FILMES CANADENSES

Sou um admirador da 7° arte e tudo o que gira em torno. Adoro enredos, elencos, trailers, tilhas sonoras e tudo mais. Pra mim muitas vezes o comercial do filme vale mais até do que o próprio.


Lembro que ao lançarem “ Entrevista com o Vampiro” o trailer no cinema era muito, muito melhor que o filme em si, que se mostrou monótono e chato. A dinâmica usada pelo diretor para promover o filme chamou atenção, mas decepcionou depois.


Separei o clipe da musica Bang Bang que faz parte do CD que postei sexta passada, cantada em Italiano por Dalida. O filme “Amores Imaginários” Les Amours Imaginaires (2010), de Xavier Dolan, o menino de cabelos curtos que aparece no clipe, caminhando. É o roteirista, diretor e protagonista da história. Ainda não há copias legendadas, mas a critica garante que vale a pena.



http://www.youtube.com/watch?v=E8TX7huaiU4
Esse mundo de vídeo clipes sempre me fascinou, por isso fui fã de Michael Jackson, e gosto de Lady Gaga, por investem nesse setor, que me chama demais atenção.

O cinema Canadense de tempos em tempos aparece com uma novidade, um filme bem construído e ganhador de prêmios. Há alguns anos lançou C.R.A.Z.Y. A trilha sonora de Patsy Cline é marcante com a musica de mesmo nome, Crazy.


Boa terça, abraços.

8 comentários:

Cris disse...

Oi Rafael!
Pasty Cline fazia parte do repertório da minha mãe quando eu era garota. Nem sei se aprendo a gostar dela ou gostei por fazer parte do gosto de alguém que eu amo....rs Acontece!

Pasty morreu cedo pra caramba, né? Trinta e poucos anos; assim como Michael ( único ) !!!

Ouvir essa música agora bateu gostinho de saudades.

Boa terça pra vc também !
beijo

Karina disse...

Minha maior referência do cinema canadense é o filme "As invasões bárbaras". Me acabei, principalmente com a música "L'amitié", da Françoise Hardy... Vamos esperar "Amores imaginários", cujo vídeo com a música já assisti através do blog Cafeína... Um beijo, Karina.

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Sempre adorei cinema.
Quando era adolescente, tive um período de complexo de Dawson (assistiu Dawson's Creek? rsrs) e queria ser diretora... fazia o povo participar das minhas bobagens "cinematográficas"... kkkkkk.... mas já passou.

No entanto, nunca deixei de apreciar.
E Entrevista com Vampiro, pra mim, serviu pra eu descobrir o Antonio Banderas! Uuuuuuuhhhh!

Kkkkkkkkkkk

Beijão!

Rico E disse...

Depois de ler seu post, estou louco para ver "Amores Imaginários".
Um abraço,
Rico E

Paulo Braccini disse...

Suas observações são extremamente pertinentes ... do cinema canadense realmente só gostei mesmo de As Invasões Bárbaras ... assim como achei um porre Entrevista com um Vampiro ...

Qto aos aspectos abordados relativos aos clipes e à canção Crazy assino em baixo ...

Parabéns

;-)

Edu disse...

Smartcaps é energético. Que nem Red Bull. Já tomei desses de latinha e continuava com sono. Quando comecei com o smartcaps, que parece um supositório, foi o único que não me deixava babar no teclado depois do almoço. Mas ultimamente...

Beijo! Quando vai lá em casa??

Lobo disse...

Toda vez que ouço Crazy, lembro da versão bizarra do Tiririca e me descambo de rir hahauahauahau

Mas o repelente elétrico, eu costumo usar desses, mas na ocasião estava sem pastilhas hauahauahaua.

Abração Rafa!

F. Pellicer disse...

Bom, devo discordar de você quanto ao "Entrevista..." ser chato e monótono, acho que a intenção do diretor foi bem cumprida e o filme é ótimo.

Quanto ao clipe, creio que seja feito com cenas do próprio filme que aliás possui muitas cenas em câmera lenta, característica do Dolan com diretor.
Esse é segundo filme dele, o primeiro é muito bom também, recomendo para você: "Je tue ma Mère", assista!

E a música é perfeita... Postei por coincidência a letra e o áudio no meu blog dias atrás...

Abraço!