Branco X Chuva

Dizem que sexta feira é dia de se vestir de branco. Por que? Quem disse isso.

Ta, ótimo....mas também falam que em dia de chuva não se usa branco. Será que existe alguém nesse mundo que pode me dizer o por que?

Ok ok ok...hoje é sexta, e ta chovendo...então?

Pra mim isso é tudo lenda, coisa que a avó inventava. Nunca comi manga e bebi leite...e o medo de morrer de indigestão!!! Minha avó era campeã em colocar essa minhocas na cabeça, pudera, uma pessoa que com 15 anos, marca a data e hora da morte para ano seguinte e sofre até chegar a data, não pode ser normal...rs rs rs...que Deus a tenha.

Ah, só pra deixar dito, o dia da morte chegou, passou e ela viveu até os 89 anos...rs

Um amigo diz que pode sim sair de branco em dia de chuva, caso você ande de carro, porque se for de ônibus, ta arriscado a chegar sujo.

Hoje eu to só falando merda...

De manhã escutei outra pérola da contadora aqui do escritório. Ela vem sempre conversar comigo e a arquiteta que trampa aqui. Acho que somos legais..rs rs rs...

Bem, ela fofocava sobre alguém da empresa (que é evangélica) e de um caretinha metido a playboy que dá em cima da menina (casada). Ela de repente solta: A esse aí ta depositando o dízimo na bolsinha de pêlos...

Sem comentário !!!!

Uma hora dessas conto uma história dela e do pistolinha...rs rs rs

Bem, é isso, só bobeiras por hoje. Acho que é o sentimento de felicidade de ser sexta-feira. Quero ir pra casa, cinema, fazer coisas que me dêem prazer.

Espero que tenham um bom fim de semana...segundona estamos aí

Mike, esse post não ta relevante!!!! Rs rs rs rs rs

UM COMERCIAL DE TV



Há uma dessas propagandas passageiras vinculadas na TV nas ultimas semanas ( que não é necessário vincular a empresa anunciante), narrada pela voz inconfundível de Arnaldo Antunes que faz a seguinte pergunta:

O que te faz feliz?

É certo, que como propaganda, ela diz um monte de coisas bonitas, para induzir o telespectador a sentir-se motivado, mas pensando sobre o assunto gostaria de saber das pessoas o que as faz feliz.

Posso enumerar algumas coisas que me fazem ter a sensação de felicidade. Não vou discursar sobre como ser feliz, que isso é passageiro, que bla bla bla, como muitos analistas fazem. Quero falar das sensações, às vezes rápidas, muitas vezes permanentes de felicidade.

Me sinto feliz por exemplo de manhã, quando acordo com o dia ensolarado, céu azul. Quando entro no banho a claridade do sol está bem na janela do meu banheiro e enquanto faço a barba no chuveiro com o raio de sol no meu rosto, sou invadido por uma onda de felicidade. Na verdade um bem estar enorme, que posso sim chamar de felicidade. Nem há motivo, mas sinto, e sempre.

Quando volto da casa dos meus pais, passo por uma avenida que tem um muro enorme que cerca o cemitério principal da cidade. Não se vê nada, além de mais de um quilometro de muro branco, mas há um canteiro principal com Ypês roxos e amarelos plantados, e que por milagre, mantêm-se floridos o ano todo. Sempre abro o vidro do carro e deixo o ar bater no rosto...sinto a sensação de felicidade.

Engraçado como para algumas pessoas ser presenteado é o momento de alegria, para mim não. Bem, explicando, não é que não goste de ganhar presente, é que sempre que o fazem, sinto um certo constrangimento. Sei que estou ganhando o presente, por conseqüência de uma data festiva, ou coisa parecida, mas ser presenteado não me trás a mesma sensação de felicidade, como presentear. Me sinto muito satisfeito quando percebo no rosto de uma pessoa que presenteei a alegria de ter ganhado aquilo, principalmente crianças.

Sinto essa mesma onda de alegria sentado a beira mar, olhando o horizonte, com um ar gelado no rosto. Quando estou com alguém que gosto, quando provo um doce gostoso ( doce me dá felicidade).

Quando mexo em coisas do passado. As lembranças me trazem felicidade, não que me sinta nostálgico, porque isso de certa forma estraga nosso presente, mas há uma certeza que aquilo que passou foi válido, que produziu algo bom para os dias de hoje.

Pode parecer hipócrita, mas sinto-me feliz pelos outros, pelos amigos, família, quando conseguem algo que desejavam. Digo isso, por que posso agradecer a Deus, por não ter nascido com o DNA da inveja. Por que o invejoso não se torna, ele é ele nasce.

Apesar dos problemas que todos temos, das dificuldades naturais da vida, das desavenças, discussões, da certeza que não somos felizes o tempo todo ( até por que seria chato) é fato que qualquer ser humano em algum momento de sua vida sentiu essa sensação de felicidade, de bem estar. Cada um dá o significado que quiser a isso.

Só não me agrada pessoas felizes demais. Gente que você sabe que está atuando, fingindo, falando alto, rindo, gargalhando, para impressionar. Às vezes digo, essa felicidade exacerbada me incomoda....rs...mas, cada qual seja da forma que quiser.

E você o que te faz feliz?

Abraço a todos...boa quinta-feira.

A conga do Creu no piripiri

Será que alguém pode me explicar o que ta acontecendo nesse meio “artístico, funkeiro, submundo mutante”.

Ontem mesmo a mídia se escandalizava com as louras do Tchan descendo na boquinha da garrafa, ou com a louraça beuzebú de Fausto Fawcett “ um exocet – CALCINHA, um exocet – CALCINHA”.

Aí vieram a Tiazinha e a Feiticeira. As mulheres mascaradas que batiam ou assopravam. Da-lhe playboy, sexy, e tudo o mais que pudesse ginecologicamente ver o útero das moças.
Logo depois numa incursão ao mundo do funk o pseudo-astro pornô Sr. Alexandre Frota aparece com as enfermeiras do funk, que resultou em quebra pau televisivo, processos judiciais, gritos e ranger de dentes. Claro, tudo isso com a fabulosa cobertura de Luciana Gimenes e seu programitcho Super Pobre, opa, Super Pop.

Em seguida, não há muito tempo a fabulosa mulher samambaia tirou suspiros de Silvio Santos apresentando-se com sua inteligência sub-humana no Qual é a Musica. Tudo bem que ela não precisava acertar nada, nem cantar, bastava à presença com os adereços que lhe são peculiares.

Mas tudo isso é apenas para mostrar a surpresa quando vi hoje pela manhã que a Mulher Jaca....isso mesmo Mulher Jaca quer tomar o posto da Mulher Melancia do Creu....
Carái véiiii...que salada de frutas é essa? Eu nem sabia direito o que era o Créu !!!! E tem briga pra tomar o lugar?

Depois diziam que a Gretchen e a Rita Cadilac abusavam na performance. Piripiripiripiri - Oh, mon amour.

Quer saber de uma coisa, a lacraia era mais engraçada....rs rs rs

Vai Lacraia, vai lacraiaVai Lacraia, vai lacraiaVai Lacraia, vai lacraiaVai Lacraia, vai lacraia
Tá Dito

Ele é brasa, mora!!!

Nunca escondi que sou fã do rei...é, dele mesmo Roberto Carlos...

Quando pequeno, escutava minha mãe tocando os LPs ( Long Plays, para a geração mais nova...rs) e não entendia ao certo o que era, ou quem era, mas lembro de parar e ouvir atentamente.

Com o tempo, percebi que Roberto Carlos fez história não só na minha vida, mas em muitos, quem dirá todos os brasileiros. Sejam memórias boas ou ruins, acredito que todo mundo tenha algo relacionado a ele em sua vida.

Me lembro, que nos aniversários do meu pai, por anos seguidos, minha mãe tocava a musica "amigo"quando iamos cumprimenta-lo. De certo que meu pai sempre foi um homem seco, sem muitas demonstrações de afeto e carinho, e seria talvez essa a forma de minha mãe toca-lo, sentimentalmente.

Escolhi dois momentos recentes da carreira do Rei.

O primeiro é a participação de Ivete Sangalo no especial de 2004, cantando em dueto o sucesso escrito por Herbert Viana - Se eu não te amasse tanto assim.

Talves um dos momentos mais emocionantes dos quase 30 anos de especias da Globo.

video

Em segundo a participação de Marisa Monte no especial de 2006. Na feição dela dá pra perceber o encantamento que sentiu em estar com Roberto no palco. Incrivel que cantores do porte de Marisa Monte, realmente se emocionam ao se aproximar dele.

Ela retrata talvez o sentimento de muitos fãs, independentemente de idade, sobre o mito que se tornou dentro do cenário nacional.

video

Se sou brega?...talvez!!! mas não deixo de aplaudir, a mais romantica voz do país.

Espero que assitam aos vídeos acima.

Abraço.

lei da atração

Cartas D´Amor – Eça de Queirós

Estava lendo uns textos na internet e me deparei com um pequeno livro de Eça de Queiros, na verdade são cartas românticas bem ao estilo da época (séculoXIX) . O livro é uma seqüência de correspondências de um tal Fradique, enamorado de uma certa Clara.

Pode até parecer idiotice, mas vou colocar um pequeno trecho de cada uma das cartas e fazer uma análise.

1 – carta de Fradique a sua madrinha:

[...Ontem, em casa de Madame de Tressan, quando passei, levando para a ceia Libuska, estava sentada, conversando consigo, por debaixo do atroz retrato da marechala de Mouy, uma mulher loura, de testa alta e clara, que me seduziu logo, talvez por lhe pressentir, apesar de tão indolentemente enterrada num divã, uma rara graça no andar, graça altiva e ligeira de deusa e de ave...]

Ps.: O cara encontrou a moça, e ficou interessado, na verdade, é aquilo que todo mundo sabe, mas na época ninguém falava...rs...ficou com tesão na mina.

2 – Primeira carta a Clara:

[...Não, não foi na Exposição dos Aguarelistas, em Março, que eu tive consigo o meu primeiro encontro, por mandado dos Fados. Foi no inverno, minha adorada amiga, no baile dos Tressans. Foi aí que a vi, conversando com Madame de Jouarre, diante de um console, cujas luzes, entre os molhos de orquídeas, punham nos seus cabelos aquele nimbo de ouro que tão justamente lhe pertence como “rainha de graça entre as mulheres”...]

[... E tão intensamente me embebi nessa contemplação, que levei comigo a sua imagem, decorada e inteira, sem esquecer um fio dos seus cabelos ou uma ondulação da seda que a cobria, e corri a encerrar me com ela, alvoroçado, como um artista que nalgum escuro armazém, entre poeira e cacos, descobrisse a obra sublime de um mestre perfeito...]


Ps.: Pronto, xavecou a mina. Deve ter prestado uma boa homenagem a ela em casa. Só não entendi que o cara chama a garota de “amiga”...bem, acho que ela ta quase no papo, independente da forma de tratamento. Se hoje são chamadas de “cachorra” e se derretem, vai saber na época!!!

3 – Segunda carta a Clara

[...Ainda há poucos instantes (dez instantes, dez minutos, que tanto gastei num desolador desde a nossa Torre de Marfim), eu sentia o rumor do teu coração junto ao meu, sem que nada os separasse senão uma pouca de argila mortal, em ti tão bela, em mim tão rude – e já estou tentando reconfigurar ansiosamente, por meio deste papel inerte, esse inefável estar contigo que é hoje todo o fim da minha vida, a minha suprema e única vida. É que , longe da tua presença, cesso de viver, as coisas para mim cessam de ser – e fico como um morto jazendo no meio de um mundo morto, Apenas, pois, me finda esse perfeito e curto momento de vida que me dás, só com pousar junto de mim e murmurar o meu nome – recomeço a aspirar desesperadamente para ti, como uma ressurreição! Antes de te amar, antes de receber das mãos de meu deus a minha Eva – que era eu, na verdade? Uma sombra flutuando entre sombras. Mas tu vieste, doce adorada, para me fazer sentir a minha realidade, e me permitir que eu bradasse também triunfalmente o meu –“Amo, logo existo!”...]

Ps.: Hummmm...Torre de marfim? Acho que o certo é “Motel Torre de Marfim”...também que mulher não daria pra um homem que escreve desse jeito. È certo que tendo lábia o sujeito consegue o que quer.

4 – Terceira carta a Clara:

[...Toda em queixumes, quase rabugenta, e mentalmente trajada de luto, me apareceu hoje a tua carta com os primeiros frios de Outubro. E por quê, minha doce descontente? Porque, mais fero de coração que um Trastamara ou um Bórgia, estive cinco dias (cinco curtos dias de Outono) sem te mandar uma linha, afirmando essa verdade tão patente e de ti conhecida como o disco do Sol – “que só em ti penso, e só em ti vivo!...”]

Ps: O cara comeu...agora ta dando o fora. Ela já escreveu cobrando a ausência. Tudo a mesma coisa. Século XIX, XXI...o cara da uma sumidinha, a mulher já começa a ligar, mandar carta...já deve estar falando para as amigas que ele não presta.

5 – Quarta carta a Clara:

[...Minha amiga.

É verdade que eu parto, e para uma viagem muito longa e remota, que será como um desaparecimento. E é verdade ainda que a empreendo assim bruscamente, não por curiosidade de um espírito que já não tem curiosidades – mas para findar do modo mais condigno e mais belo uma ligação, que, como a nossa, não deveria nunca ser maculada por uma agonia tormentosa e lenta...]

[...Decerto, agora que eu dolorosamente reconheço que sobre o nosso tão viçoso e forte amor se vai em breve exercer a lei universal de perecimento e fim das coisas – eu poderia, poderíamos ambos, tentar, por um esforço destro e delicado do coração e da inteligência, o seu prolongamento fictício. Mas seria essa tentativa digna de si, de mim, da nossa lealdade – e da nossa paixão? Não! Só nos prepararíamos assim um arrastado tormento, sem a beleza dos tormentos que a alma apetece e aceita, nos puros momentos de fé e todo deslustrado e desfeado por impaciências, recriminações, inconfessados arrependimentos, falsa ressurreições do desejo, e de todos os enervamentos as saciedade...]

Adeus, minha amiga. Pela felicidade incomparável que me deu – seja perpetuamente bendita.
Fradique


Ps.: Putz...deu o fora na menina. Pelo tom da carta, o cara começa com “ minha amiga” , de certo que ele ia dar o fora. É isso aí ela pegou no pé...ele sumiu.
Independente da forma como os romances se desenvolvem, quando começa a cobrança, é nisso que termina, o cara some. Esse arrumou uma viagem distante e deu-lhe o pé na bunda.

Desculpem aos amantes da literatura uma interpretação tão chula de uma obra de Eça de Queiros, mas não me contive quando li essa ensebação toda só pra comer a mina. Hoje os caras fazem o Funk do Creu, ontem elas desciam na boquinha da garrafa, e nos séculos passados recebiam cartas “românticas”...na verdade a lei universal, sentiu tesão o cara faz qualquer coisa pra conseguir. É isso.
E no fim ela ficou como a moça da foto, com a Coca-Cola na mão...rs

té mais

Não gosto de segunda-feira

Putz....

Segunda é um dia péssimo...miserável.

É a manhã sem criatividade, é a tarde que se arrasta.

Desculpem pela falta de post mais interessante...mas ´quem passar por aqui, pode discursar sobre sua segunda-feira...rs rs rs....

abraços,

Prometo que amanhã apareço com um post decente.

Boa semana a todos

o vilão dos vilões


E mais um icone nos deixa. O eterno Leôncio, personagem de uma das mais bem sucedidas novelas da história da televisão mundial.

Rubens de Falco aos 76 anos nos deixa a lembrança de grandes personagens, como o Barão de Araruna ( Sinhá Moça) e o fazendeiro mimado e inescrupuloso de Escrava Isaura.
O dificil de ter 35 anos, é ver que os personagens da infancia estão indo, um a um.
Que descanse em paz.

INIMIGO VELADO

Em fim de semana de Oscar, nada melhor do que relembrar um grande sucesso dos cinemas.

Trata-se da história de Dan Gallagher (Michael Douglas), um advogado bem sucedido que aproveitando a ausência da esposa Beth Gallagher (Anne Archer) em viagem com a filha, e envolve-se num rápido e tórrido caso amoroso com a executiva Alex Forrest (Glenn Close)

Porém, quando ele a rejeita, ela passa a persegui-lo, ameaçando sua vida, de sua esposa e filha.
Uma mulher desequilibrada emocionalmente e até mesmo perigosa. Alex é só e quando decide fazer parte da vida dele, quer isso custe o que custar.

As seqüências de suspense de Atração Fatal, são no estilo marcante do cinema da década de 80, que também transformou outros do gênero em grandes obras da telona, como “Cabo do Medo” e “A mão que balança o berço” . As imagens são muitas vezes em câmera subjetiva, ambientes silenciosos onde se ouve apenas uma respiração, um som que indica algo assustador. O diretor leva o espectador ao extremo da ansiedade até o ultimo momento quando definitivamente o personagem principal mata o bandido. Quando tudo está tranqüilo, eis que surge novamente o vilão. Essa faceta era comum na época, e nos três filmes citados acontece. Vale a pena para os mais jovens conferi-los.

Sem dúvida um dos melhores personagens de Glenn Close, que brilhou nas décadas de 80 e 90.

Na época houve muita discussão sobre até onde um relacionamento extraconjugal ou as chamadas puladas de cerca são validas. Para o personagem de Michael Douglas, que era um homem fiel e bom pai, a história com Alex o faz enfraquecido por não saber lidar com uma situação dessas. Um caso passageiro, sem envolvimento emocional da parte dele, gera uma explosão de ódio, resultando numa vingança contra quem era da mesma forma vitima, a esposa traída e sua filha.

Com muito estilo e sensualidade, Atração Fatal empolga o publico com essa assustadora historia de um romance casual transformado em tragédia.

Uma das cenas mais chocantes é quando Alex, sem que saibam como, invade a casa de Dan e cozinha, vivo, o coelhinho de sua filha.

O Diretor Adrian Lyne, o mesmo de "Proposta Indecente", "Flashdance" e "9 e ½ semanas de amor", era um dos fortes candidatos ao Oscar, assim como Glenn Close que todos apostavam já estar com o premio nas mãos. Mas no ano o grande vencedor, que arrebanhou quase todas as estatuetas foi o filme “O ultimo Imperador”, e Glenn Close viu sua vitória entregue nas mãos de Cher, por um insosso papel num filme tosco " Feitiço da lua" ao lado de Nicolas Cage, que creiam, tinha cabelo original na época.

Uma curiosidade é que a personagem Alex começa o filme vestindo sempre roupas brancas, mas com o decorrer de Atração Fatal as cores de suas roupas vão escurecendo cada vez mais.

O filme serve como um alerta para quem gosta de “casinhos”, ou pra quem se envolve com pessoas transtornadas, obsessivas e perigosas.
Bom fim de semana...e to na torcida por JUNO.

Artes

"A arte é a contemplação: é o prazer do espírito que penetra a natureza e descobre que ela também tem uma alma. É a missão mais sublime do homem, pois é o exercício do pensamento que busca compreender o universo, e fazer com que os outros o compreendam." (Auguste Rodin)

Sou um admirador das artes, sejam elas na manifestação que for.

Através do Deco, um amigo que escreve sempre pra mim aqui no blog, descobri um artista plástico chamado Carlos Avelino.

Um grande artista ,diga-se de passagem. Tem uma técnica mista que me agradou demais aos olhos quando visitei seu site, e o que mais me admirou, as cenas urbanas de São Paulo. Essa é sempre uma vertente que me agrada. A cena urbana.

Aqui em Campinas há um bom artista plástico chamado Gallo, que também tem essa temática em alguns dos trabalhos.

Acho que minha formação de arquiteto e urbanista me remete a esse gosto. Não sei se por ver muita obra, analisa-las, desenha-las meu subconsciente me diz que é pra gostar disso...rs.

Vale a pena visitar a exposição de Carlos Avelino. É o que tentarei fazer antes que termine. Está no WTC -Berrini até o dia 29, fica no mesmo complexo é possível visitar o D&D Shopping, portanto dá pra saber mais ou menos onde fica.

Peço licença ao artista pra inserir no blog hoje um de seus trabalhos.


"A arte é a expressão da sociedade em seu conjunto: crenças, idéias que faz de si e do mundo. Diz tanto quanto os textos de seu tempo, às vezes ate mais." (Georges Duby)

Para saber mais do trabalho e Carlos Avelino, visite seu site: www.carlosavelino.com

Cinturinha de pilão

Hoje eu não quero falar nada sério, por isso vou postar sobre algo que recebi por e-mail há um tempo atrás.

Já vi mulheres e até homens escravos da beleza, fazendo sacrifícios e mudando o corpo para atingir um ideal de perfeição, mas o que está nas fotos abaixo é uma aberração.

Quem contou pra essa véia que ter uma cintura dessas é bonito?

Na verdade isso é aflitivo. Vejam que horror, ela é da largura de um côco...rs rs rs.


Ta certo que lá por 1800 e pouco era bonito mulheres de cintura fina, visto Scarlet O´Hara ( E o vento Levou)* numa cena célebre em que coloca o espartilho esmagando as costelas, mas aí a tirar costelas para ficar assim, já passa do limite.


Além do que essa veia é feia...


A sensação que dá é que ela parece um saquinho de chup – chup ( sacolé em alguns lugares) cheio de ar e torcido no meio...na verdade acho que é isso, torceram a veia até ela ficar assim...

Isso que acham a Tália ridícula por ter tirado costelas pra afinar a cintura. O que dizer disso. Maria do Bairro ta absolvida.

Por falar nisso, o SBT tá reprisando pela trigésima vez a novela...esse "dia 12 Novembro" é a data em que todo ano eles colocam a novela no ar.

É isso.

Boa quarta....


* E o Vento levou (Gone With the Wind, 1939) – para os mais jovens, um clássico do cinema, indiscutivelmente, o filme mais popular produzido em Hollywood em todos os tempos.

O crepusculo de um mito

Abandonei a idéia que tinha para o post de hoje em prol de falar de um mito. Na verdade um mito caído, ultrapassado, mas que marcou boa parte da história nos últimos 50 anos.

Fidel sempre foi o macaco barbudo, amigo de Che Guevara, inimigo numero 1 dos EUA, porém uma figura que crescemos ( digo nos acima dos 30) vendo-o desafiar a hegemonia e o autoritarismo norte americanos, que impôs ao mundo uma nova forma de pensar e viver.

Quando um ícone como Fidel , sai de cena, é impossível não sentir uma certa nostalgia. Aprendíamos na escola, ainda com métodos do antigo regime militar que “CUBA” era a ilha dos desajustados, dos comunistas que devoravam criancinhas, que na verdade esse “devorar” era apenas uma alusão ao regime idiota implantado por ele, um regime que devorava sim, toda e qualquer esperança que o povo teria de se igualar o restante do mundo. Só podemos dizer que Fidel, apesar da truculência teve até hoje peito para enfrentar tudo e todos. Com o fim da União Soviética era de se esperar que Cuba fosse introduzida no capitalismo, apesar de acharem que não, ele está lá, e não irá demorar para que crianças cubanas desfilem com seus nikes e ipods pela cidade. A era Fidel terminou.

Ter carisma em meio a um povo miserável, subjugado e manter-se líder e amado é algo ainda incomum na história recente. Fidel extrapolou barreiras de bom senso, torturou e matou adversários políticos, impôs o regime que só ele acreditava ser o ideal, e ficou sozinho. O palco esvaziou e sobrou apenas Fidel, com seu monólogo repetitivo e desgastado.

Para os mais jovens, nascidos na década de 80 ou 90, é difícil mensurar o que é essa aposentadoria de Fidel, esse “sair de cena”. Uma lenda viva, a história em pessoa.

Sendo bem grosseiro na comparação, quando Xuxa estiver velha ( um pouco mais, pq velha ela já ta...rs) e abandonar de vez a mídia, talvez os mais jovens de agora sintam essa nostalgia a que me refiro. Um “ídolo” se vai.

Adeus camarada Fidel.


Ser uma Família

Para quem acompanhou no inicio da semana passada a história da adoção de Samy por uma amiga minha, está aqui hoje o testemunho de que por pequenos ou grandes que sejam os atos que praticamos existe a certeza de que interferimos na vida de alguns.

Carol é recém casada, tem um cãozinho da raça Lhasa Apso, de nome Bobby. Na adolescência foi ”mãe” como costumam dizer às pessoas que tem bichinhos em casa, de uma poodle de nome Pit, que viveu por 15 anos, sob um tratamento de princesa. Carol se interessou em adotar um cão abandonado, e recebeu de braços abertos e com amor a cadelinha Samy, indicada num site por um leitor deste blog, o Deco.

Ontem estive na casa da Carol, e me certifiquei que Samy está feliz no seu novo lar. Ela tem um histórico triste de atropelamento e abandono. Vivia com um mendigo antes de ser levada para a casa de uma senhora que a abrigou, lhe deu carinho, antes de Carol acha-la.

Observei a capacidade que o animal tem de ser grato pela forma como é tratado. Samy reconhece em Carol, no seu esposo André e em Bobby a nova família. Um cãozinho doce, de olhar meigo, tristonho, mas que demonstra alegria com um rabo que abana o tempo todo.
Não só a história de Samy me deixou feliz, Carol me contou outra passagem bonita acontecida com amigos dela. Um casal jovem, a esposa também arquiteta, há um tempo espera na fila de adoção de crianças, a oportunidade de iniciarem uma família. Ela por algum motivo desconhecido, apesar de não ter problemas palpáveis não conseguiu engravidar até hoje, apesar de alguns tratamentos.

Bem, algumas semanas atrás após muito tempo de espera o juiz que estuda a possibilidade de adoção deles os chamou por que surgira uma oportunidade.

O casal foi surpreendido por trigêmeos. Três meninos saudáveis, com nove meses de vida, lindos. Samuel, Miguel e Gabriel já estão no seu novo lar.

O que quero dizer com tudo isso, é que refletindo sobre o ser humano, vejo e acredito que há sim benevolência, caridade, solidariedade, amor e muito mais, que não somos todos corrompidos pela desilusão, pela falta de perspectiva como muitos alegam. Uma vida com fundamentos religiosos, sejam eles cristãos ou de qualquer outra crença, ajuda e muito a criarem seres humanos como esses, que com grandes ou pequenos atos, se permitem mudar a vida, começar uma caminhada tortuosa, inesperada, pelo simples fato de possuírem amor pelo próximo, pelas criaturas inocentes, abandonadas.

A essas duas famílias desejo tudo que o mundo possa proporcionar de bom. A Carol, André, seus cãezinhos e os filhos que virão, e também ao casal de amigos com seus três meninos que certamente lhe trarão muito orgulho no futuro, o desejo de que a vida lhes retribua os gestos de amor, agora demonstrados.

Boa semana a todos

antes e depois

Termino a semana com uma frase dita pela contadora aqui da empresa.

Falávamos sobre uma das moças que trabalha conosco, que andava cabisbaixa, sem interesse, desmotivada, cabelo murxo.

De uma hora pra outra apareceu resplandecente, cabelo com chapinha, roupas sensuais...

Moral da história....arrumou um namorado e tava dando...eita nóis.

Mas voltando a contadora, ela disse que um dia conversando com essa moça disse que realmente precisava arrumar um namorado, que isso a faria mais feliz e soltou essa pérola contabilista:

Menina, você precisa chacoalhar o bruto pra extrair o liquido.

Nunca ouvi uma barbaridade como essa...rs rs rs, mas segundo ela, é uma forma contábil de se expressar.

Imagino como arquiteto o que eu deveria dizer.

azeita a forma, mete o concreto e chacoalha” ou “ senta no espigão pra ver a cumeeira ta reta”

É isso...bom fim de semana pra todos.

As preferidas do momento

Hoje quero falar sobre dois assuntos distintos.

Primeiro sobre o belíssimo JUNO, estrelado por uma cativante Ellen Page, que ao longo do filme dá um show de interpretação, e deixa claro que por mais que a vida esteja uma droga, há sempre um fiozinho de humor que pode ser usado para atenuar s situações.

O par romântico não é muito convencional para os padrões hollywoodianos. A menina com o exótico nome de Juno MacGuff, inicia a história com um tórrido momento de amor com seu colega classe Bleeker (Michael Cera – encarnação do personagem Charlie Brown – Snoop). Ao escutar baixinho no ouvido “Bruxinha”. O filme ainda conta com uma Jennifer Garner em um dos melhores momentos da carreira.

O que se segue a partir daí é uma brilhante narrativa sobre uma menina de 16 anos grávida. A visão e o entendimento do filme são fáceis, mas em momento algum é insosso. Não é um filme de dramas chorosos, desesperos e aflições. O roteiro é muito delicado, e no final você sai do cinema leve, entendendo que pra tudo há uma solução, mesmo quando o mundo desaba.

O filme concorre a 4 prêmios no Oscar de 2008, incluindo, melhor atriz ( não sei a cotação de Ellen Page para o premio, mas seria merecido), melhor filme, diretor e acredito melhor roteiro. Torço para que esse filme independente saia vencedor. Fico apenas chateado da trilha sonora não ser indicada, por que é um daqueles clássicos eternos como o CD de Pulp Fiction, Embalos de Sábado a Noite. Enfim, vale a pena conferir no cinema.



video


Juno - 1234


Agora falemos sobre Amy Winehouse. Confesso que sempre vi escândalos dela na internet, mas nunca me ative a saber que tipo de musica cantava. Na verdade achava que era um rock pesado, talvez pela fisionomia agressiva, tatuagens que ela apresenta em suas aparições publicas e fiquei surpreso ao me deparar com um ritmo delicado, e uma batida black, um estilo alternativo, diferente do que esperava.

Vi sua apresentação no Grammy 2008, e me interessei pelo que vi, e fiz uma rápida busca de discos, clipes e shows. Posso dizer que estou nutrindo uma paixão pelo trabalho de Amy.

Chego ao ponto de não me importar com os escândalos protagonizados por ela nos últimos tempos. Fico apenas penalizado de uma artista de tanto gabarito estar se destruindo irracionalmente.

Ainda não sei como funciona Amy. A impressão que tenho ao ver os Shows é que ela está hiper drograda, talvez bêbada, ou apenas é o jeitão dela de ser. Ainda não descobri, sou um fã muito recente.

Dançar ao som de Amy, deve ser muito bom. Me solidarizo com sua doença, seu vício, e torço pra que ela escape de um fim trágico.

Não curto artistas que se manifestam dessa forma, como Britney Spears. Pra mim esse tipo de celebridade não leva um tostão meu, mas Amy, de alguma forma me cativou...ainda vou descobrir porque.



video


Back to Black - Amy Winehouse


Isso não pode

Coisas que não se faz...

Estava dirigindo para o trabalho numa tarde dessas e pensando sobre coisas que eu não gosto e acho que ninguém deveria fazer. Birutices da minha cabeça. Certas questões de educação, respeito ou mesmo atitude com outros, que devem ser evitados, claro, no meu ponto de vista.

Por exemplo:

- Fumar enquanto há pessoas comendo na mesa, e pior, apagar o cigarro no prato de comida. Definitivamente, além de falta de educação, é nojento.

- Pessoas que “flatulam”, peidam mesmo, onde estiverem sem se preocupar com quem está perto. Quer perder a amizade comigo, peide do meu lado. Não vou dimensionar o quanto abomino isso.

- Pessoas que na terceira vez que te vêem, dizem que te amam como se fossem amigos de infância. Puxa saco.


- Enquanto está cozinhando as pessoas ficarem comendo parte dos ingredientes, ou chuchando pão no molho que esta no fogão, há horas sendo cozido.

- Atropelar pombas na rua. Eu não tenho coragem de matar o “espírito santo”. Tem gente que não liga, eu bato o carro, mas não atropelo pomba. E deixe que caguem no meu carro.



- Vendedores que usam roupas da loja e devolvem no estoque. Aí você vai compra a peça e sente o perfume do vendedor(a) nela, ou a catinga de suor.

- Não devolver livros e CDs emprestados. Ou estraga-los de alguma forma.

- Fuçar no armário de banheiro da casa de estranhos. Não se deve fazer isso, mas todo mundo faz. Confesso que faço...rs rs rs.

- Falar de trabalho com o cara que ta pilotando a churrasqueira. Putz, o coitado ta ali, muitas vezes a contra gosto e alguém pára do lado pra reclamar do emprego. Isso não pode acontecer!!!

- Deixar que seu animal de estimação faça xixi na casa de estranhos, digo em ambientes fechados.

- Não recolher cocô do cachorro quando passeia na rua.

- Se você não curte baratas, as pessoas têm que respeitar isso. Quem determinou que por que você é homem é obrigado a esmagar, estraçalhar baratas. Uso o aspirador de pó para pega-las, e daí? Pelo menos não fica gosma no chão.

- Sentado à mesa de um bar e chega o tira gosto, não sair comendo como louco pra encher a barriga, há mais pessoas na mesa, e o prato é pra ser dividido.

- Sou da opinião que conta em restaurante deve ser dividida de acordo com o que cada um consome. Tem muito folgado que bebe vinhos caros, come dezenas de sobremesas e divide com quem só tomou uma coca. Errado!!!

- Revelação de amigo secreto deve ser em local discreto. Gritaria e entrega de presentes no meio de quem está querendo apenas comer é muito desagradável.

- Amiga siliconada que quer mostrar os recém adquiridos air bags apenas para as esposas dos amigos...meu, põe na roda, já que comprou, mostra. Rs rs rs.


- A bendita sunga branca. Isso é na praia, pra quem quer fazer exposição da figura, não numa piscina familiar, onde há crianças, senhoras e pessoas que não estão interessadas em ver nenhum amendoim animado.

Enfim, há muito a ser evitado. Mas para ser feliz, é necessário fechar os olhos e deixar rolar.

Abraço a todos.

Recado para o DECO II

Espaço de utilidade pública

Recado de Marcos para Deco:

Deco eu estive na casa da Dona Yolanda com a Carol ( minha sobriha) e realmente imaginamos que Dona Yolanda sentiria falta da sammy que é um doce de cãozinho,

Fizemos otima viagem. Na mesma noite fui a casa da Carol para ver como estava. O marido dela estava na rede com a sammy, e o bobby que é o outro cachorro deles todo feliz da nova "irma" - eles moram em uma bela casa num condominio com muito espaço.

Neste dia dormiram os 4 no quarto pois não queriam que sammy ficasse triste... mas ela brincou bastante feliz depois de um tempo.

Eu sou o pai da filomena Cristina que foi adotada (que o rafael contou) ela tem até orkut, de tanto que as pessoas adoram ela... Sou cachorreiro mas sofro muito ao ver a situação de alguns cães por isso não voluntario em ajudar mais diretamente.

Parabéns pelos seus esforços, porque nós sabemos que em cada cãozinho bate um coração com muito amor incondicional para dar.

Abç Marcos (desculpe rafa se me extendi demais).

Deco deixe uma forma de contato com vc, assim mantemos informado sobre Sammy. Já que a Libanesa não está mais no Brasil, você pode dar noticias a Dona Yolanda. Fique tranquilo, não publico seu endereço. ok...abraço.

Rafael

Aos amigos

A amizade, acredito, pode ser chamado de sentimento, e é algo que nos transporta no tempo, para um futuro ainda não vivido, para um passado de lembranças.

Existe na amizade verdadeira um acordo de cavalheiros, um fio de bigode, onde você sabe que anos se passam, e estando ou não perto deste amigo, seu sentimento por ele é o mesmo.

Às vezes adormecemos a amizade por determinada pessoa por estarmos distante, por não falarmos constantemente com ela, ou simplesmente por que as atribulações do dia a dia acabam nos fazendo negligenciar tal amizade, e assim congelamos o tempo e as lembranças...a sensação é que apenas nos envelhecemos e aquele amigo continua jovem, eternamente jovem.

Um dia aquela pessoa aparece de novo, te telefona, ou você arruma um tempo vê-la. A impressão que se tem é que o tempo não passou, que apenas nos distanciamos alguns dias. A única certeza são as marcas que o tempo deixou em nós.

Os anos passam, nossas vidas mudam, filhos surgem.

Aos meus amigos de anos, que estão próximos, ou aos que estão muito, muito distantes, quero dizer que apesar desse “tempo” ser implacável o carinho continua o mesmo, e quando os revejo, a sensação é de que nos vimos ontem.

Esse post também representa a amizade que tenho por todos aqueles que fazem parte do meu mundo, aqueles que conheço, aos que são apenas virtuais, e os que um dia irei conhecer.


Abraço a todos

RECADO PARA O DECO


Deco...


Samy foi adotada por uma amiga minha, chamada Carol, daqui de Campinas sim.


Mostrei o site onde estava Samy ao pai da Filó, e ele ajudou a fazer campanha. Carol é sobrinha dele, ambos advogados.


Hoje ( 11-02) eles foram a uma audiencia em SP e aproveitaram e trouxeram Samy pra Campinas.


Carol tem um cãozinho chamado Bob. Samy fará companhia para ele, que ainda é filhotão.


Vc, através do meu blog, e do Tony conseguiu uma família para Samy, e tenha certeza, será tratada com muito carinho, pq Carol ama animais.


Em breve farei fotos de Samy em seu novo lar, e faço uma postagem aqui.

JUNO - PARTE 1

Começo a segunda com o clipe de uma das musicas quem compõe a bélissima trilha sonora do Filme "JUNO".

Farei um comentário mais apropriado do filme durante a semana. Mais precisamente Quinta-feria, que é o dia de falar de cinema no Baú do Jamal.

Pra quem ainda não foi ao cinema, corram e assistam JUNO. Uma bélissima, delicada e expontânea comédia/romance/drama.

O video é da musica _Sea of Love - intepretada numa versão acustica por Cat Power.

video

Abraço a todos....boa semana

um Chef genial


Quando Ratatouille estreou no cinema confesso que torci o nariz. Não me empolguei para assisti-lo, mesmo adorando desenhos.

Há uma diferença sutil entre os desenhos produzidos pela Disney de outras empresas como a DreamWorks de Spielberg, a Pixar quando ainda não estava associada a Disney, que é a profunda humanização dos personagens.

Shrek é um monstro, que atraiu atenção do público por ser desajeitado e viver uma linda história de contos de fadas, mas a Disney consegue dar vida aos seus personagens, semelhanças com humanos, expressões que comovem.

Desde os mais antigos desenhos, como Branca de Neve que é possível perceber essa faceta. Olhos brilhantes, piedosos e suplicantes, mas não ao estilo gato de botas. Com o passar dos anos, eles intensificaram essa proximidade com as expressões humanas o e o que se vê em Remy, o ratinho cozinheiro é um show de olhares, sorrisos e demonstrações de sentimentos, muito próximos aos nossos.

Cada vez mais a computação gráfica consegue atingir a realidade. Apesar de o personagem principal ser um rato que anda em duas patas, fala e interage com outros de sua espécie, os desenhos animados tem revelado roteiros de imenso bom gosto e realismo. Desde o Rei Leão que as empresas cinematográficas descobriram que o desenho animado realmente vende. Tudo isso que estou falando não é segredo pra ninguém, muito menos para esses produtores.




Garanto, prefiro muito mais assistir a algo ingênuo, cativante como Ratatouille do que alguns filmes que chegam aos cinemas ou locadoras, onde diretores querem provar uma capacidade de criação que foge ao que entendo como bom gosto.

Ratatouille foi uma grande surpresa e um sentimento de “mea culpa” por ter desprezado quando esteve no cinemas, e demorado tanto tempo para conferi-lo.

A mensagem subliminar de que todos são capazes de tudo, basta apenas acreditar e dedicar-se é uma verdade que às vezes esquecemos. O filme tem uma dose exata para tudo o que se propôs a mostrar, vilania na medida certa, mocinhos que se apaixonam, um herói que não se esforça pra ser herói, família, amigos e companheirismo.
Ratatouille entrou para a galeria dos “meus” melhores filmes.



Vida de Cachorro.

Filomena Cristina Andrino...

Fez 5 aninhos ontem dia 4 de fevereiro, junto comigo.

Não sou de muitos afagos com animais, mas Filó é a personificação de um ser de luz. Assim como existem pessoas que entram na vida da gente com um propósito, acredito que animais também cumprem esse papel, principalmente para quem os cria.

Quem não conhece a história de Filó saibam que ela foi um cachorro abandonado. Numa tarde de sábado de 2003, os pais dela foram a uma feira de adoção ( UPA - União Protetora dos Animais) no Carrefour daqui de Campinas e eu estava junto. Era uma tarde cinzenta, com nuvens de chuva carregadas. Filó estava numa gaiola subjulgada a outros cães maiores, nas mesmas condições, apenas separada para que não a machucassem. Ao ser colocada pra fora, ela não erguia a cabeça, não parava de pé. Humilde. Se não fosse adotada naquele dia, seria sacrificada na manhã seguinte. Apaixonaram-se por ela naquele instante.

Filó trás muita alegria a quem convive com ela. Olhar expressivo, carinhos sinceros. Ela recebe as pessoas quando entram em sua casa. Faz festa, dá a pata para um carinho.

Personalidade independente. Não gosta que a segurem no colo, não se deixa prender. Ao mesmo tempo carente, meiga, delicada. Uma aquariana certamente. A data de seu nascimento ninguém sabe. Mas a partir de sua adoção foi estipulado pelos pais que Filó faria aniversário junto comigo.

Pra você, Filózinha linda, faço esse post em sua homenagem e a seguir um poema que li há um tempo e que retrata nós dois, por que queiram ou não, somos parecidos.

Um Cachorro
Ao andar pela pequena avenida
Dia nublado de céu acinzentado.
Leve garoa lavando minhas meias
Perambulando em cima da faixa amarela
Carros rápidos vinham e iam
Um cachorro pos a me acompanhar
Magrelo, cabisbaixo, andar lento...Vi-me.

A você, todo meu carinho, querida Filomena Cristina.


Aos que um dia pensaram em ter um cão, façam como os pais da Filó, procurem cães abandonados. Cachorros de raça, são lindos, garbosos, mas os que são abandonados, lhes darão um amor, uma gratidão que são perceptíveis a qualquer contato.

Happy birthday to me


Obrigado aos que lembraram...e perdoo os que esqueceram...

To mais velhinho...mas com corpinho de mais novinho...memoria de criancinha. Quem sabe falando no diminutivo não me conformo que os 35 anos já chegou...

abraço a todos, e mais uma vez, obrigado pelas manifestações de carinho.