Limpando o arquivo

E o ano de 2007 se foi.
O mês de dezembro nem pode ser contado como último do ano, por que os preparativos, o espírito natalino toma conta e nem vemos ele passar.
Por isso limpei minha caixa de imagens e neste 30 de novembro vou postar umas coisas engraçadas, estranhas e irreverentes que havia garimpado por aí.
Por ordem de idade e coisa estranha, vamos iniciar por Lourdes Maria e seu bigodinho português.


Fiazinha...tua mãe é rica. Uma depilação no buço e uns fios a menos na sombrancelha fariam grande diferença. Nem Claudia Ohana coleciona tantos pêlos mais ( pra quem tem mais de 30 anos sabe do que eu falo...rs rs rs). Desse jeito Harry Potter nem olha pra vc qdo for figurante no filme.
Agora voltemos alguns anos e analisemos de novo ( na época foi comentado ao extremo) a capa de Preta Gil na Playboy (segundo Mike, uma montagem feita para divulgação de seu CD). Gianechini já serviu-se dessas carnes, e tantos outros famosos galãs. Aplausos a Preta Gil. Virou atriz ( atua muito bem), saiu peladona na capa do CD mostrando que ser negra e gorda não é motivo de preconceito, fala merda pra todo mundo, e ridiculariza a Hebe Camargo na cara dela, sem que a véia perceba...é isso aí Preta Gil é "o cara".

Não dá pra falar a mesma coisa do sujeito da foto abaixo. Não sei quem é...apenas achei tão ridículo que acabei guardando a foto. Essa pose de costureiro famoso com essa manequim ao lado, sei lá...tudo muito estranho...se alguém souber quem é quiser me tirar dessa ignorancia, obrigado. Vai que o véio é famoso e eu nem sei de quem se trata.

Agora é a vez da mega bilionária, patricinha, ex-presidiárioa, ex-pornogirl do You tube, ex alguma coisa ridícula PARIS HILTON...

Quando falei outro dia de tias gordas comendo coxinha era essa a imagem que fazia. Essa linguinha prestes a devorar um quitute, os dedinhos juntos que após levarem a guloseima a boca, serão lambidos para sorver todo o conteúdo que ficou preso neles...Paris Hilton e seu momento tira gosto.
Esses óculos de abelha, o cabelo preso depois de uma faxina...Ela deve ter odiado tanto essa foto...rs rs rs

A melequinha de nariz da cantora britânica Amy Winehouse, que vive dando baixarias na midia é a sensação dos paparazzos...rs.
Não sei por que mas ela é parecida com Marisa Monte ou é impressão minha? Agora a gordinha com cacho de abelha na cabeça é filha dela, é fã? não sei...só dá pra perceber que se relamente é filha, a Amy deveria apanhar, por deixar a filha adolescente sair na rua e ser fotografada assim...sabe oq isso vai resultar? análise pro resto da vida, terapia e antidepressivo.



E por último...vamos posar pra uma foto de casamento?....eeeeeeee.....Sorriam, pra sair bonito na foto...



Boa sexta-feira a todos...e um ótimo fim de semana.

cineminha

Quarta é dia do insuportavel futebol na tv. Para não me irritar mais ainda com a falta de programação da TV aberta ( não coloquei cabo em casa, pq esse privilégio ficou para os pais quando mudei), e como estou sempre fora de casa, resolvi que não necessitava de mais um gasto. Pois bem, tomada essa decisão, fico a mercê da programação.
Tudo isso pra explicar que sempre as quartas feiras confiro oq há de bom no cinema, DVD ou seriados.

Como sou critico ao extremo la vão dicas sobre oq assiti.

1 - TRANSFORMERS:
Fiquei surpreso com computação grafica usada nesse filme. Transformers não não é da minha época de criança...décadas de 80 e 90 eu ja era adolescente, e não brincava mais de carrinho. A história é boa, mas a mesma coisa de sempre...catastrofes, extraterrestres invadindo quem? os EUA. O bom que nesse filme pelo menos não é o presidente que salva o mundo. Vale a pena conferir pra quem gosta de filmes de ação, computação grafica, mocinhos e bandidos. É um pouco confuso distinguir quem são os bons e o maus. Acho que no cinema isso ficava mais claro. Bem...nota 8,50

2 - ERAGON:

Primo de terceiro grau, mais pobrinho do Senhor dos Anéis. Ambientação simples, belas tomadas, fotografia excelente. Elenco com grandes nomes. Um filme para sessão da tarde. Vale conferir também. O vilão não consegue passar tanto medo quanto o personagem exige, mas ta entre os mais malvados do cinema. A computação grafica é de primeira. Os vôos do Dragão parecem cinema em 3D. Chega a dar frio na barriga em alguns mergulhos. O mocinho é fraco como ator, a mocinha parece muito mais velha que ele...Eragon, não rpecisa de continuação, pode ficar só nesse. Nota 7,0



Mundo Bizarro

Britânica de 24 anos diz ter 200 orgasmos por dia

Ela trabalha em um salão de beleza, e a vibração dos secadores a deixa maluca. Mulher é portadora da síndrome da excitação sexual permanente.
Sarah diz ficar excitada com praticamente tudo: o balançar dos trilhos do trem, o vibrar de um secador de cabelos, o ritmo de uma máquina de xerox... Tudo faz ela chegar lá.
Sarah é esteticista e trabalha em salões cheios de secadores de cabelo e aparatos de tratamento de pele que causam problemas a ela. Quando começa a tossir e corre para o banheiro, as colegas já sabem o que fazer: oferecer um chá ou uma revista às clientes dela. "Às vezes, eu queria ter apenas uma vida normal."


Anão britânico fica com o pênis preso num aspirador

Um anão que costuma se apresentar no Festival de Artes de Edimburgo teve de ser levado às pressas para o hospital, depois que seu pênis ficou preso num aspirador durante uma de suas performances.
A parte principal da performance consistia na aparição de Dan no palco com um aspirador preso ao seu membro através de uma espécie de engate.No entanto, o dispositivo quebrou antes da apresentação e Blackner tentou consertá-lo usando uma super-cola. O problema foi que ele só deixou secar por 20 segundos, em vez dos 20 minutos necessários, e em seguida colocou a peça em seu órgão. O resultado final foi uma colagem firme, risadas, pavor na platéia e a hospitalização do Capitão Dan.
"Foi o momento mais embaraçoso da minha vida. Fui removido de maca com um aspirador preso no meu corpo" disse Blackner. "Eu só queria desaparecer da face da Terra. Por sorte, fui atendido prontamente, por isso a vergonha passou rapidamente", concluiu.



Mulher engole dentadura do namorado durante beijo escandaloso
Uma mulher de 38 anos, moradora de Galati, na Romênia, foi parar no hospital depois de engolir a perereca (uma das partes da dentadura) de seu namorado. A mulher, que não teve seu nome divulgado, admitiu ter engolido a perereca quando aplicava um "tipo especial de beijo apaixonado" em seu namorado. Depois de passar dois dias sentindo dor e vergonha no hospital, a romena expeliu os dentes pelas vias naturais.


Rapidinha


O retorno de Chuckie


Todos que me conhecem sabem que eu adoro crianças. Gosto do modo inocente com que enxergam as coisas. Um Bate papo com uma criança é algo divertidíssimo.

Mas quem diz que todas elas são simpáticas, amáveis e inteligentes?

Certa vez, devia ter uns 15 anos de idade, e havia uma família de amigos dos meus pais que freqüentavam minha casa. Tinham um pequeno raspa de tacho que chamarei de Ferobônio.
Moleque chato era aquele. Tinha chilique por qualquer coisa. Nada o agradava. E obvio, sobrava sempre para o imbecil do adolescente fazer o que?...distrair o pirralho com seus brinquedos da infância ainda não terminada. Eu detestava aquele bostinha...
Bem, certo dia estava ele a andar com sua insuportável bicicletinha por todo canto, atropelando as pessoas e destruindo as plantas da casa. Não deu outra...pegou embalo e deu de cara no muro. Choro, ranger de dentes e uma bicicleta para eu buscar e ver o que tinha acontecido. Tudo bem, lá foi o tonto.
Peguei à maldita, apoiei a mão no banco e trouxe pra dentro de casa. Minha surpresa ao sentir a mão melecada, foi que além de idiota, eu era burro. O desgraçado do moleque tinha besuntado todo o banco de merda. Cagou na calça e patinou no banco. ¨*%$#$#%&*&&*%%&$$#%$#¨&*...

Outro dia estava na casa de uns amigos, num churrasco quando chega um garotinha de uns 4 anos, vestida como uma miniatura da mãe, isso é, uma cachorra funkeira. Todo mundo bajulando a coisinha, e eu só na espreita. Determinado tempo fui eu fazer contato imediato com a Etezinha, Estava com algumas pulserinhas de plástico, tirando e pondo, e o bobão aqui foi dizer que: bonitas suas jóias, deixa eu ver? A reposta foi: vai se F........ Fdp...........vai tomar C......piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.....pois é, a menina descarregou um vocabulário de campo de futebol pra mim, apenas porque eu quis interagir. A vontade que tive foi de dizer: seu mostro, você vai ser horrorosa quando ficar moça, com esse seu cabelo ruim. Baranga!!!

A última veio da minha sobrinha ( afilhada) de 9 anos. No aniversario dela em outubro desse ano, enviei um cartão por internet ( ela está aprendendo a navegar) e para agradá-la, mandei um cheio de florzinhas, coraçõezinhos e tudo mais. Dois dias depois recebo uma resposta. Ela também havia me mandado um cartão. Ao abri-lo dizia: Cerveja não engorda!!! Bolo não engorda...e bla bla bla Wiskas...e finalizava....quem engorda é você seu porco!!!...fiquei sem palavras. Passei numa farmácia e me pesei. Ufa, continuava como os mesmos 74 kg...rs rs rs...sabe-se lá, diziem que as crianças são tão sinceras...rs

Definitivamente...a Xuxa tinha razão quando beliscava os pestinhas no programa!!!



Cinturinha de pilão

Hoje o dia ta corrido, segundona é uma merda...então pra não deixar meu blog sem atualização, postei essa fotinho só para provocar o Ricardo ( http://oquemedefine.blogspot.com/).

Veja só o que tantos anos de inércia fizeram com o David de Michelangelo...se os visitantes desses menos pipocas e doces pra ele, continuaria esbelto. Vale uma plaquinha nos pés dele : Não alimente o David.

Para perder a obesidade morbida, precisaria com urgência de uma cirurgia de redução de estômago, uma ginecomastia, uma plástica de abdomem, muita malhação e uma lupa enorme, por que o bingulim dele desapareceu...

Ricardão...oh eu aqui falando mal de gordo...kkkkkkkkkkkkkkkkk...

Minhas tias velhas ficavam no chinelo perto do David.


Aos amigos

Peço licença ao dono de um blog que visitei hoje pela manhã ( http://rhdoinferno.blogspot.com/) para postar o mesmo texto que li por lá.

É uma metafora do que esperamos de um amigo. Um texto escrito, acredito, há algum tempo, visto o autor, mas que é tão atual e tão particular pra mim, que não pude deixar de posta-lo.

Aos meus verdadeiros amigos, esta é uma declaração do que eu vejo neles.

..."Escolhi meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim um louco e santo.
Deles não quero respostas, quero meu avesso.
Quero-os santos, para que não duvidem dos diferentes e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta.
Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que normalidade é uma ilusão estéril".

Oscar Wilde

Sonhos numa noite de ventania


Essa noite, não sei por que minha mente foi invadido por uma seqüência incrível de sonhos. Interessante que me lembro de todos eles. Apesar de ter despertado várias vezes, assim que caía no sono, mais sonhos.

Em determinado momento estava na casa de uma ex. Havia uma criança, e eu sabia que era meu filho. Um menininho moreno de uns 5 anos. Eu olhava e me sentia feliz, por descobrir que tinha um filho. O que isso quer dizer?....será que to querendo ser pai?...tem alguém com filho meu por aí, só esperando ficar famoso pra pedir DNA?

Depois me vi na antiga faculdade. Eu precisava pagar um boleto e ninguém queria receber. Andava de um lado a outro, e nada. Encontrei um casal de amigos, que comprava roupa por ali, mas eu não entendia, como estavam comprando...quem vendia? Tudo culminou com um guichê onde um anão me atendeu. Pra quem me conhece, sabe que tenho pânico de anões, desde criança. Algum trauma de infância, ou de outra vida.

Serão isso sinais?

É melhor eu começar a me preparar para a virada do ano, colher flores pra Iemanjá...rs, ir no candomblé...pq se algum desses sonhos for se materializar, provavelmente, como sou azarado, vou me casar com uma anã, que é sócia dos meus amigos numa loja de roupas...ou o menino moreninho filho da ex, é um anão e cheio de dividas...


Sonhos ainda são engraçados, dependendo do contexto. Mas graças que não tive mais pesadelos. Passei uma boa época tendo sonhos horríveis. Alguns com freqüência, como os que ficava estacado, sem movimentos...e tentava gritar e não conseguia...parecia que tudo girava em câmera lenta. Outro terror era um sonho onde olhava pela janela e sempre tinha alguém atrás, e eu tentava gritar e não conseguia.


Pelo menos acho que estou de consciência limpa...pq só tenho sonhos inofensivos ultimamente.

To ficando velho!!!!

Em meados de 1978 comecei a entender o que significava novela. A primeira história que me lembro foi escrita por Gilberto Braga e revolucionou a teledramaturgia no país, era "Dancing Days ". Não recordo de tê-la assitido na integra, apenas alguns flashs. Eu sentado com a família e os comentários que faziam sobre a trama.

A novela contava a história de Julia Matos ( Sônia Braga) ex- presidiária, que tenta reconquistar a filha ( Gloria Pires) então criada por sua irmã ( Joana Fomm).

O vídeo mostra a abertura da novela. Um sucesso de tecnologia na época.

video

Dez anos depois, um segundo sucesso também de Gilberto Braga cria o maior ícone dos vilões da televisão, a milionária Odete Hoitman (Beatriz Segal). A novela era "Vale Tudo". Em 1988 o Brasil passava por mudanças politicas e econômicas catastróficas. Uma inflação mensal de 88% (muita gente nem imagina oq isso significa). O contexto era tirar proveito de tudo. Moral e carater eram coisas de bobo. Só o rico levava vantagem. A novela mostra isso descaradamente.

Uma das cenas mais importantes da novela, é quando Raquel ( Regina Duarte) reencontra a filha para desmascara-la. Vejam a reação de Odete Hoitman ao saber que Maria de Fátima ( Gloria Pires) roubou a mãe.

video

Em 1998 a Globo reedita um grande sucesso "Anjo Mal". Nessa época a teledramaturgia já sofria do colapso de falta de criatividade que carrega até hoje. Um remake cheio de mudanças e protagonizado por Gloria Pires. O público identificou-se de tal forma com a personagem que no final da trama, Nice não morre, como na versão original. Este foi o único sucesso apresentado no decorrer do ano.


video

É bom ressaltar que nesses quase trinta anos, Gloria Pires esteve presente com grande destaque nas produções Globais.

Nos três exemplos acima pontuados, em décadas, ela fez sucesso em todas. Vejamos se em 2008, consegue emplacar um personagem tão forte e marcante quanto outros de sua carreira.

Duas Caras e dois peitões.

O assunto nas rodinhas de machos, donas de casa, mulheres inconformadas e gays, é a atuação de Flavia Alessandra no capítulo de sexta ( 16/11) . A dança sensual deve ter elevado o ibope e os ânimos da Rede Globo nas alturas.
Geralmente essas cenas ficam forçadas e vulgares. Por coincidência assisti a performance ( estava em casa na sexta a noite) e achei de certa forma, que o diretor que a instruiu ( não deve ter sido Wolf Maia) o fez com delicadeza e cuidado.
Claro, a cena é pra ser vulgar. Mas acabou que tornou-se um espetáculo, e coube bem dentro do contexto da novela.
Não estou querendo dizer que acho certo esse apelo sexual para equilibrar ibope, mas Flavia Alessandra está tão linda, que pode-se perdoar qualquer deslize da emissora.
O que vai dar de traveca imitando-a em boates, de máscara e pingentes no seios, ao estilo "Elvira", não está no gibi.


Para continuar no assunto sobre "Duas Caras", alguém deveria avisar o Antonio Fagundes que o Rei do Gado foi uma novela da década de 90, em outro século. Não dá pra continuar esse estilo, tantos anos depois. Essa mistura de Bruno Mezenga e Pedro ( Carga Pesada) tá furada e cansativa. O fagundes já foi melhor.

O mesmo que avisar o Fagundes, por favor fale para o Stenio Garcia que a dentadura dele tá horrivel...ele parece um personagem do Tom Cavalcanti quando tinha programa na globo, uma apresentadora indiscreta ( Ivonete Recebe) que andava com um poodle empalhado debaixo do braço. ( procurei fotos, mas não achei)
E por ultimo, a Marjorie Estiano é muito chata...pqp. O Agnaldo Silva pode até dizer no blog dele que a menina é boa atriz, mas aquela voz chorosa, com os dentes cerrados quando fala, é insuportável.

Bem, quarta-feira com cara de segundona...deixa eu trampar.

Quer frequentar? Aprenda.

Dicas para se comportar bem em churrascos e festas, quando não se tem intimidade com os anfitriões:

1 – ao chegar na casa, seja simpático e contido quando apresentado.
2 – cumprimente a maioria das pessoas, não beije quem está de boca cheia. Apenas faça um aceno com a mão.
3 – se levou cerveja ou algo pra comer, não quer dizer que precisa devorar tudo isso, beber toda a sua cerveja e mais a do dono da casa.
4 – nunca fique bêbado na casa de estranhos.
5 – não chute, nem bata no cãozinho de estimação da família.
6 – não apague cigarro no chão.
7 – não caia de bêbado sobre o dono da casa
8 – não dê em cima, nem cante os donos da casa.
9 – não empurre pessoas na piscina, principalmente aquela que acabou de conhecer e passou a tratar como amigo de infância
10 – não belisque, nem dê unhadas na dona da casa ou de algum amigo.
11 – não fale alto
12 – não lave roupa suja em público, as pessoas estranhas não querem saber de seus problemas conjugais.
13 – não bata no seu marido e diga frases do filme “tropa de elite” em voz alta, você não é o capitão Nascimento.
14 – se não estiver com o corpo em forma, fique de roupas de banho o mínimo possível...o restante do tempo, use uma camiseta ou uma canga. As pessoas não precisam contar as celulites, e nem olhar seu peitoral “Toni Ramos”
15 – se foi com um amigo, não fique pelos cantos conversando baixinho. O resto dos convidados irá pensar que vocês estão falando mal de alguém ali presente.
16 – se você está “bem” fora de forma, não se compare aos donos da casa.
17 – seja útil, ajude a recolher copos, lave um loucinha. Isso garante um novo convite. As pessoas irão achá-lo (a) prestativo.
18 – não deite na sala de estar da casa bêbado, com o cabelo molhado, em almofadas de enfeite.
19 – não queime a pobre da cachorrinha da casa com cigarro, ela não tem culpa de nada.
20 – se for mulher, só coloque biquíni se estiver devidamente depilada, os homens presentes não te acham Gisele Bündchen,, e a mata atlântica não será o local desejado neste momento.
21 – Se não consegue seguir esses itens, se ao beber sai de si...fique em casa, ou peça pra alguém ( a pessoa que te levou) assim que sair do controle, te levar embora. Não queime seu filme, não deixe má impressão.

Feriado


No que consiste um programa de indio?
- algo ou alguma coisa que faça sem ter um sentido lógico na sua vida.

9:00 – partida – Tempo fechado, chuva fina.
9:05 - o carro não liga. Deve ser o motor de partida.
9:07 - é o motor de partida. Então vamos no meu carro, as crianças ficarão decepcionadas se não formos. Verifica a água apenas, pq o resto ta tudo em ordem
9:10 – água em ordem.
9:20 - bagagem mudada para o outro caro.
9:30 – estrada, chuva começando...
10:00 – alguns km rodados...STOP STOP STOP.....ih...o carro ta fervendo
10:02 – você olhou água direitinho?
sim olhei, não deve ser água.
10:20 – pára no posto, coloca água, esfria o motor, bla bla bla Whiskas....
10:30 – chuva, chuva, chuva, chuva.....olho no painel pra ver se não estava esquentando
10:32 – olho no painel pra ver se não estava esquentando.
10:35 – olho no painel pra ver se não estava esquentando.
10:38 – olho no painel pra ver se não estava esquentando.
10:45 – olho no painel pra ver se não estava esquentando.
10:55 – olho no painel pra ver se não estava esquentando.
11:00 – chuva, chuva, chuva
11:45 – depois de 6 km em estrada de lama, derrapando, sujando o carro branco...eis o local de destino. Intensa chuva.
11:46 – olho no painel pra ver se não estava esquentando. Bem, o carro não esquentou
12:30– almoço com 120 crianças. Cantam musiquinha, gritam hinos, socam a mesa...Legal...ótimo.Crianças.
13:30 – sono...vontade de cochilar...Ofendido por todo mundo dizendo que você é velho, que só dorme...
15:30 – mesmo xingado, dorme-se e muito...
16:00 – crianças, chuva, lama, gritaria, lama, chuva, menininhas histéricas, lama, chuva....
17:00 – lanche...oba
18:00 – chuva, chuva, chuva, umidade, chuva...frio...o frio aumentando.
19:00 – jantar. Mais comida?
19:30- com 120 crianças. Cantam musiquinha, gritam hinos, socam a mesa...Legal...ótimo.Crianças.
20:00 – tchau...chuva...lama...chuva, deslizamentos...sujeira...e o olho no painel.
21:00 – após muita chuva...buraco...putz, pneu furado...
21:35 – trocar pneu, estrada escura...chuva pra caralho...agora frio, caminhões lambendo a lateral do carro...pneu que sai por baixo do carro...porra de carro que não tem o pneu no lugar onde todos tem. Pneu torçado, volta pra estrada, olho no painel...estrada que não acaba nunca...CHUVAAAAAAAA.
22:00 – chegando em casa...
22:15 – pegar cãozinho na casa da vó.
22:45 – banho...
23:00 – Harry Potter...
23:05 - Harry, me explica...por que eu fui nesse passeio? Porque?

Quem sabe ela ainda é uma garotinha...

video

Engraçado como percebemos tardiamente a capacidade de um artista. Eu nunca fui muito ligado ao que Cassia Eller produzia em sua carreira. Posso dizer que vez ou outra escutava alguma coisa que tocava na "moda" do momento.

Há poucos dias assistindo um programa (acho que MTV) sobre seu acústico de 2001, fiquei sensibilizado e apaixonado pela artista que foi. O programa apresentava um apanhado de sua vida, sua carreira, os encontros e desencontros e sua grande paixão por Maria Eugênia.

Quem produziu o progarama, o fez com muita delicadeza. Apesar da imagem rústica, e até agressiva de Cassia Eller, me surpreendi com a pureza e até ingenuidade com que lidava com algumas coisas da vida. Sua relação com o Filho Pedro, as drogas e sua morte prematura, são comoventes.

Incrivel perceber a evolução da artista e o amadurecimento do seu trabalho. Dificil acreditar que uma roqueira, masculinizada abre um show cantando Non, je ne regrette rien, anteriormente interpretada por Édith Piaf ( 1915 - 1963), um ícone da música francesa. Uma delicada canção que nada tem a ver com seu perfil.

O DVD com o show vale a pena. Além de um cuidado musical, a cenografia é linda, e o jeito tímido de Cassia Eller é cativante.

É triste como bons artistas se vão tão cedo.

Como diz o título da música no vídeo acima: Non, je ne regrette rien (Não, eu não me arrependo de nada)...que assim seja, com todos nós. Bom feriado.

Rapidinhas pela manhã

Em Sergipe a dona de um laboatório falsificava exames de DNA para beneficiar certas pessoas. A fraude foi descoberta por que um promotor suspeitou da demora para sair os resultados. Calculam que 56 testes foram adulterados.

- É o fim da picada...algumas crianças estão recebendo pensão e carinho dos pais que possivelmnete não sejam verdadeiros. Será que uma cretina dessas não imagina que o psicolóligo de uma criança e um pai podem ser abalados com uma sacanagem dessas. Um casal foi vitima de um desses testes. O cara não havia traído a mulher, e uma pistoleira, ajudada por essa dona do labioratório forjaram o exame que o acusou como pai. Um ano depois a justiça permitiu outro exame e foi descoberta a fraude.


Paris Hilton está se dedicando a salvar elefantes brancos da india. Eles se embebedam com cachaça de arroz nas fazendas e morrem eletrocutados em cercas elétricas. Só no mes passado 7 foram encontrados agonizando.


- Que coisa mais solidária. Elefantes brancos bêbados. Quem sabe se ela juntar Britney Spears e Lidsay Lohan não conseguem compor um hino tipo "we are the world". não deixem de chamar Courtney Love e Kate Moss.

O indiano P. Selvakumar casou-se com a cadela vira-lata Selvi em uma tradicional cerimônia hindu em Manamadurai, no sul do país, no último final de semana. A "noiva" estava usando a tradicional roupa de casamento, enfeitada com flores. Selvakumar decidiu casar-se com uma cadela por acreditar que está "amaldiçoado", após ter matado dois outros cachorros por apedrejamento, há 15 anos. "Depois disso minhas pernas e braços ficaram paralisados e eu perdi a audição em um dos ouvidos".
Tá...ele casou. Mas não creio que ele queira consumar o casamento... que pecado com a cachorrinha. Onde está Paris Hilton nesse momento?
Mais tarde faço um post mais sério.

PAIXÃO NACIONAL

Desde de pequeno que escutamos que futebol é coisa de menino, macho...
Eu por exemplo, tenho um irmão mais velho que a vida toda, quando se encontra com meu pai, falam do que? "de futebol". Uma necessidade de comentar o que o "Girlevan" meia direita, que joga no Pamonha d´água, la de Curralinho, fez no jogo da quarta divisão da copa dos não sei o que de onde.


Putz, acho que as espécies evoluem, mas o bicho "homem" tem o futebol marcado no seu DNA e isso desde que inventaram de correr atras de uma bola. Sinceramente, não tenho paciência de assistir futebol. Nem na TV, muito menos num estadio, onde você corre o risco de levar uma bexiga de urina na cabeça.


Não critico quem goste, apenas não entendo a ansiedade que muitos caras tem em assistir a futebol. Chega em casa, não olha nem na cara dos filhos, senta em frente a TV e procura uma partida, seja ela onde for. Quando o seu time joga então, é bem capaz dele matar alguém que se intrometa a assitir outra coisa.
Só acho válido quando a Seleção enfrenta a Argentina. É o único momento que entendo o prazer de um gol, isso quando o jogadores brasileiros conseguem o feito.
Enfim...o povo precisa de pão e circo...que encham os estadios então.

Harry Potter

Finalmente chegou meu Harry Potter 7. Já li e já sei o que acontece com todo mundo. Mas nada melhor que ver a tradução feita pela mesma profissional que durante tantos anos criou em lingua portuguesa o mundo de fantasia com tanta semelhança.
Há muitos que acham a obra uma bobagem, voltada ao publico adolescente. Eu mesmo recusei-me a ler por que não sou chegado ao desvario em massa. Me rendi no terceiro filme. Achei a história consistente e busquei descobrir a que se propunha.
Daí em diante tornei-me um leitor assiduo. Comprei todos os títulos e posso dizer que não é uma obra vazia. Claro, não há como comparar a um Ernest Hemingway, uma Isabelle Alende, mas dentro do contexto é um livro atraente, divertido com uma delicada mensagem de paz, e com a boa e velha temática " do bem vencendo o mal".
Há personagens bem construídos. Voldemort se enquandra entre os melhores vilões do cinema. Daqui uns anos estará lado a lado a Darth Vader, Freddy Kruger e Miranda Priestly ( Diabo Veste Prada)...rs rs rs


Aos que me acompanharem nesta jornada das "Insignias da Morte", boa leitura. lembrando sempre que Dumbledore é gay... se alguém perceber algum sinal disso neste ultimo livro, por favor me avisem, estarei esperto também...

Antes só.....

Em que época da vida as pessoas param de te encher o saco em relação a ter ou não alguém?

Assim que nos entendemos como seres humanos, lá pelos 5 ou 6 anos de idade começa a dura batalha das saias justas.

Um simples “parabéns pra você” cantado numa festinha lotada de amiguinhos da escola, da rua, além de tias corpulentas de dedos gordos se entupindo de coxinhas e brigadeiros, vêm acompanhado de um “ com quem será...blá blá blá...que o fulano vai casar”...e todos olham pra menininha mais linda da usa escola, como se ela realmente fosse sua namoradinha. Você quer mais que todos desapareçam quando apaga a vela ( diga-se de passagem que isso é um nojo porque a criançada cospe no bolo quando apaga a vela). Então você percebe que a vida não será fácil.

E por aí vai. Você mal entra na adolescência e as tias gordas continuam perguntando: E aí, ta namorando? A vontade é de responder: Não sua gorda, nem nasceram os pêlos direito e você já quer que eu acasale.

Depois disso é uma tortura. Se você está sozinho, as pessoas continuam perguntando. Se você está namorando as pessoas se preocupam com o que está fazendo ( ficam aqueles comentários pelas costas querendo saber se você faz sexo com a menininha que ta saindo).

Se o namoro já tem um tempo começam outras perguntas: E aí quando sai o casório? Cacete, vocês não queriam que eu namorasse, então...agora querem que eu case?

Você casa. Aí vem. Quando vem o nenê?

Você tem o primeiro filho, e as tias agora gordas e caducas perguntam? Vai ficar com um filho só? Quando vem outro?...nossa na minha época, com a sua idade eu já tinha 5 filhos. Então ta...problema é seu, por isso ta aí podre. Sem contar que o fato de você não querer ter filhos parece o crime mais hediondo da face da terra. Como vocês não querem filhos? ( Aí tem coisa, essa menina que ele casou não pode ter filhos, certeza que ela é seca).

E por aí vai. No meio do caminho as pessoas querem saber se o seu casamento ta indo bem, se você separa, é porque não presta. E se arruma outra mulher, é porque não presta. Se você opta em ficar sozinho, alguma coisa de errado tem...ih, acho que o fulano é fruta.

As pessoas não entendem que às vezes é melhor estar só , do que com alguém que não vale a pena.

Toda pessoa muito legal, que você acha que seria para a eternidade, mais cedo ou mais tarde, quando percebe, estava era querendo te levar pro altar....golpe isso!!!

Bem, não pretendia deixar o texto tão grande para uma segunda-feira, mas, é só uma indignação e um protesto...EU QUERO FICAR SOZINHO...CACILDA!!!....rs rs rs.

Woman


Pouco tempo antes de ser assassinado por um fã imbecil, Jonh Lennon compôs essa canção abaixo. É uma ode a mulher. A qualquer mulher.

Sejamos quem for, não podemos negar que um dia, magoamos uma mulher, mesmo que sem intenção. Seja ela mãe, namorada, esposa, companheira de trabalho, amiga. Independente da força, da postura das mulheres no mundo, elas continuam frageis.

A canção diz o que as vezes nos falta em palavras. Se tiver paciecia de assistir, tenho certeza, que lembrará de alguma mulher que um dia foi importante ou ainda é, em sua vida.
Woman.

Woman I can hardly express
My mixed emotions at my thoughtlessness
After all I'm forever in your debt
And woman I will try to express
My inner feelings and thankfulness
For showing me the meaning of success
Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo
Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo

Woman I know you understand
The little child inside of the man
Please remember my life is in your hands
And woman hold me close to your heart
However distant don't keep us apart
After all it is written in the stars
refrão

Woman please let me explain
I never meant to cause you sorrow or pain
So let me tell you again and again and again
I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah


video

Rapidinha

Pra quem não ta afim de ler o post anterior, deixo essa tirinha.

mulheres = sinceras e crueis.
homens = sinceros, porém vingativos...rs rs rs

As Miseráveis

O Post de hoje faz parte de uma coletânea de contos escritos pelo dono desse blog: eu.

Selecionei um do textos escrito em 2002 e que faz parte de uma crônica chamada: Viveiro de Deus.

Para quem tiver paciência de ler....espero que gostem


01° andar – apto110: AS MISERÁVEIS


Quando abriu a porta daquele miserável quarto no fim do corredor, Juliete estava exausta da noite que tivera. Tentou não fazer barulho, porque sua companheira de infortúnios dormia. Sentou-se na cama, abriu a bolsinha de couro, despejou o conteúdo sobre a colcha de retalhos e examinou-os. Juntou as notas que estavam amassadas e as moedas e fez montículos com pouco dinheiro que ganhara. Separou os preservativos novos dos envelopes usados e guardou-os na bolsa novamente. Estava cheirando cigarro e colônia barata. Aos poucos tirou toda a parafernália que a incomodava e olhou a amiga deitada, encolhida sobre o colchão velho que ganhara de um cliente. Estava frio, mas não tinham cobertores ali, sentiu pena de vê-la naquele estado, mas era uma situação que não podia reverter. Encolheu os ombros e decidiu que também dormiria. Mais tarde quando levantasse tomaria um banho. Passou a mão por entre as pernas para notificar-se se estava limpa. Achou melhor dormir.
Acordou assustada com gritos da companheira, a canseira era muita, dormira umas cinco horas, apenas. Deveriam levantar, porque à tarde teriam que procurar algo para comer, mas não conseguia entender o fato da amiga estar gritando, demorou alguns minutos e conseguiu raciocinar o que estava acontecendo.
- O que é isso Valda, pare de gritar. Disse Juliete chacoalhando a amiga
- Tire a mão de mim sua vadia, e esbofeteando-a Valda jogou a amiga na parede.
- O que é isso? Reclamou Juliete e chorando encolheu-se no chão. Nunca deixei ninguém me bater, odeio agressão, odeio. Chorava ainda mais.
Valda tomou consciência do que fizera e levantou correndo em direção a companheira para ajuda-la. Abraçou-a e pediu desculpas.
- Não quis agredi-la, estava tendo um pesadelo e quando senti mãos agarrando meu braço entrei em pânico. Perdoe-me, por favor. Suplicou Valda.
- Tudo bem, me ajude a levantar. Disse Juliete tentando apoiar-se nos calcanhares.
- Dê a mão. Nossa, que anel é esse que você tem aí? Quem foi que te deu? Disse Valda com os olhos arregalados para a jóia que Juliete carregava nos dedos.
- Viu que coisa mais linda? Respondeu, olhando o anel em seu dedo. Foi um velhaco do sul que me pegou no bar. Sabe, meio caído ele. Como a noite estava fraca, não tinha faturado nenhum centavo ainda, resolvi ir com ele. Só depois que terminou o programa é que fiquei sabendo que o miserável não tinha nenhum tostão. Disse sorrindo Juliete.
- Você fez de graça, de novo sua burra? Não aprende que tem que comer? Você tá me saindo uma rapariga muito idiota. Vai acabar doente ou com um tiro na orelha. Burra! Proferiu Valda.
- Calma aí, antes de me xingar. Sou é muito esperta. Enquanto o velhinho foi ao banheiro, olhei nas calças dele. Achei esse anel, um prendedor de gravatas, e duas aspirinas. Peguei tudo e me mandei. O velho ficou lá, peidando no banheiro. Disse Juliete as gargalhadas.
- O que? Perguntou Valda com as mãos na cintura.
As duas rolaram nas camas rindo da cena que Juliete fez imitando o senhor com quem fizera um programa na noite anterior.
- Sério? E ele ficou lá, sem nem te dar um beijinho de boa noite. Aí minha barriga, não agüento rir desse jeito. Você roubou até as aspirinas dele. Vai ter dor de dente e morrer na sarjeta, porque a puta que ele pegou, roubou até sua aspirina. Ai que merda! Gritava Valda.
Valda costumava ter um linguajar que não agradava muito a Juliete. Dizia que não ficava bem além de damas da noite, falarem palavrões. Deveriam manter um pouco a dignidade. Mas a amiga não ligava para tais palavras e continuava a vociferar coisas desagradáveis, em público ou sozinhas naquele minúsculo quarto do Viveiro de Deus.
- E o prendedor de gravatas? Cadê? Perguntou Valda em tom sério.
- Dei para o Albertinho. Encontrei ele quando vinha para cá e não tive escolha. Respondeu Juliete por entre os dentes.
- Não a-c-r-e-d-i-t-o ! Você deu de presente para aquele miserável? Você não aprende nunca mesmo Juliete. O que esse homem faz com você para ser tão capacho dele. Tome linha garota, vai acabar te matando, o Albertinho – disse o nome do rapaz rebolando os quadris – vai te enterrar em cova pública. Porque daquele você não vai conseguir nem um caixão decente. Dizia Valda com ódio nos olhos.
- Mas ele me ama, sei disso. Disse-me depois que dei o prendedor de ouro para ele. Argumentou Juliete como uma colegial.
- Você é estúpida, agora tenho certeza. Menina olha bem para minha boca e veja o que vou te falar: IDIOTA. Disse Valda mostrando os dentes podres na boca. Tinha a dentição horrível com os molares grandes e os caninos saltados para o lado e os dentes da frente muito proeminentes.
- Pare de falar assim comigo, sua bicha. Xingou Juliete
- Vaca, miserável. Sou mulher, mulher...Ouviu. MULHER. Respondeu Valda aos berros.
Valda atirou o vidro de perfume vazio em direção a Juliete que se abaixou deixando o objeto atravessar a janela do quarto.
- Cale a boca ouviu puta miserável. Sabe que sou mulher de verdade, mais do que você. Sou única, só eu existo, ninguém mais, eu Tina Reviera, a “deusa da noite...”eu. Valda sentou-se no chão e chorou como uma criança, comovendo Juliete que sentada em sua cama fumava desesperadamente.
- Tá bem desculpe, não quis dizer isso, me desculpe. Suplicou Juliete assustada
- Diga que sou mulher. Disse Valda baixinho.
- Aí também não, puxa vida! Resmungou Juliete se enfezando.
- Diga vamos. Disse Valda aos berros.
- Sim, tudo bem eu digo. Respondeu a amiga.
Levantando-se da cama, Juliete aproximou-se de Valda e estendendo a mão disse:
- Me perdoe doce donzela, a mais bela entre todas as mulheres, a poderosa Afrodite. Disse Juliete em tom sarcástico
- Assim eu não quero. Diga sinceramente. Pediu Valda
- Me desculpe amiga. Tá bom assim. Falou Juliete com um pouco de impaciência na voz.
- Está.O “amiga” valeu. Disse Valda enxugando as lágrimas que borravam sua maquiagem pesada.
- O que vamos comer hoje. Desde ontem que não ponho nada no estômago. Estou verde de fome. O filho da mãe do Albertinho estava comendo um lanche de mortadela e eu fiquei babando de vontade, ele disse que era para eu fazer uma dieta porque estou muito gorda. Veja só, eu gorda! Disse Juliete olhando-se no espelho quebrado do armário.
- Pois é boneca, eu comi dois pêssegos ontem quando cheguei. Miltinho me deu quando vinha voltando para casa. Acho que aquele garoto me ama. Fica sempre assim me olhando quando passo, sabe aquele olhar de vontade. Qualquer dia faço de graça para ele, só para ver se ele é chegado mesmo. Disse Valda também se olhando no espelho, dividindo o espaço com Juliete.
- Não seja ridícula Valda, o garoto deve ter uns treze anos. Nem sabe o que você é. Acha que os pais lhe contam sobre essas coisas da vida. Imagina, ficam lá o dia todo arrancando o coro das pessoas que necessitam deles. Um dia ponho fogo naquilo. Miserável do velho outro dia me negou uma maçã fiada. Veja que decadência, antes a gente comprava e pagava no final do mês e tudo bem, agora aquele salafrário nem isso deixa mais. Tomara que apodreça em vida. Praguejou Juliete.
Valda mal escutava o que a amiga dizia, estava pensando no garoto. Fazia muito tempo que não se relacionava com um fedelho imberbe. Ficou excitada com a perspectiva de um romance. Os meninos nessa idade querem sacanagem, mas acabam se apaixonando pela amante.
- Sabe Valda, às vezes fico pensando na Glória e o jeito que ela morreu, ali branca e babando. Você detesta o Albertinho, mas ele nunca me deixou experimentar drogas. Olha que eu já quis dar uns tapinhas, mas ele disse que me batia se fumasse. Contou Juliete a amiga.
- Pois eu não preciso de nenhum cafetão para fazer isso. Sei que faz mal, já experimentei, não curti e to aqui, limpinha. Respondeu Valda orgulhando-se de não consumir drogas.
- Acho que vou tomar um banho. Estou meio fedida. À noite tenho que trabalhar. Hoje vou a uma gafieira com o Mato Grosso. Convidou-me e o Albertinho disse que sim. Parece que ele quer impressionar alguém e precisava de uma mulher bonita para isso. Acho que vou colocar aquele vestido preto com umas tranças douradas, o que acha? Perguntou Juliete.
- Deixa eu ir também, deixa. Pediu Valda com as mãos em posição de oração.
- Vê lá, isso é passeio para dama. Disse Juliete.
- Sua cadela miserável. Egoísta. Profanou Valda.
- Não sou eu que estou indo, foi o Mato Grosso que convidou. Argumentou a amiga querendo despistar o travesti que estava a sua frente.
- Eu sei, mas você bem que podia me levar junto, eu saio de perto, juro. Não fico na sua cola, e arrumo carona pra voltar, por favor, deixa. Suplicou Valda.
- Sei lá, se arruma que a hora que o Mato Grosso chegar eu peço para ele. Se fizer cara, desista porque mando você ficar, entendeu?
- Obrigada. Me empresta o anel? Pediu Valda.
- De jeito nenhum, imagina. Já vou fazer muito de te levar, ainda por cima quer o meu anel. Esqueça. Respondeu Juliete deixando Valda sozinha no quarto.
- Miserável. Profanou Valda por entre os dentes sem que a amiga ouvisse. Isso há de ser meu. Você não merece vadia. Por que tudo é para ela? Sempre os melhores clientes, as melhores roupas. Albertinho. A barriga de Valda roncou e sua boca salivou de fome.
Valda ficou olhando-se por um tempo no espelho, imaginando ser Juliete. Odiava a companheira de quarto e queria sua ruína. Odiava-a por ter nascido mulher e ela não. Abominava sua genitália. Apoiando-se numa cadeira ficou de pé e prendeu seu órgão sexual por entre as pernas. Estava nu e ficou admirando seu corpo. Era uma mistura de homem e mulher. Seios de silicone em ombros largos e pernas grossas. Por mais que tentava os traços lembravam-lhe o tempo todo que era um homem. Valda não admitia isso, odiava as mulheres incluindo Juliete. Desejava ser como ela, ter os cabelos longos e lisos, a pele clara no rosto, sem barba e o colo macio. Chorou olhando-se e quis morrer. Estava perdendo um pouco a razão. Se não comesse teria uma crise e acabaria enlouquecendo.
À noite quando Mato Grosso chegou as duas estavam prontas, Juliete vestida de modo vulgar e Valda, um travesti ridículo. Usavam a mesma colônia de alfazema empestando o quarto com o cheiro de perfume velho.
O homem gordo e pelancudo entrou naquele quarto minúsculo sob a bajulação das infelizes. Mato Grosso era um caminhoneiro sujo e barbudo que pagava a mulheres por um momento de prazer. Juliete olhou-o e sentiu nojo pensando no que teria que fazer mais tarde. Valda tentava de todo jeito agradá-lo. Quando a amiga pediu para que a levassem, o homem asqueroso riu e disse que de modo algum levaria um travesti para o baile. Zombou de Valda humilhando-a pelo traje que vestia e pela maquiagem.
- Seu porco imundo, sebento. Quem você pensa que é com essa barriga enorme, peluda e fedorenta. Gritou Valda ao homem.
- Cala boca bichona, senão te meto a mão na cara. Ameaçou Mato Grosso, já levantando a mão para bater em Valda.
- Pare de falar Valda. Pediu Juliete pacientemente.
- Não paro não. Esse monte de pelancas inválido, pensa que é muito homem. Precisa vir aqui pagar uma mulher para ter um pouco de diversão. Brocha!!!! Coitada de Juliete que terá que se deitar com você depois, fedido miserável. Cafetão de puta pobre!!! Gritava Valda descontrolada, rodopiando em torno do casal.
Mato Grosso atingiu Valda no queixo jogando-o de costas no chão.
- Cala a boca viado miserável. Aqui quem manda sou eu, você não vai e acabou. Não quero passar por ridículo carregando um travesti feio e mal vestido como você. Disse o homem gordo em tom de ameaça. Fica aí bicha nojenta!
Valda levantou-se e saltou sobre o gordo grudando em suas costas. Este girou Valda e jogou-o novamente no chão fazendo-o bater as costas numa cadeira, tirando-lhe o fôlego.
Quando estavam saindo, Valda com um golpe de facão abriu a cabeça de Mato Grosso ao meio espirrando sangue no rosto de Juliete. Ele caiu sobre a cama sem um ar de vida no imenso corpo.
Assustada Juliete gritou. O travesti imediatamente agarrou-a pelo pescoço e tampou sua boca, até perceber que a amiga estava mais calma. Com uma das mãos ainda segurava a arma do crime.
- Você o matou, sua burra. Disse Juliete retirando a mão de Valda. E agora imbecil. Como vamos fazer? O Albertinho vai acabar com a gente.
- Eu não fiz por querer, ele me ofendeu. Maldito, porco miserável. Ai eu matei!!!! Gritou Valda num acesso de loucura. Segurando o facão afiado com as mãos trêmulas.
- Cala a boca. Dizia Juliete tentando calar a amiga que perdia o controle. Jogue essa faca longe. Disse Juliete.
- É a fome, eu disse que ficava violenta com fome. Ai a polícia vai me levar! Não, não...Gritava Valda escorregando pela parede, desesperada sabendo que os policiais iriam torturá-la na cadeia.
- Vamos dar um sumiço no corpo e dizemos ao Albertinho que ele não veio aqui. Argumentou Juliete.
- Como vamos carregar esse gordo imenso e limpar esse sangue. Ele pesa muito e além do mais estou fraca, não me alimento há muito tempo. Não terei forças para leva-lo. Disse Valda olhando para o cadáver do homem que esvaia em sangue sobre a cama de Juliete tingindo o lençol como sua massa cefálica.
- Vamos procurar nos bolsos dele, vejamos se tem dinheiro, quem sabe não podemos fingir que foi assaltado. Disse Juliete tentando amenizar a situação.
As duas remexeram os bolsos e encontraram um maço de notas velhas, contando não daria para pegarem um ônibus. Mato Grosso estava liso sem um tostão no bolso. Juliete ficou possessa e chutou as pernas do homem morto.
- Esse miserável não tem dinheiro. O maldito ia me levar a gafieira e não tinha nem um tostão para me pagar uma bebida. Lacráio gritou Juliete cuspindo no defunto.
As duas sentaram cansadas ao lado do corpo e olharam-se. Estranhamente tiveram o mesmo pressagio. Sorriram e correram em direção a faca que estava no chão.

No dia seguinte naquele fétido cômodo, com as paredes sujas, uma pia estragada e um fogão velho foi servido o maior banquete que Albertinho pode comer em sua vida. Os pratos de porcelana, talheres novos e uns vinhos de primeira qualidade, foram emprestados da mocinha do 809. Serviram iguarias de carne, um suflê de miolo e postas de medalhão cozidos em banha supostamente de porco.
Na manhã seguinte, os ossos de Mato Grosso sem um filete de carne foram carregados dentro de um saco para obra de cobertura nos fundos do prédio. Foi despejado no meio da estrutura que seria concretada. As duas desossaram o homem gordo e se alimentaram de sua carne junto da vizinhança toda que desfrutou de um churrasco na laje recém feita. Venderam o caminhão de Mato Grosso e com o dinheiro fizeram a festa. Valda com uma mini-saia roxa e um belíssimo anel que ganhara de presente da amiga cantava sozinha enquanto Juliete sorridente beijava a todos. A comemoração era pela herança que recebera. A mãe morreu e deixou uma fortuna para Juliete, segundo Albertinho, que explicou a todos o motivo do dinheiro. A carne, um pouco gordurosa acabou em minutos. Uma relíquia em tempos difíceis.

Fim
rs rs rs...é macabro, mas faz sentido junto dos outros textos que compõe essa coletânea.

Quando seu cabelo te odeia.

Há dias que quando levanta da cama de manhã o seu cabelo grita com você...oh meu, tá na hora de me cortar, meu chapa!!!!

Você toma banho, passa os melhores shampoos e condicionadores ( eu sou generoso com minhas madeixas, uso coisa boa)..mas ele insiste em não ficar no lugar.
Aí você xinga, briga com os fios rebeldes. Diz que eles não merecem estar presos na sua cabeça.

Que existem tratamentos de choque que os farão ser obedientes, lisos e arrumados.


Mas então bate um remorso de ter falado assim com os pobrezinhos. Você pensa em tantos deles que te abandonaram. Onde havia uma comunidade, hoje há uma clareira bem acentuada. Eles são sensiveis e se magoam facilmente. Aí traumatizados, tem que ser tratados com finasterida.



Enfim...é melhor cuidar, pedir desculpas, deixa-los na rebeldia. Afinal é complicado ser bonito...rs rs rs




Fazendo minha parte 2 :


Há 16 anos os correios em todo o país arrecada cartas endereçadas a Papai Noel.

São pedidos feitos por crianças carentes. Não orfãs e sim com sérios problemas financeiros. Os pedidos variam de video games a panetones.

Quem embuido de um espirito natalino quiser fazer uma criança feliz, é só ir a uma agencia de correios, selecionar uma ou mais cartas, comprar o presente solicitado e entregar de volta nos correios. Eles se incombem de fazer a entrega. Caso queira fazer pessoalmente, é só levar no endereço da carta.

Vale a pena ser solidario. É bom lembrar que natal não é apenas uma data pra se ganhar presente.

Hoje eu to sério...nem eu to me aguentando...rs

Água pra todo mundo!!!

video

Não sou de levantar bandeira para causa nenhuma. Não que seja apolítico, ou que não me importe como que se passa em minha volta. Apenas acho que radicalizar e sair gritando por aí não ajuda muito.

Faço minha parte, dentro do meu mundo e conscientizo quem ta por perto. Mas não vou ficar gritando na porta de prédios públicos pela liberação da maconha, pelos direito dos negros, indios, sem teto. Não vou xingar a vizinha por que ta lavando a frente da casa numa semana de seca intensa. Prefiro ligar para empresa de abastecimento e pedir que a multem. O povo só entende quando alguma coisa lhe afeta diretamente. Pagar multa, ficar sem energia, ser processado por discriminação faz com quem entenda exatamente onde terminam seus direitos e começam o do outro.

Sou Urbanista, faço o impossivel para mater a natureza intacta. Mas aí as pessoas compram um terreno. Constroem suas casas e detonam aquilo que com tanto carinho preservei. OH como o povo é burro!!!

As pessoas que forem para o litoral nas festas, podem ter certeza de uma coisa. Sol, provavelmente terá. Mas água...esse ano falta.

SER CRIANÇA

É tão bom ser criança. É tão bom ter como preocupação os brinquedos que você não consegue encaixar, as fases do video game que não consegue superar.
É tão bom caber no cólo de alguém, para sentir-se protegido quando o trovão estoura. É tão bom saber que existe alguém mais forte que você que resolverá todas os problemas difíceis, como aquele inseto horrivel que se alojou na sua bicicleta.
É tão bom poder fartar-se com tudo que você gosta sem a preocupação daquilo transformar-se em gordura, em colesterol ou qualquer outra coisa que no corpo de um adulto funciona como bomba.
É tão bom ser inocente. Não se precoupar com a sociedade. Não se importar com o que as pessoas acham ou pensam.

É tão bom demonstrar o afeto sem preocupação de ser correspondido.

É bom ser criança. É importante ser criança. É essencial poder ser criança.

Abraço a quem passar por aqui. Boa semana a todos.