AS PALAVRAS E BIAL

Como é bom ouvir palavras boas sobre a gente.
Gostaria muito de escutar um texto referindo-se a mim, como os privilegiados participantes do BBB.
Pedro Bial, é amado, criticado, por muitas pessoas até antipatizado, mas o que não pode tirar dele é a sua competência jornalística. Sua bagagem, seu conhecimento literário, sua capacidade de síntese é exclusividade dele. Poderíamos dizer ser ele o 5° elemento, se o programa não tivesse 17 participantes. Poderíamos dizer que ele é um bom apresentador, se não se envolvesse tanto nas histórias pessoais de cada individuo ali confinado.
Aos intelectuais que acham o BBB um lixo da televisão brasileira, que acreditam que tudo não passa de um apelo de marketing em busca do tão esperado ipobe, deveriam descer dos pedestais que se colocam e assistir, mesmo sendo um ultraje a sua digníssima inteligência, a programas como esse. Ver como se comportam pessoas normais, reais, que quando fingem atuar, se entregam na primeira frase pensada e ensaiada.
Dizer que o programa é tendencioso? Até pode ser...não menos que a revista Veja, por exemplo. E os deuses da inteligência desse país se regozijam por serem assinantes da Veja, Folha de São Paulo e outros meios que entendem como sendo os melhores da comunicação. Não estou criticando a revista, nem os jornais, apenas expondo meu ponto de vista sobre esses meios, alias, eu também os leio, mas não me sinto intelectual por isso.
Big Brother pode não ser o exemplo a ser seguido, uma influencia negativa aos jovens, como dizem. Mas espera um pouco, o que seria má influencia para os jovens?
Não acho que um programa que mostra pessoas bonitas, no seu entrevero de se manter vivo num Jogo escancaradamente assumido pode fazer mal a alguém. Há tanta coisa de mau gosto na TV aberta e a cabo, que não entendo por que esculhambam um programa de índices de aceitação tão grandes.
Faço o meu “mea culpa” por que como bom telespectador que sou, fico injuriado com a decisão maior, que é a do povo. Sou povo, mas nem sempre concordo com o pensamento da massa.
Ano passado esbravejei contra a Globo, e a vitória daquele imbecil do Max. Realmente me revoltou. Mas o publico que acredito inocentemente, deu o premio a ele, também o jogou no ostracismo.
Não adianta querer mudar de opinião, dizer: não assisto essa coisa. Eu gosto...rs. Sempre fui fascinado pelo ser humano, por suas neuras, seus rompantes, a beleza ou a imperfeição que cada um carrega. E não existe um modo mais fácil de ver isso, a não ser pela TV, onde pessoas se expõe sem textos pré concebidos, se entregando as próprias burrices, ou sendo psicanalista...rs rs rs...e já to velho pra isso.
Pedro Bial fez ontem um dos discursos mais bonitos, mais poéticos das 10 edições, quando eliminou o participante Serginho. Suas metáforas, eufemismos e todos os recursos lingüísticos que embelezam um texto, são usados com propriedade por Bial.
O que dizer a dois participantes gays, assumidos, que se enfrentam perante milhões de telespectadores duvidosos em quem excluir do jogo. Os 53% que tirou Serginho, não foram por rejeição, talvez sim pela manifestação publica de que Dicesar sofre um preconceito maior por parte dos colegas de confinamento do que Serginho, que na fúria dos seus 21 anos, passa por cima de comentários jocosos, narizes tortos, como se não os visse. Dicesar, machucado pela vida, pondera, e hoje, ser assim é sinal de falsidade. O publico enxerga, e decide. A Drag pode não vencer o jogo, não levar os 1 e meio de reais, mas no momento que mais precisou, o publico lhe estendeu a mão.


Peter Pan e Dorothy. A metáfora não podia ser mais bem escolhida. Nesses momentos é que reverencio Pedro Bial. Capacidade de falar bonito. Não para eles, mas para o publico que calmo, sentado nos sofás de suas casas, digerem cada palavra dita. Parabéns a Pedro Bial.


Quem não viu, pode ver aqui: http://www.youtube.com/watch#!v=ttPpPWXXMxE&feature=rec-LGOUT-exp_fresh%2Bdiv-1r-3-HM&playnext_from=TL&videos=-zOXK8cSHws&playnext=1


E concluo, adoraria ser analisado, e falado de forma tão bonita como ele assim faz com os eliminados do programa. Bial, não te conheço...nunca participarei do Big Brother, mas queria que falasse de mim, um dia...rs rs rs...


Boa segunda-feira a todos...uma ótima semana.

5 comentários:

Gustavo disse...

ADOREI o texto!!!

Amo BBB tbm, essa ultima edição acabei não assistindo nada por falta de tempo e talvez de paciencia com alguns participantes.

Entretanto esta edição tem seus prós.

Na realidade nunca gostei do Serginho, mas conhecer o verdadeiro Orgastic foi muito engraçado e o melhor, milhões de pessoas se perguntando se a beee é mesmo gay.

Ai ai o mundo é engraçado as vezes, ou melhor, boa parte das vezes é engraçado.

Se erapara o Dicesar... não sei, mas querendo ou não eu gosto dele, chamem-o de fofoqueiro ou não. rsrs

Bjunda Rafa!

PS: Também gostaria de ouvir algumas palavras de Bial, mas na atual situação, acho que eu iria me matar depois de ouvi-las HAHAHAHAHAH!!!!

Renato Orlandi disse...

Eu confesso, não tenho uma opinião sobre o Bial, as veze seu o amo e as vezes o odeio. É dificil, as vezes ele diz coisas maravilhosas e eu concordo contigo, mas em outras ele tropeça no lixo... Mas que nao faz isso neah... Nao sei mesmo rs... Mas prometo q vou pensar ahsuahsua. bjoo!

Antonio de Castro disse...

o BBB já foi legal. Quem sabe o 1o e o 5o. Não tenho mais paciencia, não...

e p Bial então! Desculpa.

Argh!

-

Denise disse...

Rafa!! To por aqui sempre para ler seus textos que são fantásticos! Sorte minha ter um amigo assim tão antenado e culto! bjão

Robson Schneider disse...

Uma das coisas que mais gosto no Pedro Bial é o fato de ser bem resolvido. Ele é como é e faz o que quer sem se importar com criticas.Tem um lugar seguro e diria confortável na emissora que trabalha,não é a toa que foi convidado pra escrever a biografia do Roberto Marinho... hehehe pra quem de fato pode né?!
Concordo com você, o texto da eliminação do Serginho foi brilhante e as metáforas foram de fato perfeitas. Dorothy e Peter Pan traduzem incrivelmente a alma dos dois BBBs emparedados.Agora me permitindo uma viagem irônica...
Imagine que cena fantástica: Dicesar vestido de Judy Garland, dublando "somewhere over the rainbow" na despedida do dourado... dourado? nome curioso para um brutamontes não?
Abração