens de regresso"...

Mas...fazer o quê?!!!!
O negócio é comprar cds de coletânea e ouvi-los quando sua audição pedir qualidade...é a vida .
boa semana com bjks doce ♥

Palavras Vagabundas disse...

Linda lembrança, adoro o Cauby... ninguém canta Camarim como ele.
abs
Jussara

CIELLO disse...

"vozes inferiores aos gritos de um rato em agonia."

Jamal... nunca ouvi e tenho medo de um dia ouvir Restart...aliás eu passei imune ao Rebelde tb... to ficando tio!

BJO GRANDE

Ronaldo Santos disse...

Claro. Para os produtores, é melhor o que dá mais audiência, e não o que é clássico...

E ficamos a mercê do que a mídia nos despeja, ou para os mais descolados ou que correm atrás, as opções de boas músicas estão espalhadas por ai, é só garimpar.

E Cauby é um mito!

Abraços