LABIOS....

Hoje vou falar de um gosto pessoal, algo que me encanta no ser humano em geral...rs...mais no ser humano feminino...rs rs rs.

Vou falar sobre a “boca”.

Quando desenhava ou pintava rostos o que mais me atraia ao escolher um modelo para desenhar eram os lábios. Sempre caprichei nos lábios. Quando me pegava rabiscando sozinho, entediado nas aulas, eram bocas que desenhava.
Não sei o porquê disso, não é um fetiche, por que não me excito vendo bocas, como alguns fazem com pés (que alias acho deprimente, pés não são a parte do corpo mais bonita...enfim) mas gosto de ver o tamanho dos lábios, a forma como ele é desenhado, o jeito que se articula quando falam, e o ápice dos lábios, o clímax da boca: o sorriso.

Não há nada mais bonito do que aquele sorriso banguelo do bebê, que alguns dizem ser apenas um espasmo. Desde cedo sorrir é o que ser humano faz de mais encantador. Pode não falar nada, apenas dar uma puxadinha no lábio, que imediatamente o mundo se ilumina para outros.

Acho fascinante os lábios femininos pintados de batom. Desenhados com esmero, brilhantes, sensuais, molhados. A boca é o que primeiro desejamos ao conhecer alguém. Talvez por isso o beijo seja tão importante numa relação.

Por mais que pessoa acredite não ter boca bonita, o charme está la em algum lugar dela. Para os que tem lábios finos, o sorriso deve ser aberto, sem esconder nada, sorrisos largos são palpitar da alma. Quando se sorri de verdade, sem esforço, sem fingimento, é onde enxergamos a alegria, por que sorrisos verdadeiros, não só mexem os lábios, eles refletem luz nos olhos. Por isso gosto de bocas, por que é através delas que você conhece alguém.

Mesmo os lábios ferinos, que machucam os outros com palavras duras, infelizmente nada mais são do que portas abertas de um coração sem emoção são lábios infelizes. É triste pensar que ofensas saem por eles, às vezes lábios tão lindos e bem feitos ferem outros com injurias, acusações e desprezo. Isso deveria ser proibido.
Mas há uma companhia para lábios, aquilo que da ao sorriso a moldura para arrebatar corações, as covinhas...rs rs rs. Sorrisos que formam covinhas convencem qualquer pessoa e entregar o coração.



Pensem em suas bocas, seus sorrisos, mesmo que tímidos. Sorrir para os outros é uma obrigação nossa. Falar bom dia gesticulando os lábios num sorriso aberto é um comprometimento com nosso bem estar diário.

Os lábios são, no rosto, o que expressam maior confiança aos que te conhecem. Os olhos trabalham e são cúmplices da boca. Quando ela se fecha, são eles que falam. Quando eles cerram, é a boca que expressa através da palavra ou do beijo. È a boca que conquista. Os olhos são apenas parceiros.

Mesmo os lábios já murchos na velhice, ainda assim carregam o espelho da alma. Cansados sim, mas sempre prontos a sorrir. Tenho muito pena de que não sorri.

Lábios...os lábios...ahhhhhh os lábios...rs.


Boa quinta feira, repleta de sorrisos com lábios felizes, úmidos de batom, sem batom, coberto por bigodes, carnudos, finos, com coraçãozinho desenhado no meio, largos, estreitos, malicioso, mas nunca feios...


A FÚRIA

A indignação posso dizer que é um sentimento que transita entre a paz e a agressão. Muitos quando sentem-se ultrajados partem para a ignorância e agridem fisicamente pessoas que o conduziram ao estado de fúria.

Muitos desabafam com palavras, o que muitas vezes ajuda a minimizar o stress da situação vivida.

O vídeo abaixo é sobre um dia de enchente no Rio de Janeiro ( aquela cidade que adoro) as 3:00 da madrugada, e um transito parado, com o povo sem perspectiva de ir pra casa.

Peço que desculpem os palavrões do sujeito no vídeo, mas a indignação dele merece credito.

video

Abração e boa quarta feira

QUANDO PARTIR?

Meu post de hoje é sobre um tema que li no blog Três Egos (almejada-independencia.)outro dia, e fala sobre a hora de deixar a casa dos pais.

Qual é a hora de sair de casa? Existe resposta pra isso? Bem, vou expor a minha opinião a respeito.

Sou o caçula de três filhos como já disse aqui. Nasci quando minha mãe já tinha 36 anos, portanto aos 50 tinha um adolescente de 14 anos em casa. Na geração de mulheres de hoje a vida madura começa aos 50, por que vemos mulheres lindas, jovens, com disposição de uma garota de 20 e poucos anos, para minha mãe não, nessa idade ela já era uma senhora.

Como uma mama italiana, leonina, queria todos os filhos embaixo das asas, e não demorou muito para que as neuras sobre perigos da rua caíssem também nas costas do caçula. Tudo era perigoso, tudo era motivo de preocupações intermináveis e incoerentes. Tudo bem, você vai ficando, afinal, casa e cuidados maternais não são de todo ruim.

Optei em estudar na PUC de Campinas. Um curso integral, que fiz a minhas custas, trabalhando e pagando da forma que conseguia. Ajuda dos pais, era no transporte, na casa e comida sempre farta. Na época não entendia que teria sido muito melhor cursar em outra cidade, uma faculdade de meio período que me possibilitaria estudar e ter saído mais cedo da casa dos pais.

Mas fui ficando, os 5 anos de curso e mais alguns logo depois de formado, por que nessa área você não vira um profissional respeitado ainda cheirando a talco da faculdade. São bons e longos anos de experiência, e nisso a conveniência de viver com os pais perdura.

Os irmãos casaram, começaram a procriar...rs rs rs, e eu só com os pais em casa era um Oasis, mesmo sendo minha mãe uma pessoa invasiva por natureza. Desfrutei bons anos de sossego sem irmãos para dividir nada, mas chegou o momento que comecei a entender que ainda solteiro, os cuidados com duas pessoas que caminhavam para velhice estavam totalmente sobre minha responsabilidade.

Isso não é um egoísmo da minha parte, mas ao mesmo tempo posso afirmar que sim. Essa ambigüidade de sentimentos, que você numa certa idade começa a questionar, vai de encontro a perguntas que se faz: será que não ta na hora de cuidar de mim?

Quando surge essa questão, é a hora de você tomar rumo, e deixar o ninho. Isso pode acontecer aos 18, 25, 30, 40 ou seja la a idade que for, mas a partir do momento que você sente a necessidade do seu canto, é por que expirou a garantia de filhinho da mamãe.


Vem em seguida outra dúvida, será que posso me manter sozinho? Pode! Tenha certeza que pode. Quando se quer sair de casa, dividir o apartamento com amigos, com namorado(a), com parentes que não seja sua mãe e pai, é factível e fácil. Basta se organizar e ter um rumo, uma meta.

O terceiro drama é comunicar aos pais que você está partindo. Minha saída foi aos poucos, o apartamento estava quase montado e lentamente comecei a deixá-los. Foi um parto, demorado, sofrido, choroso, mas fui embora, sem olhar pra trás. Nas primeiras semanas que voltava a casa dos meus pais os vizinhos me olhavam feio. No mínimo diziam: como podia ter deixado dois velhos sozinhos. Primeiro que não eram velhos, segundo que tinha mais dois irmãos e a obrigação não era minha apenas, e terceiro, puxa, cada um quer seu canto.

Depois que sai vem à outra fase. Montar uma casa do nada não é fácil. Quando se casa, há toda uma preparação, com presentes, moveis escolhidos a dois. Quando se vai morar sozinho, tudo, tudo mesmo tem que ser pensado. Um dia você que abrir um vinho e percebe que não há saca rolha. Em outro percebe que é você que tem que trocar a toalha de rosto do banheiro, por que a faxineira ta pouco se lixando pra isso.

Mas morar só não é sinônimo de liberdade, quando você não se propõe a liberdade. Muita gente mora só, e continua preso a casa dos pais, dependentes de carinho, refeições e contato emocional. Cortar o cordão umbilical não é desprezar pai e mãe, é entender que você tem uma vida, e daquele momento em diante responsabilidades de gente grande.

Há contas para pagar, roupas a serem lavadas, penduradas, passadas. Há louça na pia, e compreenda, é sempre a “sua vez” de lavar.

Mas quando você deseja essa liberdade e aceita sua nova fase de vida, é algo que não tem como descrever. Voltar para sua casa no fim do dia e olhar que tudo aquilo é seu, não tem preço. Solidão quem faz somos nós. Sentir-se solitário pode ser em qualquer lugar, até dentro de um campo de futebol lotado. Por isso aos que tem medo de sair de casa e sentir-se só, bobagem. Coisa de quem não tem auto-estima suficiente.

Mas há a necessidade do respeito ao “lar” que você criou. Os jovens de hoje pensam muito na necessidade de privacidade que a casa dos pais não permite. Morar sozinho não é carregar pra cama uma pessoa a cada noite. É preciso que haja esse “respeito”, por que passado o período de desbunde, provavelmente aquela sensação de solidão e vazio irá bater.

Mas cada cabeça pensa de uma forma, e como disse no inicio do post essa é a minha visão e minha opinião. De um cara que construiu um lar, e tem experiências de sobra a respeito do tema.

Aos que moram com os pais, pensem se já é hora de deixá-los. Se isso não incomoda ainda, fica frio. É como gravidez, mais cedo ou tarde, terá que nascer...rs rs rs...não adianta se enganar, um dia vai querer seu canto, sozinho.

Abração a todos.

CINEMA E LÁGRIMAS

Cada pessoa, de um modo geral tem sua forma de expor sentimentos, e as lagrimas, digamos, é o ápice da emoção humana.

Eu tenho dificuldade de chorar. Posso ser ofendido, magoado, escrachado, humilhado até...rs rs rs...que as lagrimas não vem. Mas o nó na garganta existe. Talvez pela criação errada no passado, onde os pais diziam: Homem não chora, hoje temos essa dificuldade de expressar em lagrimas o que sentimos.

Mas há a válvula de escape. E o cinema contribui para que a panela de pressão não exploda. Toda vez que sinto aquela necessidade de chorar, recorro a filmes, dramas na verdade, que me fazem ridiculamente trasbordar em choros...rs rs rs.

Não é segredo que curto cinema, e desde cedo aprendi a reconhecer boas produções. Me divirto também com os filmes B e os trashs estilo Zé do Caixão.

Mas selecionei através de uma demorada analise filmes que me fizeram e ainda fazem esvaziar todo nível lacrimal que existe no corpo...rs.

Chorei...mas chorei demais em cada um desses abaixo. Algumas cenas não consegui reproduzir, por que o nosso banco de dados mundial (you tube) não tinha disponível. O dia que aprender a selecionar trechos de filmes da minha biblioteca pessoal, será um grande passo na evolução da minha pessoa...rs.

Aos que conhecem as produções abaixo, garanto que concordarão comigo. Aos mais jovens, indico as mais antigas, e sugiro que assistam, vale demais cada lagrima derramada. Só não assistam tudo de uma vez, senão irão entrar em depressão profunda...rs rs rs.

Inicio pelo primeiro filme que me lembro de ter chorado. Tinha uns 9 anos quando assiti.

O CAMPEÃO - The Champ ( 1979)

Billy Flynn (Jon Voight) é um ex-campeão do boxe, mas que agora está na pior, afundado nas bebidas e nos jogos. Porém, seu filho T.J. (Rick Schroder) acredita no potencial de seu pai, sabe de sua condição, mas nunca deixa de afirmar que ele é seu eterno campeão.





LAÇOS DE TERNURA - Terms of Endearment ( 1983)

Aurora e Emma vivem os altos e baixos da relação mãe-filha. Enquanto Aurora, mãe protetora e viúva há alguns anos, não aprova o casamento de sua filha, Emma vive o drama de saber que seu marido a trai. Entre desentendimentos e alegrias, Aurora começa a se relacionar com o ex-astronauta Garrett Breedlove, um vizinho paquerador, enquanto Emma descobre que tem câncer. Vencedor de 5 Oscars, nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Shirley MacLaine), Melhor Ator Coadjuvante (Jack Nicholson) e Melhor Roteiro Adaptado.





A ROSA - The Rose (1979)

Cantora pop (Bette Midler) sucumbe às pressões das diversas apresentações e se torna viciada em drogas e na bebida. Grande atuação de Bette, tocante. A critica dizia que o filme era baseado na vida de Janes Joplin.




A LISTA DE SCHINDLER (1993)

Um empresário alemão usa seu dinheiro e influência para libertar judeus de campos de concentração durante a Segunda Guerra. A sequencia final, o agradecimento dos judeus, é o ponto marcante do filme.


AMIGAS PARA SEMPRE - Beaches (1988)

O retrato de uma forte amizade, a irrequieta C.C. Bloom (Bette Midler) e a aristocrata Hillary Whitney (Barbara Hershey) dividem os altos e baixos de suas vidas, divórcios, carreiras, alegrias e tristezas. Ao longo da vida, elas sempre foram muito amigas e juntas deverão encarar o maior dos desafios. Amigas Para Sempre é um filme inesquecível, às vezes engraçado, algumas vezes profundamente comovente, mas sempre emocionante.


DIÁRIO DE UMA PAIXÃO - The notebook ( 2004)

Numa clínica geriátrica, Duke, um dos internos que relativamente está bem, lê para uma interna (com um quadro mais grave) a história de Allie Hamilton (Rachel McAdams) e Noah Calhoun (Ryan Gosling), dois jovens enamorados que em 1940 se conheceram num parque de diversões.


ABRAÇO E BOA SEMANA A TODOS

POLÍTICA DE INTERNET

Existem certas políticas e convenções de internet, que a meu ver, fazem parte de um guia de etiqueta do bom navegador. Mas peço aos leitores que entendam que o que for falado aqui são observações minhas e fazem parte única e exclusivamente desse post. Não é inspirado, nem dedicado a ninguém...tipo aquele texto que aparecia no final das novela: esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes ou acontecimentos reais, terá sido mera coincidência.

1 – Por que as pessoas adoram falar em inglês no Facebook? Qual a graça? Tem 200 amigos brasileiros e 1 que mora fora ( e é brasileiro) e todos os comentários são em inglês...por que?

2 – Mandar imagens com musicas brilhantes no orkut não é legal. Isso seria para criancinhas, e como o site não aprova perfil para menores de 18 anos, a troco do que ficar entupindo de ursinhos e corações purpurinados?

3 – Discutir relação pelo twitter é muito pobre. São apenas 140 caracteres. Quem consegue brigar com tamanha limitação. Se fosse comigo, não discutia, usava o espaço apenas pra palavrões, do outro lado a pessoa já saberia como estou puto.

4 – Sobre blogs: Desculpem de coração, os blogs de poesia. Eu nunca fui muito ligado ao tema, então difícil eu achar um modo de comentar sobre poemas em blogs desse conteúdo, me perdoem. Nada contra, por favor. Quem os tem agrada muito, pelo numero de seguidores. Então se eu não comentar o texto é por que não li...rs...fica a dica.

5 – Sobre blogs II: É muito educado que em cada blog visitado leia parte ou a integra do texto e depois faça um comentário. O dono do blog fica feliz de saber que o lêem. Mensagens de ctrl C + ctrl V em todos os blogs que visita com o mesmo comentário é péssimo. Se não é pra ser original na resposta, então não comente...fica a dica 2.

6 – Sobre blogs III: Os conteúdos dos blogs são de livre expressão de quem os escreve. Muitas vezes não concordamos com os pensamentos do autor, então caso comente, use o espaço para propor uma discussão, por que ninguém é obrigado a concordar com o outro. Só não avacalhe, não xingue, e não tente impor as suas opiniões a força...Fica a dica 3.

7 – Sobre blogs IV: Posts grandes precisam ter conteúdo interessante para que os leitores cheguem ao final sem abandonar no segundo parágrafo. Temas variados podem render posts longos e bons. Alguns a gente entende que não agradou. Já cometi varias vezes esse erro. Não posso falar muito sobre o assunto, por que sou um blogueiro de posts compridos. Fica a dica pra mim 4...

8 – Sobre blogs V: Blogs que usam o fundo preto deveriam colocar letras cinza. Não sei se acontece com todo mundo, mas quando leio textos nessa configuração, meus olhos ficam com efeito estroboscópico, piscando quando desvio do monitor, como se tivesse olhado direto pra luz. Fica a dica 5.

9 – Sobre blogs VI. Cuidado com os playlists que tocam assim que abrimos um blog. Muita gente se incomoda com a musica. Caso queiram mostrar seus gostos musicais, escolham musicas mais calmas, entrar num blog com um rock pauleira é assustador. Fica a dica 6.

10 – Sobre MSN. Quando se está com a janela de MSN, skipe ou seja lá o programa usado para mensagens rápidas, é de bom tom olhar o “status” da pessoa. Se estiver ocupado e você precisa falar, chame, desculpe-se por atrapalhar e espere. Se houver resposta, seja breve, não é hora de longos papos. O mesmo se aplica aos que aparecem “ausentes”.



11 - Sobre MSN II. Muitas vezes pessoas bloqueadas não estão assim por que o dono do MSN não quer papo. Eu uso muito essa função quando preciso ficar on line apenas com o pessoal do trabalho. Há um tempo optei em não deixar computadores em rede, por que estavam mexendo nos arquivos pessoais uns dos outros. Para impedir transtornos, cada um tem o seu PC, e quando há necessidade de passar arquivos, o fazemos por MSN, alem de rápido, fica o registro. Se não quero conversa com alguém, não o tenho entre os amigos de MSN.

12 – Sobre MSN III. Figurinhas ( emoticons) que se misturam com as palavras enquanto digitamos é aflitivo. Adolescentes criam emoticons pra tudo. A janela de conversa é um piscar infinito de luzes coloridas e palavras entrecortadas. Às vezes preciso clicar sobre a figura pra ver o que está escrito. Menos é mais...rs



13 – E-mails vingativos que te mandam pro inferno caso não repasse é um porre. Estou com 1000 anos de azar. Não repasso correntes, não peço ajuda pra ninguém. Hoje não sei o que realmente é verdade. Já fiz campanha por uma menininha doente, e depois descobri que era tudo mentira. Mal isso.

14 – Fotos sensuais em sites de relacionamento é um prato cheio para o povo que não tem o que fazer te sacanear. Melhor não se expor tanto, não concordam?

Gosto de todos os que freqüentam meu blog, MSN, orkut e outros. Como disse, caso fossem pessoas indesejadas não estariam ali. Se há algo que não sei fazer é média. Quem me conhece sabe disso.

Venham sempre me visitar, deixem comentário gigantes...quanto mais falam comigo, mais próximo me sinto de quem não conheço. A internet é um grande ferramenta de diversão. E você, o que te incomoda na rede?

Abraço a todos, bom jogo e espero um Brasil 3 X 1 Portugal.

SENSUAIS...

Disseram que essas imagens estão fazendo maior sucesso na Internet.

Poses sensuais em raio X.

Pergunto
:Sucesso onde? Pra quem?

Numa clínica de radiologia, deve ser um estouro...sabe, mulheres peladas de carne e osso e curvas nas oficinas mecânicas, e esqueletos fotografados nas clínicas de raio x.

Se a moda pega, as clínicas de ginecologia e urologia vão ficar vazias depois da exposição de posteres...rs




abração

UM POUCO ERUDITO

Impossível não me sentir saudosista em época de copa do mundo. Há quase duas décadas no mundial de 1994, o mundo foi surpreendido por uma inigualável apresentação de “os três tenores”. Plácido Domingos, Jose Carreras e Luciano Pavarotti.

Quando criança, bem pequeno mesmo, quando brincava no tapete da sala, aos olhos da minha avó, não prestava muito atenção nas musicas que tocava, mas a memória auditiva estava registrando trechos de clássicos, árias de operas. Pra uma criança pouco importava, mas na vida adulta soube o quão importante foi essa memória cultural que minha avó gentilmente me passou.

Hoje, com Lady Gaga, escandalizando o mundo com o seu pop moderníssimo, os grandes interpretes, os compositores clássicos perderam espaço quase que por completo. Jovens de 20 e poucos anos nunca ouviram falar de Puccini, Leoncavallo e tantos outros que na geração dos meus pais eram obrigatório na educação.Não os culpo, só sabemos de determinadas coisas quando somos apresentados a elas.

Luciano Pavarotti modernizou o clássico trazendo para o popular trechos de óperas famosas, em duetos com artistas contemporâneos. Talvez ele seja o que mais tenha contribuído para a popularização da musica clássica. Por isso em época de copa não consigo deixar de pensar e lamentar sua morte.

Há dois vídeos que seguem abaixo. O primeiro é famosa ária para tenor da ópera Pagliacci de Ruggiero Leoncavallo. No final do primeiro ato o Pagliacci “Canio” descobre a infidelidade de sua esposa e tem que se preparar para o espetáculo. Vesti a Giubba ( põe o traje) é a musica interpretada por Pavarotti. Fica claro por que foi o melhor tenor da história.



O segundo vídeo é apresentação de Pavarotti na França 1998, cantando a musica "Nessun dorma" ("Ninguém durma"). É uma ária do último ato da opera Turandot de Giacomo Puccini.



Muitos não gostam desse estilo de musica, muitos passarão reto pelos vídeos. Os que sentirem curiosidade, escutem de olhos fechados, e depois se interessar, assistam apresentação
.

Abraço e boa quinta-feira

CORAÇÃO PARTIDO

Tão triste o amor platônico, não correspondido, proibido...numa idade tão incompreensível.

A garotinha corta o coração em sua declaração de amor. Talvez a mãe devesse explicar de uma forma mais convincente, e não usá-la para um vídeo de You Tube.

De qualquer forma me solidarizo com Hanna, que aos quatro anos sofre por amor.

Espero que tenha se curado desse sofrimento tão passional.



Boa quarta a todos....abração

ELE É O CARA

Bem, que existem pessoas multimidia nesse mundo não temos duvida, multi talentos também. Esse é o caso do garoto do video, é multi talento musical. Vale muito a pena parar e ouvi-lo, ele é show man ou um show boy...rs rs rs.



Abração e boa terça-feira.

EU SINTO, E VOCÊ?

Após a publicação do post sobre a Narcisa Tamborindeguy e sua entrevista vexatória, Luna (palavrasdeluna) sugeriu a campanha sobre vergonha alheia. Eis que aderi e criei um selo.

Vergonha Alheia é aquela sensação constrangedora que sentimos ao ver, participar, ouvir determinadas cenas que nos causam mal estar, como o Hino Nacional cantado há um tempo atrás por Vanusa. Muito constrangedor, muitíssimo, uma vergonha alheia.

Não só celebridades nos causam esse sentimento, mas amigos e familiares também nos brindam com atitudes que não só nos envergonham como nos humilham em determinadas ocasiões.

Como não quero citar as vergonhas causadas por amigos e familiares, vou me concentrar em algumas celebridades e suas excentricidades exacerbadas. Assim quem sabe todos nós juntos podemos falar “Vergonha Alheia, também sinto”.

- A Praça é Nossa, programa insuportável que tinha antes a finalidade de abrigar grandes humoristas do passado, e continuar-lhes dando emprego e dignidade. Após tantos anos, morreram 90% dos comediantes, mas Silvio Santos não tira o negócio do ar, e a cada vez que vejo aquelas pessoas se esforçando para serem engraçados, eu sinto muito vergonha.

- Susana Vieira e sua insistência. Que insistência? Em ser mocinha, em achar que pode falar o que quiser, por que é dona da verdade.

- Nessa linha vem Jorge Kajurú, Ronaldo Esper, Agnaldo Silva, e a dona baratinha candidata a presidência, Marina Silva.

- Mini Lady Gaga...aquilo é uma aberração. Os pais deviam ser presos.

- Mara Maravilha, Vera Fisher, todos os ex BBBs, todos os ex – A fazenda, e programas de reality.

- Mas dentre esses realitys preciso separar o campeão de vergonha alheia. Um ser obtuso que ainda não encontrou seu caminho, e distribui sua verborragia pelos canais da mídia. Trata-se do pseudo ator Theo Becker. Um coitado que quer aparecer custe o que custar.

Quem quiser pegue o selinho e coloque no blog. Assim quando tivermos cenas ou situações que nos envergonhem podemos mostrar que estamos espertos, e não baixamos nossas cabeças a Vergonha Alheia.

E você, sente vergonha alheia do que, de quem?

Boa segunda, boa semana a todos

Jim Carrey no Sem Tédio

Há resenha minha no Sem Tédio sobre "O Golpista do Ano" ( I Love You Phillip Morris) , novo filme de Jim Carrey.


Obrigado aos que por lá passarem...

AFINIDADES

O que seria “afinidade”?

O significado textual seria: atração
ou gosto natural por uma pessoa, coisa ou idéias. Semelhança ou concordância inerentes ou próximas.


Já mencionei varia vezes a minha capacidade de enxergar o outro de uma forma transparente. Muitas vezes vejo alguém que não me agrada aos olhos, a percepção e por isso logo atiro “ não fui com a cara”. Com o passar dos anos, a gente vai ficando mais velho, e mais sábio...rs rs rs...acreditem os jovens, isso é verdadeiro, e o resultado disso é um “feeling” mais aguçado.

Claro que não acerto 100%, já me enganei em pré julgar alguém. Seria até hipocrisias dizer que isso é errado. Meu, somos humanos, vivemos numa sociedade capitalista, não somos monges budistas que meditam pela paz mundial. Até desejamos, mas não somos assim. E quando eu percebo que a pessoa não é da forma que me chegou aos olhos, faço de tudo para compensar a idéia errônea que fiz dela. Mas garanto, poucas vezes isso aconteceu.

Ter afinidades com outro, não significa concordar com tudo. Tenho afinidades com pessoas que nem sequer compreendo o modo de vida, mas nem por isso deixo de desfrutar de um bom humor afiado, sarcástico da forma que eu gosto. Não deixo de ter amizade com alguém que adora carros, simplesmente por que eu não ligo a mínima para isso, ou outros assuntos irrelevantes para mim.

Mas não consigo ser hipócrita ao ponto de suportar alguém no qual percebi as más intenções, ou um jeito invejoso, ou o que mais me enoja, empáfia. Pessoas assim eu identifico rapidamente, sejam cara a cara, ou mesmo pela internet, como fazemos hoje em dia. Muitas amizades nascem pelo mundo virtual e morrem também.

Poderia citar varias casos, mas vou me ater a dois, um de alguns anos e outro recente.

Quando criei meu blog, saia à caça de outros, lendo, lendo,lendo, por que não sabia ao certo como lidar, como construir amizades através dele. Cai do cavalo em algumas questões, com pessoas, mas entendi o mecanismo disso aqui. De todas as pessoas que me visitavam, acabei por fazer amizade com o Diego (A casa das idéias). Um rapaz bem mais jovem, casado, com filho e morando em Londres. Todas as características para não se fortalecer uma amizade. Mas o tenho com a mais alta estima, como se fosse um irmão caçula. As afinidades que tenho com ele são maiores do que com caras da minha idade. E o que mais admiro é a inteligência e a capacidade de mutação de jovens como ele. A ingenuidade, a pureza de coração e força de construir uma vida ao lado de quem ele ama. Admiro pessoas que se adaptam ao mundo e dele absorve o máximo que pode, vivendo e distribuindo boas energias aos outros. Pessoas assim encontram pares perfeitos. Camila, sua esposa, é o par perfeito de Diego.

Há pouco tempo conheci outra pessoa através do blog, agora com a capacidade de ver os que me segue. Quem esta a par do que componho para esse meu espaço.
As afinidades com essa pessoa são inúmeras, mas ao mesmo tempo não concordamos com as idéias um do outro em alguns casos, mas essa tarefa de tentar entender ou mudar de opinião por que o outro te explica de forma contundente, é o melhor que se tem numa relação entre amigos, mesmo que sejam virtuais. A Dama de Cinza (blogprarelaxar) é assim. Uma pessoa capacitada para falar de tudo, de problemas pessoais a política. Muito me orgulha de tê-la conhecido por aqui, e desfrutar de horas de conversa pelo msn. Seu bom humor, sua forma irônica de falar em seu blog, é acentuada por uma delicadeza de sentimentos na vida real. Pra quem a conhece, sabe que não minto.


Conheço alguns pessoalmente e não preciso falar deles aqui, sabem da minha estima.


Sei que dentre todos que me acompanham, e me orgulho disso, não pelos números, não é por serem mais de 100 que me orgulho, mas por serem pessoas que percebo grandiosas na maneira de escrever de se manifestar, na educação com que expõem suas opiniões. Devem existir outros que teria afinidades, certamente, se assim os conhecesse.

Gostaria de um dia conversar com um por um de todos vocês que me lêem. Algumas pessoas admiro profundamente, mesmo não sabendo nem como é o rosto, de onde vem, onde moram. Mas as palavras chegam e demonstram a capacidade de afinidades que existem entre nós.

Claro, continuo me dando o direito de não sentir atração (não física, rs rs rs rs) mas intelectual, afinitiva por determinadas pessoas, não querendo dizer que não valham a pena, apenas não se encaixam com a minha forma de pensamentos, gostos ou seja lá o que for. Se conhecesse todos pessoalmente poderia até jogar aquela: nossa, não consigo ser amigo, coisa de pele...rs rs rs rs.

Mas a todos vocês que leio que me esforço para deixar um comentário, muitas vezes o dia ocupado me impede disso, saibam que o faço por admiração pura, e sincera. Não sou do tipo que rasga seda ou puxa o saco. Não estou fazendo média e muito menos querendo agradar. Mas agradecer a pessoas anônimas na minha vida, pela gentileza das palavras que deixam, é uma obrigação.

Como prometido, um dia converso com todos vocês, por que o que mais me encanta no ser humano é saber das suas histórias, e claro, pegar um pouco disso tudo para os meus personagens quando escrevo. Pensaram que eu sou bonzinho só? Rs rs rs.

Abraços a todos vocês, e obrigado pela compreensão da minha pessoa.

Bom fim de semana.

A NOVELA DAS 9

Passione completa seu primeiro mês de exibição hoje, 17 de Junho. Então já ta mais do que na hora de fazer um balanço sobre o texto de Silvio de Abreu.

Não escondo minha admiração pelo autor. Construir uma novela não é tarefa fácil, muito menos para o horário das 9, onde segundo as pesquisas, é o momento que família brasileira está reunida. Saber o que colocar no vídeo, dosando e respeitando limites é complicadíssimo.

Desde a década de 80 Silvio de Abreu emplaca sucessivos folhetins, com a formula básica da teledramaturgia, mas com pitadas inovadoras de alguém que não parou no tempo. Alguns “cacos” ou “improvisos” no texto, muito bem colocados pelo autor nos faz rir, pensar e perceber, que alem de um ótimo escritor cômico, também tem seu lado sarcástico.

Compará-lo a Agnaldo Silva é uma covardia, até uma ofensa, por que enquanto Silvio de Abreu esbanja criatividade, bom humor e simpatia, Agnaldo se comporta como uma tia velha solteirona e amargurada, quase um Diego Maradona, critico, irônico e mal educado. Falo de ambos pelo tom de seus textos, sempre voltados a comedia.

Passione tem um grande elenco, não em tamanho, mas em grandeza de estrelas. Ter uma Fernanda Montenegro encabeçando uma trupe é mais do que razão para sentar-se no sofá e absorver sua capacidade cênica, um deleite. Juntando a Tony Ramos, não há o que falar, não há criticas. E ainda temos Vera Holtz, Francisco Cuoco, Aracy Balabanian, Mariana Ximenes. Pra mim, o único porém que desagrada, mas também considero uma cabeça de alfinete perto de tanta coisa boa é a presença da insuportável Carolina Dieckmann.

Se for citar tantos outros jovens atores, praticamente não escrevo um post, e sim o cast da novela. Como a maioria das pessoas ao menos deu uma olhadinha no que se passa, não há necessidade de mencioná-los.

Ontem (quarta-feira) particularmente assisti ao capitulo inteiro. Geralmente estou ocupado nesse horário e vejo partes. Pra quem conhece a dinâmica de uma novela, não há necessidade de segui-la 100%. Mas ontem assisti a tudo e percebi claramente a mudança de rumos da história. Um mês após a estréia o telespectador já se habituou aos personagens, e assim sendo Silvio de Abreu pode iniciar de verdade o exercício de interpretação de seus atores.

Mariana Ximenes numa cena pequena, ao lado de uma estreante deu um show, ao confrontar a personagem de sua avó. Palmas para um talento jovem que esbanja beleza, auto confiança e domínio de cena.
Vera Holtz apesar de grosseira na personagem concentra tudo o que um aprendiz da profissão precisa saber. Dividir a cena com outros de menos talento, ou com menos bagagem. Isso é solidariedade que não se encontra em determinados profissionais.

A linda Maitê Proença, Cauã Reymond, Daniel de Oliveira, Leandra Leal, em suas melhores atuações nos últimos anos. Como é bom ter um texto e direção competentes!

Passione ainda não chegou ao ápice de nos fazer torcer, vibrar, odiar, amar, e sair as ruas comentando sobre o capitulo da véspera, mas tem tudo pra isso. Mentor de João Emanuel Carneiro, Silvio de Abreu já entendeu que a dinâmica acelerada de um texto para o horário das 9 é o que faz a diferença e prende o telespectador. Viver a Vida foi embora da mesma forma que veio, fria. As chamas de uma trama das 9 tem que ser intensas, assim o publico para e presta atenção. Por que convenhamos há outra coisas melhores pra se fazer do que assistir novela.

Sucesso a Passione.


NORMANNNNNNNN !!!!

A câmera subjetiva mostra a casa no alto da colina, um mausoléu típico do interior americano. Lentamente a imagem se desloca em direção ao caminho de pedras que sobe ladeira acima, dando closes na janela do ultimo andar, lúgubre, bruxuleante. Corta para o interior da casa, novamente um acesso dificultoso, uma escadaria de madeira que range enquanto passos curtos sobem. Corta para a porta entreaberta do quarto. Mãos femininas empurram e a pessoa entra, sentada numa cadeira de costas para a entrada se vê o cabelo de uma senhora, maltratado, arrumado num coque. Ao tocar o encosto da cadeira ela se vira e a musica se intensifica no choque horrível de ver aquela mulher mumificada, de peruca, vestida como uma velha. É a mãe de Norman Bates.O clássico de Alfred Hitchcock "Psicose" completa 50 anos em 2010. No meu ver o maior e melhor filme de suspense da história do cinema. Não é a toa que a cena de assassinato com os violinos na melodia crescente enquanto a faca na mão de Norman caminha em direção a moça no banho, é considerada a melhor cena de horror/suspense da história.

Não há necessidade de dissertar sobre a história, acredito que todos a conheçam, e 99% tenham assistido ao filme. Tudo é tão simples e tão perverso ao mesmo tempo. Aquela voz da mãe de Norman o ofendendo por se interessar pela hospede do seu hotel é amedrontador.

Criar uma história atemporal como Psicose é o grande feito dos roteiristas e eternizar as cena de suspense e ainda hoje 50 anos após conseguir criar tensão no espectador é grandioso, é sublime, é genial, e isso só poderia ter partido de Hitchcock.

Pra mim o terror exacerbado como de “Jogos Mortais”, por exemplo, não tem graça. Apesar de não ver por que morro de medo, acho banal. A violência excessiva como pano de fundo para uma história de terror, choca, mas não causa a mesma sensação angustiante que os filmes de Hitchcock assim o faziam. Aquela tensão misturada ao medo, que provoca arrepios e faz suar as mãos dificilmente se vê hoje.

O suspense de Hitchcock permanecia em você por algum tempo. Hoje a violência excessiva tirou de nos o choque, a catarse. Mesmo assim nos anos que sucederam Psicose, alguns mestres do cinema conseguiram seguir a linha e produziram filmes bons como “ O Iluminado” de Jack Nicholson, ou mesmo “Poltergeist o Fenômeno ” de Steven Spielberg no inicio dos anos 80. Ainda na linha, posso citar, “ A Mão que balança o berço”, “ Atração Fatal” e “Cabo do Medo”. Claro que há outros mais aterrorizantes como “ O exorcista”, mas já seguindo a linha de terror.

O que Hitchcock criou pode ser apenas comparado ao que Agatha Christie produziu. Por isso alguns de seus sucessos foram em parceria com a escritora.

Não curto terror. Suspense só se não estiver baseado em absurdos. “Arquivo X” me irrita, por que sempre desbanca para a “piada”. Prefiro as comédias, mas Hitchcock está entre o que mais curto no cinema. As dinâmicas dos seus thrillers alem de inteligentes são de um bom gosto cenográfico que pouco se vê hoje. Levando em consideração a época e os recursos, os filmes de suspense dele são obras primas.

Norman ainda está por aí, com toda a sua Psicose, obedecendo às ordens de sua mãe, matando as “vadias” que passam por seu hotel. Cinqüenta anos após a estréia, Norman continua inteiro, obsessivo, louco, e aterrorizante.

Só perde para o beiçola (A Grande Família), e sua mãe Dona Etelvina, que vira e mexe surge do nada...rs rs rs.

Abração e boa quarta feira

BOTOX + BARBITURICO = NARCISA

Sabe o que quer dizer vergonha alheia? Ela tem um nome: Narcisa Tamborindeguy.

Esse video publicado no santuário internetiano YOU TUBE, mostra uma visita a casa de Narcisa feita por uma reporter do programa Chic (que deve ser de internet tb) por que nunca ouvi falar, apresentado por Gloria Kalil.

Um show de gafes, bobagens, uma cara repuxada, casacos de pele e sua carteira da OAB. Vale prestar atenção no monte de asneiras que ela fala.



Abração e bom jogo. Brasil 2 x 0 Coréia do Norte.

Á Hugo Rafael Chávez Frías

Excelentíssimo senhor presidente da Venezuela, ah...não quero te chamar de excelentíssimo, você não merece.

Venho através dessa carta, dizer que dou graças a Deus de ser um latino americano, mas nascido no Brasil, que nem por sonho neste momento quereria ser Venezuelano.

Me envergonha o fato de ter o mesmo nome que você ( te chamo de você, como já deixei claro, não te respeito como presidente), e ver claramente se repetir num país tão lindo como a Venezuela os erros que o Brasil amarga desde décadas de 60 e 70, quando militares déspotas tiraram o direito do povo de ser livre.

Até quando acreditará que o seu governo de “socialismo do século XXI”, conseguirá se sustentar aos pés de um mundo globalizado. Até quando acha que a nação Venezuelana agüentará, calada, sua megalomania ditatorial?

Fechar emissoras de TV e prender seus donos parece fácil. Amedrontar o povo, com ameaças de prisão, talvez de tortura também pareça saudável aos seus olhos, mas como a própria história nos mostra, não há ditador sanguinolento, arrogante que consiga se manter no poder por tanto tempo.

Sua retórica bolivarista só serve para mascarar suas mazelas, apoiando-se no personagem sagrado e venerado do povo querendo se igualar ao ídolo, querendo ser um ídolo...Pô se enxerga cucaratcho. Não passa de um bufão, mal vestido e chato.

Tivemos um tipo como você por aqui em nossa breve história democrática. Sua postura empinada, seu nariz cheirando a pum o tempo todo, me faz lembrar aquele que caçava marajás, que construiu jardins faraônicos, que cuspia na câmera com sua fúria descontrolada e teatral. Lembra o que aconteceu com ele? Pois é, o povo quis, até um tanto manipulado, mas conseguiu colocá-lo pra fora.

Espero que os venezuelanos quando assim o fizerem com você, não tenham a memória curta e o deixem voltar, como fizeram com o nosso incompetente e arrogante ex-presidente.

Que pena sinto da nação Venezuelana que não consegue enxergar, ou tomar as rédeas e gritar aos quatro ventos que estão infelizes com seu governo. Fidel Castro sempre mostrou ao mundo uma imagem deturpada de Cuba, mas até ele, antes intocável, imortal, já finda sem forças, apenas um personagem ensandecido e caquético. Assim o será também. O mundo muda, os povos evoluem, a globalização que tanto combate está nas soleiras das portas de Caracas, alias, sendo infame na piadinha, tu é chato pra Caracas....rs

Sou bem mais novo que você xará, e tranqüilamente verei seu fim político. Quando isso acontecer vou certamente querer conhecer a Venezuela, e sentir o cheiro da liberdade, da livre expressão, o cheiro de um povo feliz.

Não aperto sua mão, não te reverencio, não te respeito. Um político que oprime um povo em pleno século XXI não merece que tenhamos um mínimo de consideração, de nada. Pergunto: onde acha que chegará com seus ideais? Destruir os EUA, pra mim isso é dor de cotovelo.

Sabe, tenho mais o que fazer, já disse o que queria, e quero que você se exploda. Mas vai explodir longe ta, não vem pro Brasil, não quero que respingue merda na janela de casa.
Tenho dito

O ANJO PORNOGRAFICO

Como diz o cabeçalho do meu blog “ Falo o que penso, compartilho do que gosto”. Por isso hoje quero falar de uma das minhas paixões literárias que tanto contribuiu para a dramaturgia nacional.
Quero falar de Nelson Rodrigues.
Fico surpreso de saber como tantas pessoas não conhecem o trabalho de um dos maiores escritores do nosso pais, um divisor de águas do teatro moderno, um ser humano conturbado, com uma história de vida cheia de desgraças, mas que nunca deixou-se abater e produziu uma vasta obra literária disponível a todos nós e tão pouco aproveitada pelos jovens de hoje.

Há uma imagem errônea de Nelson visto por muitos brasileiros. Como descrito em sua biografia muito bem elaborada por Ruy Castro intitulada “ O anjo Pornográfico”, fica muito bem demonstrado que o dramaturgo inteligentíssimo de pornográfico não tinha nada. Era um homem que falava da sociedade e cutucava a ferida de uma classe media alta, que se escondia, ou melhor, jogava para debaixo do tapete suas mazelas, e no intimo da família um pai, um marido austero, um profissional competente, cercado de tragédias.

Minha paixão por sua obra começou quando tinha 15 anos e li uma edição antiqüíssima de “Bonitinha, mas ordinária”. Daí pra frente li quase tudo o que escreveu, e me fez perceber que o cinema nacional deturpou grande parte da sua obra, transformando-a numa pornochanchada desmesurada. Indico como uma primeira leitura a quem quer conhecer o seu trabalho, os contos reunidos em “ A vida como ela é”, que também teve parte dos textos apresentados num quadro do Fantástico com brilhantes interpretações.

Nelson Rodrigues criou personagens e histórias brilhantes, expôs sua vida, seus amores e desamores, viveu intensamente e nos deixou no fim de 1980. Esse ano completando 30 anos de sua morte gostaria que o cinema, a TV e o teatro novamente reproduzissem obras espetaculares como “ a dama do lotação”, “ perdoa-me por me traíres”, “beijo no asfalto”, e tantos outros.

Alguns anos atrás separei algumas frases de Nelson que compunham um livro chamado “Flor de obsessão”, e criei uma coletânea de cinco contos intitulado “ Cinco minutos para pecar” e hoje peço licença para publicar um deles aqui no blog. Infelizmente os textos são de 3 laudas, e ficam enormes quando publicados num blog, por isso recomendo, a quem não tiver paciência de ler, que fique por aqui, com meu agradecimento e a dica de que : leiam Nelson Rodrigues, vale muito a pena. Abração.

O ESPECTRO

“AS MOTAS NÃO TRAEM...”


(Nelson Rodrigues – Flor de Obsessão)



Edinaide subiu a rua carregando vários pacotes sem ao menos conseguir olhar por onde andava. Atrás vinha Cleoberto fumando seu cigarro de menta na piteira inglesa que ganhara de um cliente. A cada passo empurrava a mulher para que andasse mais rápido. De longe as senhoras da vizinhança criticavam aquele homem bruto. Uma mocinha tão delicada e casada com um verme como aquele. Que tristeza sentia a mãe da pobrezinha comentavam as fofoqueiras.

Realmente dona Gracileide tinha uma tristeza profunda em ver Edinaide casada com aquele elemento, um troglodita. Quando receberam o pedido de casamento no jantar de sete de setembro, os pais nunca poderiam imaginar que aquele cavalheiro perfumado que dera uma aliança de diamantes para filha se tornasse um ser escabroso como, mal humorado e cafajeste.

Edinaide era filha única e nascera em berço esplêndido. Não era de ouro, mas teve em toda sua existência, até o casamento, tudo o que uma mulher pudesse desejar. Era linda, tinha os olhos amendoados com uma safira a luzir dentro. Os lábios grossos e os dentes numa arcada perfeita lhe cintilavam à luz como marfim. Os seios firmes e o quadril bem feito faziam par com lindas pernas torneadas pelos deuses. Os pés...Ah!!! Os pés de Edinaide. Nem Cinderela tinha pés tão lindos como os dela. Mas tudo isso pertencia exclusivamente a Cleoberto. Este pouco satisfeito jurava que um dia ainda melhoraria a aparência da esposa.

Na verdade Cleoberto tinha uma obsessão compulsiva sobre a beleza da esposa. Tinha plena e total certeza de sua beldade, tanto que andava atrás da esposa para ver se alguém que passasse de encontro a eles olharia para ela. Era um modo de se certificar se olhava ou não para outros homens. Quando saia para o trabalho, trancava a pobrezinha em casa e levava as chaves. Ela às vezes aparecia por entre a grade, mas logo entrava. Tinha receio que o marido chegasse e a visse no portão. As vizinhas se compadeciam dela, mas nada podiam fazer para ajudar. O padre da paróquia disse que ninguém podia se intrometer.

Cleoberto do escritório ligava dezenas de vezes durante o dia para saber o que a mulher estava fazendo. Ai dela se demorasse mais que dois toques para atender ao telefone. Muitas vezes podia-se ver a patética cena de Edinaide plantada sem calça na sala segurando o gancho do telefone numa mão e noutra um tucho de papel higiênico. Nem as necessidades básicas a pobre coitada tinha tempo para fazer. Cozinhava e passava, além de lavar, cerzir e inventar formas de agradar o maridinho. Confeccionava roupas masculinas com grande apresso e trazia Cleoberto numa elegância de lorde. E mesmo assim ele ainda desconfiava que Edinaide passava o dia a pensar besteiras. Dizia aos amigos que mulher que fica em casa sem ter o que fazer pensa bobagens e acaba por colocar galhos na cabeça do coitado do marido. Mas a pobrezinha da Edinaide amava Cleoberto como louca. Não dormia e nem respirava se o marido não estivesse por perto ou lhe dando ordens para tal. Vivia para ele e rezava todas as noites pedindo que ela morresse antes, por que não resistiria viver num mundo sem o marido.

Na missa dos domingos o casal desfilava de braços dados para que os homens vissem que aquela mulher tinha dono. Não permitia que ninguém se aproximasse e os cumprimentos eram respondidos apenas por ele. Edinaide mantinha a cabeça baixa e não encarava ninguém. Quando passavam da praça, ele a empurrava para frente. Caminhava atrás entre uma cusparada e outra, mandando que andasse mais depressa.

E são inacreditáveis as histórias da vida. Não é que um infeliz do escritório, certa tarde coloca uma pulga atrás da orelha de Cleoberto. É, o pulha do Reginaldinho, soltou na mesa do café, que mulher quietinha que fica o dia todo dentro de casa esperando o marido, recebe sempre o amante pelas portas do fundo. Sim a maioria trai e ele mesmo, cansara de entrar pela cozinha.

Aquela tarde demorou a passar e foram um total de quinze telefonemas para Edinaide até Cleoberto chegar em casa. Quando entrou, nem um beijo de boa noite deu na esposa. Correu a casa cheirando o ar, desconfiado de que alguém estivera ali. Sem entender Edinaide perguntava o que estava acontecendo. Vendo o papel ridículo que estava fazendo em frente à esposa, Cleoberto sorriu amarelo e foi tomar banho.

Durante o jantar ficou observando a esposa para ver se percebia algo de traição em seu rosto. De tempos em tempos ela o olhava e sorria. Na sua mente ele raciocinava se aquele sorriso não era um modo de disfarçar o adultério. Os cabelos de Edinaide estavam arrumados de forma diferente e isso podia ser uma prova de que alguém estivera na casa e antes dele chegar. Na pressa ela devia ter amarrado de outra forma. Ou podia ser também que estivesse interessada por outro homem e estava se embelezando para ele. Mas isso jamais aconteceria. Deste dia em diante ela ficaria feia, para que nenhum homem a desejasse mais.

O primeiro passo de Cleoberto foi despejar na pia do banheiro todos os xampus e cremes para cabelo. Se o bonitão que a visitasse gostava de cabelos sedosos, que procurasse em outras bandas. Sem entender o que estava acontecendo, Edinaide acabou aceitando sem questionar muito. Passaria a lavar seus cabelos longos com ervas que cultivava no quintal. Mas por pouco tempo, porque três dias depois a levou numa cabeleireira e as madeixas lindas de Edinaide transformaram-se num corte de dois dedos do couro cabeludo. Quando saíram do salão, ele sorria e ela podia ser confundida com um rapaz adolescente.

E assim a rotina seguiu por meses. Ele chegando em horas variadas para tentar surpreende-la no ato de adultério ou tirando-lhe a beleza que Deus com tanto cuidado lhe havia concedido. Os batons, pós-compactos e esmaltes sumiram daquela casa e nem mesmo as revistas de moda pode comprar mais. A pobre coitada passava o dia a cantarolar musicas religiosa. Aos domingos assistia a missa pela televisão.

Cleoberto não queria mais que saísse de casa. Achava que se insinuava para o capelão na saída da reza. A vida de Edinaide resumiu-se em cozinhar para o marido. O telefone foi desligado e o radio quebrado numa estação evangélica. Tinha certeza que se passasse o dia ouvindo mensagens de Deus, não teria chance de traí-lo.

A cartada final veio quando Cleoberto resolveu que as curvas do corpo de Edinaide estavam provocando demais os homens. Mas que homens? Sendo que ela não saia de casa. Mas o marido insistia em um regime de pão e mel. No jantar ele degustava as costelinhas de porco que trazia, enquanto a esposa digeria um angu de fubá e café preto.

Não demorou para que a pobre perdesse, cinco, dez, vinte e oito quilos. Tornou-se um espectro andando na casa. A pele numa tonalidade acinzentada e os lábios murchos davam-lhe a aparência de uma velha centenária. As unhas cresciam e os cabelos caiam.

Era impressionante ver Edinaide. Os pais não podiam visitá-la e nem mesmo Cleoberto conversava com a esposa. Ela passava boa parte do dia deitada na cama, sem forças para levantar-se. À noite tentava sorrir quando lhe servia a comida, mas os dentes também enfraqueciam e sentia dores horríveis no corpo.

Mas o cretino do Reginaldinho continuava a falar sobre mulheres que traiam, e Cleoberto escutava com uma ânsia inimaginável. Fantasiava sua mulher com outros homens deitada na areia da praia, sobre a boléia de caminhões, dentro de piscinas de água quente. Eram imagens que o perturbavam. E em casa a indefesa Edinaide esperava entre imagens de santos a hora de se livrar de seu martírio. Sabia que o marido a judiava por pensar que o enganava. Depois de tanto tempo percebera a intenção dele e já não suportando mais, colocou debaixo da cama sapatos de um outro homem. Conseguiu a duras penas pular na casa do vizinho e roubando-lhe o objeto do vestuário escondeu-o para que Cleoberto achasse. Sabia que o marido sempre procurava alguma coisa e queria que achasse. Talvez assim a abandonasse e bem ou mal viveria em paz.

Aquela noite quando saiu do banho e abaixou-se para pegar o chinelo deparou-se com o par de botinas pretas sob o seu leito conjugal. Incrédulo permaneceu boquiaberto olhando o artefato de couro que estava a um palmo do seu rosto. Fez uma pequena poça de bába no chão. Levantou-se silenciosamente e foi até a sala. Parou e observou a esposa costurando um lençol.

Ela estava sorridente. Ele percebeu que havia conspurcado com algum macho na cama onde dormiram uma vida toda. Reginaldinho tinha razão. As esposas que ficam sozinhas em casa o dia todo traem seus maridos na própria cama onde se entregam à noite no cumprimento do matrimônio. Ela sujara a cama e isso devia ter acontecido milhares de vezes. Era uma ordinária que trazia elementos do sexo oposto para deleitar-se em sua luxuriosa ânsia de pecar. Vagabunda!

Sentado a mesa de jantar pensava em surrá-la, mas ao mesmo tempo queria amá-la. O que os homens com quem ela dormia sentiam sabendo que era casada? Será que a possuíam pensando nele? Era uma impura, uma mulher que qualquer homem quereria para uma noite de sodomia. Cleoberto sentiu um desejo pela esposa incontrolável. Queria possuí-la e foi o que fez. Correu na sala e atirou-se sobre ela rasgando a camisola e deixando exposto o corpo esquelético de Edinaide. Sem reagir ela entregou-se a ele com volúpia. Rolaram entre almofadas sobre o carpete da sala de estar. Amaram-se como animais. Satisfeito Cleoberto levantou-se e foi ao quarto. Quando voltou ela se arrumava agachada perto do sofá. Ele se aproximou e apontou seu revólver para o peito de Edinaide. Sem reação a pobre levou três tiros que lhe tiraram a vida instantaneamente. Cleoberto soprou o cano da arma em meio a gritos de vizinhos na porta. Olhou o cadáver da mulher e disse a si. – “Pronto! Está feito! Pelos menos as mortas não traem...”

Fim

CD Romantico

Terminando a semana romântica, açucarada, fiz compilação de musiquinhas melosas para o dia dos namorados.

Na verdade não sabia ao certo se as pessoas fazem download dos meus Cds, mas verificando o histórico no 4shared, fiquei surpreso de ver que dos 6 Cds colocados, todos tiveram uma média de 15 downloads, perdendo para o de Musicas bregas que teve o Recorde de “27” acessos e downloads...por isso eu digo, o povo é romântico, e ser romântico as vezes é brega, e ser brega é ÓTIMO...rs rs rs.

Sobre o Cd “Amor” publicado hoje, gostaria de fazer um breve histórico dele. Abro a coletânea com minha musa inspiradora de muitas horas de trabalho, a quem ouvi exaustivamente enquanto projetava, por que sua voz é inconfundível, e digo que não to nem aí pra vida pessoal dela. Falo de Amy Winehouse.

Para o grande clássico de Frank Sinatra My Way, fiz questão de colocar a versão de Il Divo, por que esses moleques tem vozez absurdas, e a musica ficou realmente bacana. No mais, Elton John, Joe Cocker, Aerosmith, Chris de Burgh ( um cara lá dos anos 80), Manhattans, ainda com Lionel Ritchie, que ganhou uma versão linda do seu sucesso “Hello” na voz dos cantores de Glee, e algumas outras estrelas da musica compõe essa coletânea escolhida a dedo.

A idéia inicial era postar um Cd de românticas nacional e outro internacional, como em novela, mas achei que o povo não ia escutar tudo, então, vai primeiro esse...e dependendo do interesse, daqui umas semanas coloco o nacional.
A maioria das musicas são bem conhecidas dos que passaram dos 30, mas baladas são eternas, então há regravações de alguns clássicos feitos pela molecada de hoje.

O Cd é para escutar a dois, sozinho, pra curtir momentos de fossa e dor de cotovelo, enfim, musica romântica serve para todos os momentos, àqueles que se dispõe a ouvir, não só escutar.

PARA DOWNLOAD, BASTA CLICAR AQUI: ROMANTICAS.

Boa sexta-feira, feliz dia dos namorados

AS TECNOLOGIAS DO AMOR

Lembro quando criança que existiam revistas com classificados amorosos no fim das paginas, ou até mesmo algumas especializadas nesse assunto. Muitas mulheres e homens da geração dos meus pais se utilizaram desse recurso (que era o que tinha pro momento) para encontrar sua cara metade.

Minha memória ainda guardar lances desses subterfúgios românticos. Era um tiro no escuro. Os anúncios vinham com endereço de correspondência, sempre caixa postal, para onde os interessados enviavam suas descrições pessoais e se interessasse, então passavam a trocar cartas. Há dezenas, centenas de casais que se conheceram assim. A prima de uma amiga, já beirando os 40 anos, solteira, após um ano de trocas intensas de correspondências com um italiano, o conheceu no Brasil, se apaixonou ainda mais, casou-se e é feliz há muitos anos com ele na Itália.

Entre o fim da década de 80 e inicio de 90 surgiu o conhecido “disque amizade”, uma forma mais simples e direta de se encontrar um par romântico. Pessoas passavam horas em salas que eram divididas em até 20 canais. Ali as pessoas se encontravam, trocavam números de telefone e mais tarde acabavam por se conhecer pessoalmente. Certeza que os trintões lembram...rs

Claro que isso sempre foi uma coisa a margem a sociedade. Mulheres que pregavam a moral e o bom costume, achavam que encontrar um pretendente através de anúncios, por telefone que fosse, era algo inadmissível pela exposição direta. Garanto que muitas mulheres ficaram sozinhas por conta disso.

Com o advento da internet vieram às salas de bate papo, os “chats” que proporcionaram o primeiro boom da história dos relacionamentos amorosos. Em meados de 1997, 98 os chats eram basicamente usados para esse fim. Conhecer, papear e depois namorar foi uma forma mais fácil de busca o que ajudou demais pessoas tímidas.

Mas como tudo acaba se corrompendo, as salas de bate papo hoje são um misto de putaria, esconderijo para pessoas retraídas, pedofilia, etc. Pequena parte dos freqüentadores está ali com a finalidade de encontrar um par romântico. O bom é que há uma certa organização nos sites, existem salas destinadas a cada tipo de interesse.

Vasculhando o “uol” para poder escrever esse texto, fui a um tópico onde tinham salas abertas por assinantes, e confesso que ri dos títulos propostos como: “casadas querem negros já”, ou “crentes dão tudo”, “Heteros de calcinha”...rs rs rs. Um tanto quanto infame.

Mas o teor desse post é o seguinte: O amor nasce em lugares inexplicáveis, desde que o coração permita.

Minha idéia de romance via internet era bem deturpada e achava que isso jamais renderia boas histórias de amor. Acreditava que os encontros baseavam-se em sexo e tchau. Uma forma simples de relacionamento sem compromisso. Mas hoje tenho a certeza de estar enganado.

Claro que há sim, a facilidade do encontro casual, que gera sexo e esse tchau até nunca mais. Mas tem também as almas que se encontram que se amam, e eternizam isso em belos relacionamentos coroados de filhos.

A internet é o “bailinho, a “matinê dançante” do domingo do século 21, que eram locais onde se podia encontrar um par, paquerar e quem sabe arrumar alguém para namorar. Hoje há a possibilidade de se ver a pessoa, através de fotos, câmera e tudo mais que facilite a escolha daquele(a) que preenche suas expectativa pelas inúmeras coisas em comum. Não há mais encontros às cegas. Quem o faz, é por conta e risco. A sensação de receber uma carta do pretendente é tão emocionante quanto abrir a caixa postal de e-mail e ver que escreveram pra você.


O amor digital tem feito muitas pessoas felizes. Mulheres e homens tímidos se encontram dentro de seus mundos e personalidades em comum. Isso é o bonito. Não há casamentos arranjados, não há famílias escolhendo pretendentes para os filhos. Pelo menos não em nossa cultura ocidental.

Já existe a geração dos filhos do relacionamento virtual. Caras metades que se encontraram numa telinha, se apaixonaram e vivem felizes, graças a tecnologia.

Nas décadas passadas um rapaz gay se trancava dentro de uma redoma e de lá saia para casar com alguma menina que a mãe achou interessante. A coragem de se declarar ficava presa na garganta. Muitos casamentos infelizes, com homens sucumbindo à vontade de se relacionar com outro homem, já com filhos grandes, netos, e uma pseudo vida estável povoaram as cidades das gerações passadas.

Há tantos casais gays que se uniram, graças à internet.


Não sei o que o futuro reserva para que o ser humano consiga encontrar sua cara metade, mas uma coisa eu sei, está muito mais fácil, muito mais tranqüilo, desde que se proponham a achar a pessoa certa. A internet é uma ferramenta de corte duplo, tanto pode te trazer felicidade, como grandes decepções.

É só se cuidar. Não se expor demais, e quando achar que deve deixar o coração aberto a novas paixões.

Felicidades aos casais, aos namorados que um dia foram virtuais.

Pra quem não está namorando...corre que ainda da tempo. Sabadão ta chegando!!
Abraço a todos.

DE NOVO NO "SEM TÉDIO

Há uma resenha sobre o filme Príncipe da Pérsia - As areais do Tempo no Sem Tédio. Quem quiser ver o meu ponto de vista sobre o assunto, o texto de lá fui eu que escrevi.
Obrigado a quem visitar.

REGRESSO

Lendo o ultimo post da Andrea Pagano (blogandreapagano) vi alguns bilhetinhos que a filha Pietra escreveu para a mãe e o pai, e me veio o pensamento: Na infância, o primeiro grande amor de nossas vidas são os pais.

Quando o pai volta do trabalho, o filho o espera com bracinhos abertos emocionado por que está retornando. Mesmo que seja de apenas um dia de trabalho.

Quando adultos, encontramos as almas que nos completam e o grande amor da sua vida muda, ele passa a ser aquela pessoa, pela qual não se concebe a idéia de viver sem.

Nascem os filhos, e o grande amor da sua vida passa a ser aquele a quem gerou, o ser dependente que te fará preocupado por toda uma existência.

Se na infância o retorno breve de um pai e uma mãe parece festa com fogos, imagine a emoção daqueles que não sabem se o amor da sua vida um dia retornará...

O vídeo abaixo, acredito, mostra um pouco do que digo.


Graças, que não somos um pais em guerra.

abração...boa quarta-feira

VIVER

A vida é a infância da nossa imortalidade." (Goethe)

Engraçado como um bebê nos faz refletir sobre a vida, sobre o que somos e pra que viemos. Dias desses fui visitar amigos que estão com um bebê de pouco mais de um mês. Aquela coisinha tão frágil, mas de uma força vital tão imensamente grandiosa (sim, usei um pleonasmo), que sobrevive apenas de leite, de um banho na hora certa, e de amor. Por que é assim que se inicia a vida, sendo amado.

Ainda bem que nascemos das mulheres, que são os seres que amam com mais facilidade e se dedicam a outros com altruísmo inegavel. Homens podem criar filhos melhores que uma mulher, mas tê-los, duvido que o fizessem bem.

Sinto pena daquela mulher que maltrata os filhos, que os tem para descarregar as frustrações de uma vida infeliz. As mulheres que sucumbem as leis da comunidade que está inserida e geram crianças renegadas apenas para cumprir os dogmas sociais. Ou aquelas que buscam na adoção uma forma de suprir seus insucessos, como há pouco vimos naquela demente maltratando a menina de 2 anos. Infelizes seres sem amor.

A vida é tão simples e tão fácil de viver. É tão sublime segurar um bebê no colo, e sentir sua respiração ofegante com o coraçãozinho acelerado. Posso afirmar que essa percepção é pra poucos, apenas aqueles que se dispõe a enxergar que o inicio de uma vida é mais que um milagre, é a constatação de uma presença superior. Triste para quem não vê na infância o dom divino da vida.

Tive alguns dias atrás numa chácara para um aniversario. Só amigos reunidos, pessoas do circulo de amizade que mais preso. Fui dar uma fuçada na propriedade, coisa de arquiteto chato e achei dentro de um deposito, que estava com um vidro da porta quebrado, esses bichinhos de olhar comovente. As fotos são da minha maquina. Essas carinhas comovem.

Eram cinco gatinhos, filhotes saudáveis de uma gata que no momento estava ausente, ao certo procurando comida para no final do dia estar forte e amamentar suas crias sedentas de leite.

A vida animal, humana, extraterrestre que seja...rs, merece mais que o respeito, merece o conforto, a mão estendida, o carinho nos momentos apropriados. Como é difícil gostar das pessoas, sem que elas não te dêem subsídios para isso.

Confesso que muitas vezes me sinto irritado com as pessoas, pelo simples fato delas serem insuportáveis na essência. É tão facil dar um sorriso amigo. Eu sou aberto a amizades, a criar vínculos, mas nos últimos tempos tem sido difícil. Todos põem interesses materiais acima do carinho, da amizade.
Viver é tão natural, cuidar de um filhote de um bebê é tão generoso. Por que as pessoas insistem em se fechar nos seus mundos e não dar a mão ao aperto, o ombro ao abraço sincero. Não precisamos ter filhos, não precisamos criar animaizinhos, basta que respeitemos e sejamos solidários. Quem sabe num natal presentear uma criança carente, ou ir a um asilo dar carinho a alguém que não tem mais esperanças e ja divisou um breve fim, triste e inevitavel. Por que não fazemos isso? O que há de errado conosco? Será que não há amor suficiente para dedicar a outros, a cota é tão pequena que alimenta apenas a nós mesmos...isso é triste!

"Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. (Oscar Wilde)

Abração a todos. Bom terça -feira.

UM PELINHO AQUI, OUTRA ACOLÁ!!!

Algumas profissões inevitavelmente põe em evidencia partes do nosso corpo, que entendamos, precisam estar de acordo para a apresentação ao cliente, ao publico ou simplesmente para causar uma boa impressão. Acreditando sempre que não há uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão.

Arquitetos quando se reúnem com o cliente, quando apresentam um projeto deixam em primeiro plano suas mãos, que deslizam sobre as folhas desenhadas indicando caminhos, ambientes, e tudo que está na concepção de sua idéia. Logo, mulheres principalmente, percebem se você é uma pessoa asseada, que se preocupa com visual. Preocupação básica, nada de exageros. O que consiste em unhas limpas, cortadas não roídas, mãos lavadas e bem tratadas. Mãos peludas demais espantam qualquer um, principalmente hoje que todos associam pêlos a Tony Ramos. Logo o apelido cola se o sujeito for um macaco ambulante.

Não existe nada mais desagradável do que mãos excessivamente peludas. Pense bem: Ir a uma padaria, e ver o atendente colocando a mão cabeluda dentro da estufa de pães. Vai me dizer que ele estará de luvas e isso e aquilo. Ok...em algumas padarias mais sofisticadas até pode ser, mas na maioria das vezes você vê o sujeito pegando pães, frios e afins com aquelas mãos de macaco, deixando cair pelos sobre o alimento que irá consumir.

Duvido que numa cozinha de restaurante o peludashi cobre as mãos na hora de amassar um Kibe. Imaginem nos restaurantes árabes que o cara é etnicamente peludo.

Uma amiga certa vez (história verídica) estava no refeitório da IBM em Campinas e comeu uma unha cortada gigante, com esmalte e tudo. Ao devolver a bandeja, viu que uma das mocinhas que serviam estava com a unha do dedinho quebrada e as outras todas enormes e de esmalte vermelho. Entendem o cuidado que digo ao ser servido por alguém peludo? Se caem unhas imaginem pêlos.

Tive um professor que era extremamente cabeludo em todo o seu corpo. Os braços eram escuros com pêlos enormes e lisos. O bigode cobria-lhe até o lábio inferior, a camiseta ficava estufada no pescoço com tuchos gigantes quase chegando ao queixo. Moral da história, nossas folhas de projeto ficavam cobertas de pêlos nojentos que caiam do seu corpo. As orelhas tinham chumaços que pareciam cobertas de teia de aranha, não sei explicar, mas no meio dos pelos negros, tinham fios que brilhavam. Aposto que ali moravam aranhinhas felizes...rs.

Claudia Ohana ao ser fotografada na década de 80 para a Playboy mostrou toda uma mata atlântica sem depredação e desmatamento que até hoje é lembrada por muitos homens, mulheres e a imprensa. Ficou taxada de peluda, e ninguém mais esqueceu.

O asseio com os pêlos é imprescindível para todos. Médicos não podem ter pêlos gigantes, principalmente os cirurgiões...rs rs rs. Por mais que se cubram, cairá um pelinho ou outro dentro do paciente numa mesa de cirurgia.

Edu Guedes que apresenta a parte culinária do programa “Hoje em Dia” da Record tem as mãos depiladas na altura do pulso. Ele é um sujeito cabeludo, mas a medida tomada higienicamente não é legal na sua estética por que fica uma faixa estranha, mas pelo menos sabemos que ele não mistura cabelos do seu corpo aos pratos que prepara.

Certa vez aqui em Campinas esperando mesa numa pizzaria (uma das mais bem frequentadas, em bairro nobre) fiquei parado ao lado da cozinha, que era toda de vidro, para aguardar ser chamado e enquanto isso ver com o pizzaiolo fazia seu trabalho. Bem, ele amassava, abria, jogava a massa pra cima fazendo malabares, e por fim apoiava o disco no seu antebraço. Só que era extremamente peludo, e aquela massa descansava sobre uma almofada de pêlos negros todo cobertos de farinha de trigo. Uma das coisas mais nojentas que vi até hoje. Como comer uma pizza que você sabe, foi esfregada num cobertor de pêlos temperados com oregano? me diz!!!...rs rs rs

Como disse certas profissões requerem que o sujeito cuide de sua aparência ou da saúde para causar boa impressão. Um cardiologista fumante não pega bem assim como um endocrinologista obeso, uma esteticista cheia de espinhas no rosto, um advogado sem gel nos cabelos puxados para trás, um dentista com mau hálito, uma costureira com roupas desgrenhadas, um analista de sistemas que não mexe em computador, um bombeiro que tem medo de fogo, um publicitário sem rabo de cavalo, um vendedor que usa as roupas da loja são exemplos do que não gostaríamos de ver nos profissionais que nos atendem.A medicina estética ta aí pra ajudar com os lasers e tudo mais, e se não for “homem” de freqüentar esses lugares, uma boa maquina de cabelo pode ajudar a transformar a aparência em algo mais apresentável. E por favor, não venha dizer que isso não é coisa de macho. Nos dias de hoje,o “macho” neandertal é um bicho em processo de extinção. Se não pelo bem das mulheres, que seja pelo bem da profissão que nos cuidemos. Sei que alguns homens curtem os “ursões”...rs rs rs...mas aí já é um outro assunto.
Ta dito.

Abração e bom dia.