FECHEI

Com a proximidade do fim do ano, como em toda empresa, fechei pra balanço....rs.

Engraçado como às vezes é tão necessário um tempo sozinho, sem ninguém por perto, nem amigos, nem família, papagaio, cachorro, nada. Apenas você, seus pensamentos, incertezas, decisões, projeções, medidas a sem tomadas quem sabe para o próximo ano.

É imprescindível que façamos isso. Geralmente esse “momento” acontece nas vésperas de natal, quando abro armários, gavetas e tiro adornos para casa. Enfeites que ficam por lá um ano inteiro, quietinhos aguardando que eu os busque, e enquanto os espalhe pela casa inevitavelmente me ponha a meditar sobre o ano.

Não sou o tipo de pessoa que se deprime por estar só. De forma alguma, acho tão importante isso, tirar esses dias só pra você. Comecei na sexta feira, recusando companhia para ver a estréia de Harry Potter. Tenho minha filosofia sobre a história, e compartilhar o filme com pessoas que não comungam da mesma opinião, ou simplesmente nem sabe o que é uma orcruxes, por que não leu nenhum dos livros, é dispensável. Fui eu, meu iPod, um lanche do McDonald´s, e milhares de adolescentes imberbes cheirando a nuggets...rs rs rs...

Então sábado e domingo me exilei. Fui para o meu país fora do contexto social, sem querer ver e nem conversar com ninguém. Aí me pus a pensar, refletir, e questionar atitudes e ações do ano, ou de outros que perduram sem resultado ou decisão.

Revirei gavetas, limpei armários, separei roupas que não uso mais, e com isso encontrei lembranças guardadas que há muito não visitava. Achei, por exemplo, uma carta escrita por meu avô em 1932, endereçada a minha avó, com desculpas por uma atitude mal pensada. Uma das coisas mais emocionantes que guardei de lembrança deles. Digitalizei para guardá-la, caso um dia o papel já envelhecido, esfarele. Ri com as palavras que conheço décor. Concluí que sei de onde vem toda minha veia dramática....rs.

Vi filmes que estavam guardados há muito tempo esperando minha boa vontade de vê-los. Escutei CDs antigos, e rememorei histórias em algumas musicas. O único inconveniente disso, é as vezes perceber que as coisas não são mais como antes. O tempo transforma algumas relações em mesmices. Pessoas que não tenho mais contato, mas que ficaram marcadas em alguma canção. E não adianta querer trazê-las de volta, as sensações não seriam as mesmas, o que ficou no passado, que continue uma boa lembrança!

Vi TV e me enojei com Zorra Total (programa que a Dama de Cinza odeia, conforme pediu pra mencionar..rs). Conclui definitivamente que abomino Claudia Leite (peço desculpas a quem é fã, e me dou o direito de não gostar dela). Chorei assistindo “Musica do Coração”, um filme muito, mas muito bonito, o qual não tinha dado importância até hoje. Ri demais com “Polaróides Urbanas” de Miguel Falabella, com um elenco de primeira. Vi todos os episódios da ultima temporada de “The Big Bang Theory”, e rememorei Odete Roitman na sexta de madrugada.

Tudo isso é tão prazeroso quanto estar num lugar rodeado de amigos que estimo, em conversas bobas e risadas soltas. Me senti refeito, cheio de energia para esse fim de ano. Como não tirei férias em outubro, e acabei perdendo a oportunidade de qualquer viagem, o cansaço me tomou pela mão, e até minha criatividade para projetos ficou comprometida. Mas esse fim de semana, dei uma carga na bateria. Incrível como a mente é poderosa e nos faz enxergar coisas tão obvias que estão ali bem abaixo do nariz e com a rotina acabamos não percebendo.
Me livrei de alguns lixos, deixei tudo arrumadinho na casa. A cabeça continua pensando. Algumas decisões precisam ser tomadas, então não abro pra liquidação de fim de ano...rs rs rs. Na verdade farei uma auditoria, e enquanto o resultado não sair, permaneço fechado para balanço. Até segunda ordem. Quem sabe ao reinaugurar, não surja um novo produto no mercado..rs rs rs...

Viu, é isso que dá pensar demais...rs, a gente fica cheio de metáforas.

Abração a todos, uma ótima semana.


16 comentários:

KARINA PINTA E BORDA disse...

Fechei para balanço de forma forçada, e também tenho feito algumas coisas dessas que você fez (salvo arrumar os armários - fica pro fim de semana). De fato, isso é muito bom, sobretudo escutar as músicas que se gosta bem alto, para espairecer, se encantar com a voz de Ella Fitzgerald ou mesmo lembrar das pessoas. No meu caso, não serei um novo produto no mercado, apenas um pouco melhor. Por pouco melhor, leia-se, bem mais autoconfiante. No seu caso, não sei se será bom você se tornar um novo produto no mercado (talvez apenas uma versão mais turbinada...rs), pois deve ser mantida a sua essência, que é muito boa, pelo que já li. Um beijo, Karina.

Carla Farinazzi disse...

Rafael,

Muito bacana o seu texto, gostei da ideia. Eu, particularmente, adoro ficar sozinha! Muito mesmo.
Não por nada, mas as pessoas me cansam às vezes... Sozinha tenho oportunidade de me ouvir muito mais.
Ah, o "Polaróides Urbanas" é demais, não é? Eu adoro esse filme!

Beijo

Carla

Solange disse...

Não querendo atrapalhar seu balanço...rsr
Sabe que faço isso sempre,não apenas no final do ano.....acho que momentos de reflexão...pensar em mudanças necessarias...fazer uma limpesa tanto fisica tanto emocional ....e voltar ao passado e se deliciar com lembranças boas.....isso temos que fazer sempre.....o resultado e renovação ...Abração Rafael.....qdo terminar o balanço estaremos aqui a sua espera.
Beijoss.Sol

Edu disse...

Opa, tô na fila pro test drive! :-)

Wanderson disse...

Todos precisamos de um tempo fechado para balanço mesmo :)~

Seu blog é legal, já te sigo! Fique a vontade para me visitar.

abraço

http://comoeuvejo.blogspot.com/

Michele P. disse...

Que inveja! Há muito não sei o que é fazer balanço. Trabalhei o final de semana todo e creio que só poderei brecar (frear)lá pelo dia 18/12...
Buá...buá...buá...

Gostei de suas reflexões. Acredito que todos, vez ou outra, deveriam parar para "viver", realmente.

Um abraço,
Michele

Luna Sanchez disse...

Rafa,

Se me roubarem esses momentos de solidão escolhida, eu enlouqueço!

Preciso muito e com certa frequência.

Beijo, beijo.

ℓυηα

DÉYA... disse...

ola Rafael. quanta nostalgia em?? muito legal isso..
adorei ler esse texto.
eu aprendi a gostar de ficar sozinha, hoje me sou a melhor companhia ...
boa semana..

Saulo Taveira disse...

É bom fechar pra balanço. Engraçado voltar aqui e ler este texto, não o conheço, mas te ouço falando, mais animado, vivo, revigorado pras festas!

Que bom, e bom estar de volta.

Abração meu querido.

Cantinho She disse...

Sensacional o seu texto, e ficar sozinho sempre é positivo, a gente coloca as ideias, planos e sonhos em ordem, e se prepara para seguir em frente por que atrás sempre vem gente, né?! rsrs
Beijo, beijo e ótima semana pra vc tb!
She

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Rafael,

Eu acho super importante tirarmos alguns momentos pra ficarmos sozinhos. Às vezes, não tem nada melhor do que ficar sozinho em casa, rever um filme em dvd, ou um filme na tv... ouvir boa música, dar uma geral na casa e nos pensamentos.
Momentos assim são extremamente necessários! Eu também prezo muito os meus.
E se vc quer saber, minha monografia na faculdade foi sobre Harry Potter! Compartilho do seu gosto... rsrs

Edilson Cravo disse...

Esta reclusão fez um bem danado pra vc pois te ajudou a repensar um monte de coisas hein...rs
Linda semana querido e um forte abraço.

Paulo Braccini disse...

um balancinho é ótimo ... vai lá ... vem cá ... vai lá ... vem cá ... rs

estaremos por aqui ...

bjux

;-)

Vanessa disse...

Excelente seu post , Rafael. É muito bom fechar para balanço quando em vez. E qto a Harry Potter, tb pretendo ir sozinha :-). Eu simplesmente amo esta série.

abraço

Salum H. disse...

Sabe acho que ando precisndo fazer isso com urgência, mas tem que ser O FECHAMENTO, longe de tudo mesmo...ontem depois de escrever meu castelo de areia cheguei a esta conclusão...

Le Voyeur disse...

é sempre bom tirar um tempo só pra nós.
eu estou precisando disso urgentemente!

bjs do voy