ANO QUE VEM TEM MAIS


Ontem me reuni com amigos para assistir a final do BBB10. Antes de falar mais sobre o assunto quero mencionar um comentário feito a minha amiga. Ela é fisioterapeuta dermato funcional, e trabalha numa renomada clinica de cirurgia plástica de Campinas. Ao ouvi-la conversando comigo no telefone, uma funcionária que (não sei explicar direito o que faz, mas dentre as profissionais que atuam no local, é a que não tem formação especifica), enfim ela fez o seguinte comentário:
- Não acredito que você está combinando de assistir a final do BBB. Que horror, achei que você era mais inteligente, que decepção.
Péééééééééééééé....comentário totalmente imbecil.
Onde há um divisor que indique que quem assiste a um programa popular de grande audiência pode ser considerado mais ou menos inteligente. Nas ultimas semanas em qualquer roda de amigos, reuniões familiares e etc, o assunto girava em torno do Big Brother. As pessoas podem não acompanhar a edição inteira, mas é interessante saber o que se passa em sua volta.
Não me considero menos inteligente por ter assistido a edição 10, que foi a melhor já produzida. Se os personagens não agradaram, não foram tão bem escolhidos, paciência. Numa novela, como “Viver a Vida”, por exemplo, há grandes atores que não combinaram com os personagens. Por isso devemos atacar o autor, o diretor ou avacalhar a emissora? Ou simplesmente dizer que ver novela ( uma tradição nacional, que nos rende frutos no exterior) é coisa de burro?
Me desculpem os intelectualoides que se julgam acima da massa. Existem lixos na TV aberta e paga, que realmente poderiam deixar de existir, mas como saber se ele é lixo, se não se assiste para opinar? Para uma pessoa criticar um programa visto por milhões de brasileiros, e defini-lo como porcaria, tem no mínimo que estar acima de um imortal da academia brasileira de letras, e acredito nem assim terá o direito de tal ação. No minha opinião ler Paulo Coelho é perda de tempo, mas nem por isso saio atacando os leitores, e muito menos o autor.
Pensemos no que representa o programa em relação à mídia. Não estou falando dos integrantes do programa, escolhidos pela direção, estou falando da produção, dos profissionais envolvidos por pouco mais de quatro meses na elaboração de tudo isso. Levar ao ar um programa diário, onde pessoas comuns se degladiam pelo premio de um milhão e meio, tendo que atrair a atenção do publico, formar opiniões que levem esse mesmo publico a interagir votando, opinando, não é fácil.
Não é uma tarefa simples que pode ser simplificada por uma expressão “isso tudo é um lixo”. Respeitemos os profissionais que constroem esse circo de emoções humanas, respeitemos também os anunciantes, as grandes empresas que apostam no conteúdo do programa e colocam lá suas marcas estampadas a exaustão para que o público veja que também fazem parte.
E por fim respeitemos milhões de telespectadores, que sentam todos os dias em frente a TV, por três meses e se divertem com seus semelhantes, chorando, se divertindo, sendo colocados ao extremo das emoções.
O ser humano é brilhante, mesmo quando não oferece nada em troca. Analisá-lo é uma tarefa deliciosa. Ver como interagem pessoas tão diferentes entre si, mas tão iguais nos propósitos é gratificante. Concordar com os vencedores, é um porém que me reservo o direito de não comentar. Se milhões acham que alguém merece um premio, alguma coisa há por trás disso, que deve ser analisado. Temos um presidente eleito por uma margem gigantesca de votos. Se o homem é bom ou não, a estabilidade econômica que vivemos pode explicar. Mas política é um tema que não discuto. Cada um tem sua opinião.
Aos que não assistiram o BBB, lamento muito terem ficado alienados pelos últimos três meses. Garanto que em muitas ocasiões ficaram quietos quando se juntaram a uma roda de amigos. Lamento o gosto de palha seca na boca, enquanto nós outros nos fartávamos com deliciosas guloseimas.
Ano que vem tem mais. Só rogo para que não apareçam mais personagens como o “Max”, que é realmente o que tira o prestigio do programa. Que Boninho tenha lucidez ao escolher os participantes.
É isso...boa quarta-feira a todos.

UM SER CRIANÇA

Adoro a espontaneidade de uma criança. Me divirto muito conversando, tentando entender a ótica que elas enxergam o mundo, e a simplicidade com que definem as coisas em volta.
Uma criança de 4 anos não te ama, segundo educadores, os sentimentos ainda não estão totalmente definidos, para eles gostar, é puro interesse. Você os trata bem, dá o que eles necessitam, eles então gostam. É muito comum em crianças de 2 ou 3 anos, dizerem que não gostam da mãe ou pai por que levaram uma bronca. Mães se desesperam com isso.
Mas o motivo do post é sobre crianças que aparecem na TV. De pronto, achamos bonitinhas, engraçadas, mas aos poucos percebemos o que de monstruoso fazem com elas.
Começando por Maisa, a nossa Shirley Temple tupiniquim. Se compararem as fotos veremos que a semelhança é enorme. A pobre garota prodígio do cinema cresceu sem sucesso, não conseguiu emplacar uma carreira adulta e certamente sofreu. Maísa segue a mesma trilha. Zombada por Silvio Santos no ultimo domingo, que disse ser engraçada só enquanto for criança, visivelmente abalada, entendeu as palavras do chefe, e ficou sem graça.
Mas isso tudo é culpa de mães exploradoras. A mini Lady Gaga que apareceu nos últimos tempos, é fruto de uma mãe sem noção. Expor a menina ao caricato, é cruel. Convenhamos, a menina “é” ridícula. Não canta, não dança, e é feia. Pobre criança!!! O que me vem à cabeça quando vejo isso? Macacos de circo, manipulados pelo adestrador.

Rafael Ilha, Simony e outras celebridades mirins se deram muito mal quando adultas. Maisa caminha pra isso. Lady gaga Mirim, desaparecerá muito antes do que se espera.

Agora, por que não dar chance a pequena Alcione...rs rs rs...

Vai sentir falta de mim, sentir falta de mim...

Se é para esculachar, eu também sei fazer isso. Poupem as crianças da vergonha alheia...por favor, pais sem noção!!

Abraço a todos.

PS.: O DESENHO DA MINI LADY GAGA FOI RETIRADO DO BLOG DO ODA. http://oblogdooda.blogspot.com/

MULHERES

O CD de hoje é sobre as “Mulheres” da MPB.
Não fiz uma coletânea focada em datas, épocas, e sim com as musicas que acredito terem sido grandes sucessos de cada uma listada nessa compilação. São musicas românticas, e afirmo até depressivas como “atrás da porta” na voz de Elis Regina. Num show para a televisão Elis cantou pela ultima vez a canção e chorou no palco. Estava em crise com o então marido, Cesar Camargo Mariano. Elis morreu pouco tempo depois.
Pouparei texto, e deixarei que cada um ouça e aprecie as vozes das grandes mulheres da nossa musica popular brasileira.
Claro que há tantos outros sucessos de cada uma delas, ou até outras interpretes que não estão nessa coletânea, mas como esse é apenas o primeiro com otitulo, em breve volto com mais meninas e suas canções.

MULHERES.html


Espero que gostem.

Bom fim de semana a todos...

UMA BELA MUSICA

Em 1976 a Globo exibiu a primeira verão da novela "Pecado Capital", com Francisco Cuoco e Betty Faria como protagonistas, mas Débora Duarte roubou a cena com um personagem sensivel, e sua trilha sonora ficou eternizada.

Engraçado, como sei disso? Numa reprise no inicio da década 80 eu vi e como ainda era criança, a musica, a novela, tudo marcou demais. Era uma época que se escrevia bem um texto, as produções eram menos tecnologicas, mas a família podia sentar unida no sofá da sala, e assistir a grandes obras da teledramaturgia.

O video é do interprete, Jean Claude Borelli e a musica " Dolannes Melodie".

Pra muita gente pode ser mais uma musica brega, com arranjo anos 70, mas pra mim, toca fundo...rs rs rs...

Aquarianos são românticos, isso é fato...paciência né...rs rs rs.

video

Abração a todos.

SINCERIDADE MASCULINA

Um homem estava em coma há algum tempo. Sua esposa ficava a sua cabeceira dia e noite.Até que um dia o homem acorda, faz um sinal para a mulher para se aproximar e sussurra-lhe:
- Durante todos estes anos você sempre esteve ao meu lado.
- Quando me licenciei, você ficou comigo.
- Quando a minha empresa faliu, você ficou lá e me apoiou.
- Quando perdemos a casa, você ficou perto de mim.
- Quando perdemos o carro, vc também estava comigo.
- E desde que fiquei com todos esses problemas de saúde, você nunca me abandonou.
- Sabe de uma coisa?
Os olhos da mulher encheram-se de lágrimas:
- Diz amor...
- Acho que você me dá azar.....

CRIATIVIDADE

Gostei da mocinha do video...muito criativa.

Só pra rir um pouco.

video

Indicado pelo Diego.

abraço a todos.

FILHOS

Hoje vi uma reportagem sobre uma invenção japonesa. Robôs que imitam todas as características de um recém nascido, para incentivar os jovens japoneses a terem filhos, por ser o país com o mais baixo índice de natalidade do mundo.

Espera um pouco, como criar um robô com características de uma criança, que coisa maluca é essa? Onde está o instinto paternal do ser humano?

Cada vez mais, os casais optam por ter apenas um filho, ou quem sabe nenhum. Mexer com estabilidade de um casamento onde cada um vive sua vida e divide uma cama a noite e troca-la por choros, fraudas sujas, mamadeira na madrugada, tem sido cada vez mais impossível na sociedade de hoje. Tá bom como está, por que mexer?
O ser humano é um bicho complicado. Colocar no mundo outro ser que irá depender dele por muitos e muitos anos, realmente pira a cabeça de muitos. Mas por que no passado, até pouco tempo atrás digamos, a maternidade era vista como um dom divino, e hoje é nada mais que um empecilho para uma vida sossegada?

Se meus pais pensassem como os casais de hoje, provavelmente eu não estaria aqui escrevendo isso, por que sou o caçula de três. Partos normais, filhos na escola, adolescência, tudo isso era encarado como momentos da vida de um casal que acreditamos se uniram por amor, e criavam uma família, e por isso dedicavam-se a ela, sem medos.

Um bebe robô não expressa aquilo que é mais gratificante num filho, o olhar de amor que ele te dá ao reconhecê-lo, a mãozinha de dedinhos gordos segurando seu dedo, o beijo molhado que a criança agarrada ao seu pescoço insiste em deixar na sua bochecha barbuda no fim do dia, quando chega do trabalho. Por que pensar nos infortúnios da gravidez se o resultado dela é o presente mais lindo que a vida pode dar, aquela coisinha miúda que um dia vai te chamar de pai, mãe. Que vai sentir orgulho de contar na escola que você é o herói dela. Que robô fará isso?

Criar um filho não é fácil, sabemos muito bem o que isso implica na nossa vida. Eu não tenho filhos, ainda. Posso até não vir a tê-los de forma natural, a gente nunca sabe com quem vai casar, se haverá ou não a disposição para uma gravidez, mas a certeza é que mesmo não sendo do meu sangue, filhos eu terei.

A emancipação tão desejada da mulher criou uma geração de meninas entre 20 e 30 anos, que possuem todos os requisitos para o mercado de trabalho, mas poucos para a vida em família. Pensa-se em emprego, carreira, e protela-se a maternidade. Chegar à beira dos 40 anos, e ai pensar em ter filhos, hoje é natural, pelo avanço da medicina, mas o problema nem está aí, está na disposição de gerar e criar um bebê. A medicina mudou, mas a cabeça do ser humano continua ainda devagar. Ouve-se muito a frase, nossa, vai ter filho com essa idade? Vai ser avô não pai.

Se as futuras gerações continuarem a pensar em filhos da forma como vemos hoje, seremos um planeta de velhos, com robôs que choram como recém nascido, cachorros em berços vestidos de babador, ou pior de tudo, sem laços de amor com o próximo, por que convenhamos amar um filho é mudar todo o conceito que se tem sobre o convívio com o outro.
Façamos filhos...rs rs rs...conscientemente.

Abraço a todos.

AS PALAVRAS E BIAL

Como é bom ouvir palavras boas sobre a gente.
Gostaria muito de escutar um texto referindo-se a mim, como os privilegiados participantes do BBB.
Pedro Bial, é amado, criticado, por muitas pessoas até antipatizado, mas o que não pode tirar dele é a sua competência jornalística. Sua bagagem, seu conhecimento literário, sua capacidade de síntese é exclusividade dele. Poderíamos dizer ser ele o 5° elemento, se o programa não tivesse 17 participantes. Poderíamos dizer que ele é um bom apresentador, se não se envolvesse tanto nas histórias pessoais de cada individuo ali confinado.
Aos intelectuais que acham o BBB um lixo da televisão brasileira, que acreditam que tudo não passa de um apelo de marketing em busca do tão esperado ipobe, deveriam descer dos pedestais que se colocam e assistir, mesmo sendo um ultraje a sua digníssima inteligência, a programas como esse. Ver como se comportam pessoas normais, reais, que quando fingem atuar, se entregam na primeira frase pensada e ensaiada.
Dizer que o programa é tendencioso? Até pode ser...não menos que a revista Veja, por exemplo. E os deuses da inteligência desse país se regozijam por serem assinantes da Veja, Folha de São Paulo e outros meios que entendem como sendo os melhores da comunicação. Não estou criticando a revista, nem os jornais, apenas expondo meu ponto de vista sobre esses meios, alias, eu também os leio, mas não me sinto intelectual por isso.
Big Brother pode não ser o exemplo a ser seguido, uma influencia negativa aos jovens, como dizem. Mas espera um pouco, o que seria má influencia para os jovens?
Não acho que um programa que mostra pessoas bonitas, no seu entrevero de se manter vivo num Jogo escancaradamente assumido pode fazer mal a alguém. Há tanta coisa de mau gosto na TV aberta e a cabo, que não entendo por que esculhambam um programa de índices de aceitação tão grandes.
Faço o meu “mea culpa” por que como bom telespectador que sou, fico injuriado com a decisão maior, que é a do povo. Sou povo, mas nem sempre concordo com o pensamento da massa.
Ano passado esbravejei contra a Globo, e a vitória daquele imbecil do Max. Realmente me revoltou. Mas o publico que acredito inocentemente, deu o premio a ele, também o jogou no ostracismo.
Não adianta querer mudar de opinião, dizer: não assisto essa coisa. Eu gosto...rs. Sempre fui fascinado pelo ser humano, por suas neuras, seus rompantes, a beleza ou a imperfeição que cada um carrega. E não existe um modo mais fácil de ver isso, a não ser pela TV, onde pessoas se expõe sem textos pré concebidos, se entregando as próprias burrices, ou sendo psicanalista...rs rs rs...e já to velho pra isso.
Pedro Bial fez ontem um dos discursos mais bonitos, mais poéticos das 10 edições, quando eliminou o participante Serginho. Suas metáforas, eufemismos e todos os recursos lingüísticos que embelezam um texto, são usados com propriedade por Bial.
O que dizer a dois participantes gays, assumidos, que se enfrentam perante milhões de telespectadores duvidosos em quem excluir do jogo. Os 53% que tirou Serginho, não foram por rejeição, talvez sim pela manifestação publica de que Dicesar sofre um preconceito maior por parte dos colegas de confinamento do que Serginho, que na fúria dos seus 21 anos, passa por cima de comentários jocosos, narizes tortos, como se não os visse. Dicesar, machucado pela vida, pondera, e hoje, ser assim é sinal de falsidade. O publico enxerga, e decide. A Drag pode não vencer o jogo, não levar os 1 e meio de reais, mas no momento que mais precisou, o publico lhe estendeu a mão.


Peter Pan e Dorothy. A metáfora não podia ser mais bem escolhida. Nesses momentos é que reverencio Pedro Bial. Capacidade de falar bonito. Não para eles, mas para o publico que calmo, sentado nos sofás de suas casas, digerem cada palavra dita. Parabéns a Pedro Bial.


Quem não viu, pode ver aqui: http://www.youtube.com/watch#!v=ttPpPWXXMxE&feature=rec-LGOUT-exp_fresh%2Bdiv-1r-3-HM&playnext_from=TL&videos=-zOXK8cSHws&playnext=1


E concluo, adoraria ser analisado, e falado de forma tão bonita como ele assim faz com os eliminados do programa. Bial, não te conheço...nunca participarei do Big Brother, mas queria que falasse de mim, um dia...rs rs rs...


Boa segunda-feira a todos...uma ótima semana.

CD de CINEMA

O Cd de hoje é dedicado ao cinema, e suas belíssimas trilha sonoras.
Não escondo de ninguém meu apresso pela sétima arte, principalmente, como poucos, ao cinema nacional, mas isso é tema para um outro post.
A coletânea para download é um misto atemporal de belíssimas trilhas ou “temas” de amor de alguns filmes conhecidos. Alguns acredito, bem conhecidos pela maioria, e outros um pouco mais antigos, até mais do que eu...rs...mas que perpetuaram seu tema entre os soundtracks eternos.
Damien Rice, encabeça a lista, com sua versão original de The Blower´s Daughter , do filme “Closer” (2004), e já desfilou pelo blog na voz de outra cantora. Paul McCartney fez o amor de Sandra Bullock e Keanu Reeves em “A Casa do Lago” ( 2006) mais emocionante e possível.
Nancy Sinatra gravou Bang Bang lá no passado , quando era jovenzinha, e sugiro aos que se interessarem ver o clipe no you Tube. A música muito bem escolhida por Quentin Tarantino, fez parte do filme “Kill Bill” ( 2004), na minha opinião uma das obras primas do cinema.
Beautiful Maria, foi colocado no CD por uma questão pessoal. Adoro essa música, mas talvez poucos saibam que é de um filme de Antonio Banderas, “Os Reis do Mambo” (1992). Belissima!!!
“P.S. I Love you” ( 2007), “Sex and the City” ( 2008), “Juno” ( 2007), “Mamma Mia” ( 2008) são filmes recentes, e a maioria deve conhecer suas trilhas sonoras. Pincelei alguns hits para completar a lista.
“Ao Mestre com Carinho” (1967), To Sir, Love You é um tema eterno, usado a exaustão por alunos que querem homenagear professores...rs rs rs...brega, mas bonito.
Raindrops Keep Fallin On My Head, “Forest Gump” ( 1994), é também uma obra prima do cinema e rendeu o segundo Oscar da carreira de Tom Hanks. Pretty Woman “ Uma linda Mulher” ( 1990), La Vie En Rose, “ Alguem tem que ceder” ( 2003) talvez a única que não caia no gosto dos mais jovens, mas infinitamente linda interpretada com o trompete e a voz rouca de Louis Armstrong, e por fim Arthur Theme, que na minha infância e adolescência escutei muito. A Trilha original do filme “ Arthur, o milionário Sedutor”, um filme com Dudle Moore, um baixinho horroroso, morto em 2002. Para quem tiver curiosidade de ver o filme, é uma comedinha romântica com Lisa Mineli, que na década de 80 e inicio de 90, a Globo furou a fita de tanto reprisar.
Fechando com Help, do belissimo " I am Sam" ( 2001), com Sean Penn, que teve uma trilha inteirinha com musicas dos Beattles.
As datas são dos filmes e não do lançamento das musicas. Os cantores estão devidamente citados na contracapa do CD, para quem tiver curiosidade em saber.
[CINEMA]

E isso. Logo coloco uma coletânea das mais bregas do cinema, com Whitney Houston, Celine Dion e cia.
Espero que gostem.
Abraço a todos e bom fim de semana.

A GRAMA DO VIZINHO

Dia desses me deparei com um texto de Martha Medeiros intitulado “ A Massacrante felicidade dos outros”. A seguir trechos do texto para que possa explanar sobre o assunto, e vocês entendam.
[...Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco.
Anos atrás, a cantora Marina Lima compôs com o seu irmão, o poeta Antonio Cícero, uma música que dizia: "Eu espero/ acontecimentos/ só que quando anoitece/ é festa no outro apartamento". Passei minha adolescência com esta sensação: a de que algo muito animado estava acontecendo em algum lugar para o qual eu não tinha convite. É uma das características da juventude: considerar-se deslocado e impedido de ser feliz como os outros são - ou aparentam ser. Só que chega uma hora que é preciso deixar de ser tão ligada na grama do vizinho.
As festas em outros apartamentos são fruto da nossa imaginação, que é infectada por falsos holofotes, falsos sorrisos e falsas notícias. Os notáveis alardeiam muito suas vitórias, mas falam pouco das suas angústias, revelam pouco suas aflições, não dão bandeira das suas fraquezas, então fica parecendo que todos estão comemorando grandes paixões e fortunas, quando na verdade a festa lá fora não está tão animada assim.
Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco, com motivos pra dançar pela sala e também motivos pra se refugiar no escuro, alternadamente. Só que os motivos pra se refugiar no escuro raramente são divulgados. Pra consumo externo, todos são belos, sexys, lúcidos, íntegros, ricos, sedutores. "Nunca conheci quem tivesse levado porrada/ todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo". Fernando Pessoa também já se sentiu abafado pela perfeição alheia, e olha que na época em que ele escreveu estes versos não havia esta overdose de revistas que há hoje, vendendo um mundo de faz de conta.
Favor não confundir uma vida sensacional com uma vida sensacionalista. As melhores festas acontecem dentro do nosso próprio apartamento...]

Martha Medeiros tem uma capacidade impar de falar sobre a vida de forma tão clara e objetiva. Quantos de nós um dia não se sentiu oprimido pela felicidade alheia. Parou e pensou: Pô, todo mundo se dá bem, menos eu!
E não é apenas na adolescência que isso acontece. Durante a vida toda nos deparamos com questionamentos como esse, quer seja por que fulano(a) arrumou um parceiro(a) que era seu sonho de consumo, quer seja por que aquele conhecido viaja o mundo enquanto você está preso num escritório escuro, com lambada de bordel.
Há uma tênue diferença entre você se achar o perdedor, e sentir inveja. Essa história de olhar a grama do vizinho pode servir como alavanca na sua vida, se você faz dessa cobiça algo impulsionador para atingir os mesmos ideais do amigo, ou simplesmente passar a vida se lamentando e odiando as conquistas alheias.
Eu sempre digo aos amigos “ detesto pessoas felizes demais”. Bem, deixa explicar. Não tenho problema em ver pessoas felizes, as que fazem parte do meu mundo, quando assim o estão, me trazem grande regozijo. As “pessoas felizes” que menciono, são aqueles bonecos de posto, com os braços erguidos, balançando ao vento, querendo que o mundo as perceba, e vejam como são legais. Pessoas assim, são carregadas de traumas e inveja, e dificilmente, posso garantir, erro meu conceito quando conheço alguém assim.
A grama do vizinho às vezes parece mais verde sim, mas garanto que o meu jardim é mais florido...rs rs rs.
Esse pensamento me acompanha a vida toda, e me faz caminhar lado a lado com as pessoas sem ficar prestando atenção na cor da sua grama.

abraço a todos

UMA GRANDE HELENA

Dia desses lia criticas sobre artistas, no geral programação de TV aberta, mais precisamente, a novela Viver a Vida.
Falavam que Taís Araújo, no personagem Helena, não estava dando conta de fazê-la como as grandes atrizes convidadas por Manoel Carlos no passado, o fizeram.
Injustiça com Taís.
Verdade que não tenho mais acompanhado a novela diariamente, por que acho o texto chato, as situações não mudam, e sempre que volto, tenho a sensação de uma mexicanisse, por que passa uma semana, e Lilia Cabral, Alinne Moraes e tantos outros estão no mesmo diálogo.
A formula de Maneco sempre obteve resultados surpreendentes em relação a ibope. Discutiram-se grandes temas, como em “Por Amor” que Regina Duarte entrega seu recém nascido para a filha criar. Continuo achando um dos melhores temas já expostos numa novela.
Falar da tetraplegia de Luciana é sim, muito importante. Mas sabemos que a recuperação é lenta. O que não dá pra entender é que o personagem Dora (Giovanna Antonelli) ficou grávida ao mesmo tempo que Luciana sofreu o acidente. Luciana ( Tetraplégica) em poucos meses já está sentada, quase andando, se formos ver, e a barriga de Dora não cresceu nada. Esses problemas de tempo numa novela são faceis de compreender, desde que não seja gritante como este. Afinal o autor tem licença poética, mas nem tanto, quando se trata de um texto tão real, como os de Maneco.
Mas voltando a Helena de Taís Araújo, acredito que ela está dando conta sim da personagem. Uma modelo sofisticada, vinda de família simples, negra, de uma beleza incomum. Tudo isso Taís tem, e mais, muito talento. Com o que ela não pode brigar, é com a péssima escalação de elenco. O problema não está em Taís, mas em José Maier. O personagem dele, Marcos, não cabe ao ator.
Não desprestigio o talento de Maier, mas acho equivocada sua escalação. Um homem cinqüentão, que tem obsessão em namorar modelos, é infiel por natureza, rude, arrogante, tem toda a cara de José Maier, pelo histórico de personagens, mas nesse caso, ele não tem química com Taís Araújo. Ele acaba prejudicando a personagem Helena.
Quando olhamos para Maier, nota-se perfeitamente que há uma barreira intransponível entre ele e Taís. Talvez Edson Celulari, fosse mais convincente. A impressão que se tem, é que “marcos” caminha paralelamente na trama. Há um certo desconforto no personagem.
Tiago Lacerda, não combina como filho de José Maier, Lilia Cabral se esforça para convencer que é uma ex mulher, as filhas tentam parecer reais quando o chamam de pai, mas o personagem não convence.
Taís Araújo é sim uma ótima Helena, e provou quando contracenou com Lilia Cabral, nos momentos dramáticos da novela. Convence quando está cara a cara com Alinne Moraes. Mas é neutralizada na presença de José Maier.
O pecado da trama não está no atraso da entrega de textos, está na escalação errada dos atores.
Palmas para Taís Araújo, por que é sim uma grande atriz, e ainda será capaz de provar isso, quando entrar para a história das Helenas de Maneco.
Abraço a todos.

UM BOM HUMOR DE SEGUNDA

Uma piadinha boba pra começar bem a semana....

Uma loira pergunta à outra:

- Você acha que há problema se tomar pílula com diarréia?

Ao que a outra, "ainda mais loira", responde:

- Acho que não. Mas porque é que você não toma com água?


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....hoje eu to idiota...pq ri demais com essa piadinha infame...

abração a todos...e boa semana.

a Ode dos Muppets

Quando criança, uma das maiores diversões era assistir Muppets, que se não me engano passava de sábado de manhã, ou domingo. Época divertida, inocente.

Ode to Joy...em clipe feito com um dos hilariantes personagens do programa, o assistente do cientista maluco...não me lembro como se chamava. Se alguém lembrar, me conte.

Gosto de lembrar da infância. Momento único na vida...tanta inocência, tanta ingenuidade. Nada era problema, no maximo uma preocupação com uma prova de matemática....só isso.

Não havia perdas, não havia disputa, não era obrigado a engolir sapos. Fui uma criança feliz...sou um adulto razoavelmente feliz...mas quero ser um velho absurdamente feliz...

video

Abraço a todos.

Ps.: postei esse video uma vez, não sei quando...mas ta aqui de novo...adoro ele...

memememe me me me me me me me me meme me meme meeeeeeeeeeeeeme me

A TV NÃO É MAIS A MESMA

Falemos de TV.

- Ontem Hebe Camargo voltou com seu programa pelo SBT.
Certos artistas como ela, funcionam ao vivo, sem cortes, interrupções. O segredo do sucesso ta na espontaneidade das palavras, gestos e brincadeiras. Tolher uma pessoa como Hebe, Faustão com programas editados, é tirar a alma do personagem que está no palco. Enfim, o programa foi bonito, com presença de Globais que ao invés de abrilhantar o espetáculo, deu a impressão daquela madame riquíssima que subiu o morro pra ir na festinha infantil da filha da empregada. Visivelmente constrangidas de estarem sentadas na primeira fila.
Hebe voltou abatida, um tanto envelhecida, mas com o espírito jovem que é sua marca registrada. Bajulações comuns, aos artistas, celebridades e milionários presentes. O ápice se deu com a entrevista descontraída com Roberto Carlos, que provou mais uma vez, ser uma personalidade do mundo artístico, única, irretocável. Chorou ao cantar “ Como é grande o meu amor por você”, em homenagem a Hebe. Momento tocante, como poucos.



O único constrangimento talvez, veio pelas mãos do dono da casa, Silvio Santos, que registrou sua mensagem no meio da gravação de seu programa, junto das “amigas de trabalho”. Fria, com ar de obrigação. Silvio com seus pulinhos e lambidas no lábio, parecia estar anunciando o filme que passaria depois das 10 da noite. Sem emoção, frases feitas, e o gosto de nada na boca, depois de sua inserção tão aplaudida pelo seu publico.


- VOCÊ É VIADO, MAS SEJE HOMEM PRA ASSUMIR O QUE FAZ. Palavras de Dourado a Dicesar na edição de ontem do BBB10. Chego à conclusão que realmente o reality da Globo caminha bem até um certo ponto, mas não sei em que curva, Boninho deixa o carro derrapar, e nos dá essa sensação ruim, de estar presenciando um terrorismo, uma injustiça, sem poder fazer nada. Mesmo depois que terminar o programa, e essas pseudo-celebridades desaparecerem, até então o sentimento que nutrimos por eles, é de simpatia, de vontade de justiça. Dicesar na sua condição de gay, maltratado pela vida, com um passado de guetos até conseguir trilhar um espaço minúsculo entre os seus, merecia um pouco mais de respeito pelas pessoas que convivem com ele no reality. Não precisamos gostar um dos outros, podemos ter antipatias, afinidades ou não, como eles gostam de expor, mas em cadeia nacional, para milhões de pessoas, agredir um companheiro de confinamento dizendo ser ele menos homem, apenas pelo fato de não ser hetero, é sim, agressivo, tanto para Dicesar, como nós telespectadores. E não digo isso pelo fato dele ser gay, o mal estar seria idêntico, se ali fosse agredido dessa forma um negro, um índio ou mulheres como já vimos nessa própria edição, na boca de Eliéser. E mais, “seje”, dói o ouvido.


Dourado, manipulador do jogo como é, ao perceber a burrada de seu comentário, vai a Dicesar dizendo que achou que poderia chamá-lo de “viado”, por que todos na casa assim o fazem. Sim, nos momentos de descontração, entre os que são amigos, não numa discussão acalorada com um inimigo velado. O que é triste, é ver que nada muda, ninguém se manifesta. A revista VEJA trás matéria falando de Dourado, e o público em geral apóia suas atitudes.

A sensação que se tem é que estamos criando um vírus de laboratório, vendo o que ele pode fazer com os as pessoas, mas não nos importando com o resultado. Só ficaremos realmente com medo, quando esse vírus entrar em nossas casas e atingir os nossos filhos e parentes. O preconceito é isso. Velado, escancarado ou simplesmente camuflado, destrói sim, e está bem próximo de qualquer um de nós.

Dicesar na humildade dos seus atos, pode não ganhar o programa e levar o milhão e meio, mas pelo menos nos dá a certeza que o fraco nesse país é sempre a o saco de pancadas. Se não há justiça do publico, torço para que haja outra, e que no futuro seja mais feliz do que demonstra ser hoje.

É isso que a TV faz. Não importa a barbárie, contanto que limpe depois...VERGONHA!!!

Boa terça a todos.


SAINDO DO FORNO

Hoje é dia de deixar um cd para download.

A coletânea intitulada “Novas Versões”, é uma pesquisa que fiz sobre alguns sucessos de hoje e também de anos atrás, na voz de covers. São 12 cds, que aos poucos vou postando. O primeiro é de musicas mais recentes.

Algumas faixas deste primeiro volume, confesso são tão boas, ou melhores até que dos interpretes originais, como é o caso da faixa n° 12 – “Não se reprima”. A primeira versão é dos Menudos, e data lá da década de 80...rs rs rs, onde muitos internautas ainda nem sonhavam em nascer. A versão cover é de Tatiana Parra, e foi musica tema de um comercial de TV, se não me engano, Batavo.

The Blower´s Daughter ficou bonitinha, mas a original ainda é insuperável. Não há uma única vez que não me lembre de Natalie Portman caída no chão da rua, dizendo a Jude Law “hello stranger!!!!”.
Shirley Bassey e Cake, com versões mais ousadas de clássicos como “I Wuil survive” e “Get the Party Started”, que Pink não soube cantar tão bem como a velha dama negra da musica americana.

E por aí vai com releituras de Lady Gaga, Beyoncè, Amy Winehouse, Beatles e por aí a fora.

Engraçado que quando pesquisei Britney Spears, não encontrei ninguém cantando musicas dela. Não entendi por que.

Espero que agrade, e tenham um bom download.

Desculpe a demora para baixar, agora que aprendi, estou procurando outro site que possibilite um download mais rápido.

01 - UMBRELLA - BIFFY CLYRO
02 - SINGLE LADIES - MARMADUKE DUKE
03 - YOU KNOW I´M NO GOOD - ARCTIC MONKEYS
04 - POKER FACE – DAUGHTRY
05 - I WILL SURVIVE – CAKE
06 - HEAVEN – DO
07 - THE BLOWER´S DAUGHTER - AMY KUNEY
08 - ALL MY LOVING - JIM STURGESS
09 - GET THE PARTY STARTED - SHIRLEY BASSEY
10 - DON´T LET ME MISUNDERSTOOD - RAISSA BITTAR
11 - ONLY YESTERDAY - MARIANNA LEPORACE
12 - NÃO SE REPRIMA - TATIANA PARRA

[NOVAS VERSÕES]

Abraço a todos, e bom fim de semana

SE FOSSE CELEBRIDADE...

Coisas que não faria se fosse celebridade...rs rs rs.

1 – Não entraria num cruzeiro chamado “ É o amor”, onde a dupla Zezé ( galinha) Di Camargo & Luciano ( que não me engana) fossem os anfitriões, muito menos sabendo que no mesmo navio existe uma Suzana Vieira em Lua de mel...nojo!!!
2 – Jamais iria a um show do Felipe Dylon...nem que acontecesse na praça em frente de casa.
3 – Não daria a mão ao governador José Serra. Ele tem problemas com micróbios e bactérias, eu tenho problemas com ETs.
4 – Não deitaria na mesma cama com Barbara Paz. Ela tem uma cara de que tem budum.
5 – Nunca passaria a mão nos Cabelos do Seo Jorge.


6 – Não pediria autografo a Antonio Fagundes, mesmo que ele implorasse por isso...rs rs rs rs.
7 – Não deixaria ninguém xingar Preta Gil na minha frente. Um dia ainda vão descobrir que ela vale muito.
8 – Nunca sentaria a mesa com Claudia Leitte, Mara Maravilha, Simony, Agnaldo Silva e Jô Soares. Não teria espaço suficiente, por que o ego deles enche um estádio de futebol. Alias, tenho medo da Mara...rs
9 – Não convidaria para uma festa, Marlene Mattos, Marta, Maria Cadú...no final viraria uma pelada no campinho ao lado.
10 – Nunca cozinharia para a Palmirinha. Ela ia me comparar com “as amiga”.
11 – Jamais participaria de um programa do SBT chamado “show de talentos”. Vergonha alheia daquilo tudo.
12 – Não viajaria de avião com André Gonçalves, pode ter passado o tempo, mas vai que o Pelé ta no mesmo vôo. Medo medo medo!!!
13 – Nunca daria cabides de presente a Naomi Campbell.
14 – Não seria amigo daquele velho babão do BBB9, nem da Naná. Ex BBBs são um porre, esses dois ganham o prêmio.
15 – Não comeria um biscoito da sorte da mão de um ex paquito ( a)...o histórico de sucesso desse povo é enooooorme.
16 – Nunca jogaria uma partida de xadrez com o Eliéser do BBB10. Jogar xadrez sozinho é um tédio. Alias conversar com esse cara é um monólogo.
17 – Não ficaria sozinho com a filha do Didi numa sala...Medo dessa menina.


18- Não faria um tumulo em minha homenagem antes de morrer. Nem museu, nem nada. As pessoas torcem para que essas coisas sejam inauguradas logo.
19 – Não tomaria sorvete com Chico Buarque, Padre Marcelo Rossi, Milton Nascimento. Tenho pavor de ver o sorvete escorrer pelo braço. Lento do modo como são, ia fazer poça embaixo deles.
20 – E por fim se eu fosse celebridade, não seria simpático. As pessoas gostam de gente esnobe...rs rs rs rs.


Abraço a todos...