A BELLA, O CARA QUE BRILHA, O LOBO SARADO

Às vezes gosto de ir à contramão dos modismos e me privar das opiniões de massa. Assim foi com a Saga Crepúsculo. Assisti o primeiro e decidi que era tão infantil que não prestaria atenção no que viria depois.

Os livros tornarem-se Best Sellers, e mesmo assim não me interessou o amor de Bella e Edward.

Sou da época que vampiros eram maus, inescrupulosos com suas vitimas, a própria encarnação de Lúcifer. Assim li, cresci e vi nos cinemas.

No sábado à noite, chuvoso e chato, me dei à chance de conferir o que tanto fez adolescentes suspirarem e resolvi ver novamente crepúsculo e em seguida Lua Nova. Dose dupla é suficiente. Eclipse deixo pra depois. Primeiro digiro as informações destes, e quem sabe procuro saber o “gran finale”, se é que há.

Entendo que os atores escolhidos para protagonizarem essa confusão de monstros do nosso imaginário infantil não tenham tanto talento, afinal trata-se um amor jovem, de certa forma ingênuo. No livro tenho certeza que a autora quis mostrar Bella, Edward e Jake como adolescentes inseguros, bonitos e com tendência a ídolos...rs.

Mas aí analisemos a história. Putz, Bram Stoker deve se revirar no caixão cada vez que a Saga vai ao ar. Um Vampiro bonzinho já desfilou nas nossas telas, com belos olhos verdes e cabeleira esvoaçante na pele de Brad Pitt. Até aí tudo bem, Entrevista com o Vampiro ataca de drama psicológico com Louis o tempo todo questionando o porquê de matar, matar e matar. Tom Cruise por sinal estava ridículo, mas deixa pra lá. Agora um vampiro adolescente que brilha no sol. Por favor!!!!

Isso é dificil de engolir. Edward não parece a “besta” que sugerem as histórias de vampiro. O olhar perdido que Robert Pattison aplica quando está perto de Bella é quase que um teste amador para um papel em malhação. Não passa verdade, nem confiança. Em contra partida Kristen Stewart parece o tempo todo estar com ânsia de vômito. As expressões não são de sofrimento, são de dor de barriga. Espera-se que no fim ela respire aliviada e diga: caguei!!!

Posso estar sendo cruel em minha analise, mas é complicado para alguém que assistiu Bela Lugosi, Christopher Lee, ver Pattison com seu batom vermelhíssimo e sua tez pálida jurar amor eterno a jovem que está doida para ser “possuída”. Não há paixão nos beijos, não há verdade no desejo carnal.

Levemos em consideração que a história é para crianças e adolescentes e por isso a conjunção carnal não aconteça. Será que casando pode? Mesmo assim o cinema hoje está entupido de insinuações sexuais, sem que haja ofensa a moral infantil. Sabendo trabalhar o tema, talvez seja uma mensagem mais útil do que a constante rejeição a que o personagem de Bella é sujeitado. A mãe a manda morar com o pai por que quer ficar sozinha com o padrasto. O pai, solteirão não apita em nada, muito menos apresenta uma namorada...isso também não vem ao caso. Aí o vampiro a abandona e vai embora, o amigo índio, vira lobisomem, passa a andar sem camisa, mostrando o abdômen tanquinho e no final das contas também a rejeita. A menina só não se mata por que não tem como. Caso de depressão, uso de entorpecentes e álcool, se fosse no mundo real...rs.

Mas o que salva é a produção. Tirando alguns clichês as cenas de transformação de lobisomens, as lutas e alguns cenários deixam os filmes digeríveis. Lua Nova tem uma fotografia diferente, mais clara, colorida. O diretor abandona um pouco o tom azulado que deixa Pattson mais espectral.

Enfim, para quem não assistiu ( acredito que só eu não o havia feito) vale a pena para entender o que se passa na cabeça dos nossos jovens com tendências EMO, e a delicadeza com que encaram as relações amorosas. O filme é um reflexo dos tempos. Se for para termos meninos e meninas que se guardam para um momento oportuno, que louvemos essa atitude. Só não pode brilhar no sol, por que aí, não é vampiro, é bichona...rs rs rs...

Abração a todos.

11 comentários:

Antonio de Castro disse...

eu tb não vi Lua Nova.

Vi Crepúsculo e pulei direto pro Eclipse, quase q obrigado.

Sem remorsos, passo a experiência de entender os jovens dessa decada.

tenho certeza q eles pensam as mesmas besteiras q eu pensava qd via The OC e os filmes do Freddie Prinze Jr.

e dá em saga Crepúsculo.

Chato. Mais vale True Blood.

Três Egos disse...

Eu não sou muito fã não e entrei na onda de assistir só porque minhas amigas todas eram apaixonadas pelos livros e filmes.
O primeiro filme eu assisti pela metade porque eu dormi. O segundo eu não lembro de ter assistido e o terceiro eu assisti no cinema com minhas amigas meio que por obrigação.
QUanto ao livro, uma vez dei uma olhada e odiei a escrita. Muito simplista para dizer bem a verdade e até cheguei a comprar o primeiro livro em inglês para então praticar meu inglês, mas parei por aí... rsrs

E também, mesmo brilhando, o Edward não faz meu tipo...
hauahuuhaauhuha...

Muito menos um peludo selvagem...
rsrs

Beijo!

Atitude: substantivo feminino. disse...

Rafa, Rafa..e aí que ontem, depois de chegar em casa cansadéézima e organizar minhas fotinhas queridas da viagem o que está passando no telecine?
Acertou que disse Lua Nova!

Eu não vi o primeiro. Tbm foda-se porque agora mesmo é que eu não vejo...o que era aquilo?

Gente, que filme é esse?
- Tem certeza que esse é o filme tão fenômeno que todos comentam?? Eu perguntava a mim mesma. Onde nós vamos parar???!!!

Na boa..o Bento Carneiro, vampiro brasileiro do Chico Anísio me fazia rir menos.

O lance desse filme são as expressões.

Os olhares de Bella para o Mogli, o menino lobo são os the best.

Podre este filme. Podre.

Não sei onde foram parar Nosferatu e até mesmo os vampiros da minha geração em The Lost Boys.

Lobo disse...

Ah, não vale não.

Eu juro que me esforcei pra ler os livros. Juro. Mas lá pela página 90 do primeiro, desisti. Vampiros brilharem é demais pra mim...

Abração Rafa!

Palavras Vagabundas disse...

Jamal, eles não são vampiros! São Emos disfarçados...rs
Vampiro para mim só existe um Drácula. Achei super legal o que você apontou sobre o filme no quesito sexualidade. Sexualidade sublimada, romântica (tão sec XIX),
quando vi Crepusculo isso me incomodou mas aí eu descobri que a autora é mormom! Sexo só para procriação e divórcio causa mãe safada que só quer se da bem com padastro e pai frustado e sózinho. Aff
abs
Jussara

Mylla Galvão disse...

Rafa,

Eu prefiro os livros aos filmes! Sei lá... Há mais emoção, mais fuidez nos personagens...
Em amanhecer que será dividido em 2 partes por ser mto grande, a Bela finalemente vira vampira, mas não é mordida pelo Edward e eles tem uma filha, metade humana e metade vampira.
Eu tenho para mim que os livros são mais emocionantes!
Talvez vc goste mais... Pq não tenta?

Bela análise... E vc não foi cruel, foi bom mesmo... Os filmes são ruins mesmo... E não comportam nem 1% dos livros!

bjo

Edilson Cravo disse...

Querido Rafael, realmente os vampiros se modernizaram e as adolescentes gritam alucinadamente por atores sarados e com pinta de modelo: sinal dos novos tempos. rs
Fazer o quê?
C'est la vie!
Linda semana e um abraço.

Dama de Cinzas disse...

Olha que eu gostei do primeiro filme... rs... Vi os três, são bem bobinhos mesmo, feito pra adolescente, mas é que adoro vampiros, vejo dos filmes mais toscos aos melhores...

Veja a segunda temporada de The Vampire Diaries, porque a primeira lembra muito crepúsculo... ahaha... A segunda já tem uma boa vilã vampira... Mas isso se você gostar de vampiros, tem que gostar pra assistir esses lances... rs

Beijocas

@adriano_mariano disse...

auhauhauhauahuaha... adorei a crítica.

Bom, mas tenho que discordar de vc em alguns pontos. Preciso dar um pouquinho (só um tiquinho) mais de crédito a Crepúsculo, o primeiro filme (e único que assisti). A cena do baile, no final, me fez lembrar do sofriento psicológico que, na verdade, os vampiros passam. Se vc observar bem, vampiros maus e inescrupulosos não são a maioria nas histórias... sem contar nos filmes do Blade e Buffy. rs. Nos romances eles eram eternamente frustrados pela sua imortalidade fadada a ver e/ou causar a morte de pessoas ao seu redor...

Enfim,
mas confesso que até o próprio Drácula deve se contorcer em seu caixão ao ver na tela de seu celular que pega TV o vampiro dos novos tempo, e dizer: "No meu tempo, um vampiro que via a luz do sol brilhava pq estaria, no mínimo, pegando fogo..."

Tathiana disse...

Hahahahaha. Deve ser um dos típicos filmes que são uma ridicularização do livro. Mas não sei pq não li os livros. O filme é realmente insosso. As interpretações são péssimas. Bella, coitada, nem bonita é. Mais sem graça não há. Assisti e fiquei desiludida.
Bjs.

Saulo Taveira disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Do c@r@lho o que escreveu!!!
Eu também não tinha assistido, dose dupla em plena terça de finados - vampiros já estão mortos. hehe

Cara um caos a atuação deles. Não que eu seja um Raul Cortez, mas aquele vampiro pálido só ganhou o papel devido ao fisic - sua palidez mórbida. Impossível ter qualquer verossimilhança na atuação deles. Até Mutantes da Record é melhor em termos de atuação. O cigano Igor é um talento perto desse elenco. A cara da atriz é trash. Loucura total, assino embaixo.

Abração.